Anã marrom: diferenças entre revisões

81 bytes removidos ,  22 de setembro de 2010
Desfeita a edição 21936554 de 189.18.189.37 (discussão | contribs)
(Desfeita a edição 21936554 de 189.18.189.37 (discussão | contribs))
 
Como elas não possuem massa suficiente para realizar a fusão do hidrogênio (as de massa alta conseguem fundir hidrogênio, mas esporadicamente e com baixa eficiência), inicialmente realizam a fusão de deutério. A fusão produz energia suficiente que contrapõe a força gravitacional, fazendo-as brilharem (as anãs marrons com massa superior a 60 massas Júpiter, ainda conseguem realizar a fusão do lítio). Quando o deutério acaba, a contração continua. Essa contração aumenta a pressão térmica do núcleo que se opõem as forças gravitacionais. Os [[elétron]]s ficam livres de seus núcleos por causa das altas temperaturas. Como dois elétrons não ocupam o mesmo [[estado quântico]], quando o núcleo é muito denso os estados de baixa energia são preenchidos e muitos elétrons são forçados a ocupar altos estados de energia. Isso gera uma pressão insensível à temperatura. Objetos alimentados por esse processo são denominados de degenerados. Isso já não ocorre com as estrelas, já que elas têm capacidade de fusão constante do hidrogênio. Quando isso ocorre, a estrela para de contrair mantendo seu brilho e tamanho. Já nas anãs marrons, quando a pressão de degeneração diminui seu colapso, a luminosidade gerada por sua contração gravitacional diminui gradativamente.
mas a anã marrom naverdade é uma das estrelas que se move em direção ao sol.
 
== Leitura Recomendada ==
8 156

edições