Diferenças entre edições de "Evliya Çelebi"

12 bytes adicionados ,  16h06min de 4 de outubro de 2010
sem resumo de edição
( nova página: {{Info/Biografia |bgcolour= |nome=Evliya Çelebi |imagem= |imagem_tamanho= |imagem_legenda= |nome_completo= |nascimento_data={{nascimento|25|3|1611|si}}<ref name=otoh...)
 
Embora tenha nascido em Istambul, então capital do [[Império Otomano]], a família de Evliya Çelebi era de [[Kütahya]].{{ntref|name=enref||Parte do texto foi baseada no artigo|en|Evliya Çelebi|387422048}} O seu pai, Derviş Mehmed Zılli, era um [[Joalheria|jaolheiro]] da corte otomana e a sua mãe era uma ex-escrava [[Abecásios|abecásia]].<ref name=otoh /> Como membro de uma família rica e bem relacionada, recebeu uma excelente educação, tendo frequentado um [[madraçal]] e a escola do palácio imperial, onde estudou {{ling|ar}}, [[caligrafia]] e música. Tornou-se conhecido como recitador do [[Alcorão]] e foi favorecido pelo sultão reinante, [[Murad IV]].<ref name=brit />
 
Supõe-se que tenha aderido à ordem [[Sufismo|sufista]] de [[Gülşenî]], pois conhecia muito bem o ''[[tekke]]'' (hospedaria) dessa ordem no [[Cairo]] e por um [[Grafite (arte)|grafito]] onde se refere a si próprio como "Evliya-yı Gülşenî" (Evliya dos Gülşenî). Iniciou as suas viages em Istambul tomando notas sobre edifícios, mercados, costumes e cultura. Em 1640 fez a sua primeira viagem fora da cidade. A sua coleção de notas de todas as suas viagens formaram uma obra de dez volumes chamada '''''Seyahatnâme''''' (Livro de Viagens),{{ntref2|enref}} também chamado ''Tarihi Seyyah''.{{ntref2|esref}}
 
Morreu depois de 1683,<ref name=otoh /> provavelmente em 1684. Não é claro se estava então em Istambul<ref name=brit /> ou no Cairo.{{ntref2|enref}}
Çelebi cultivou a ''[[rihla]]'', o género literário clássico árabe de relatos de viagem que adotado em várias partes do mundo muçulmano.{{ntref2|esref}} Embora muitas das descrições desta obra tenham sido escritas de forma exagerada e por vezes fossem pura ficção ou má interpretação de fontes de terceiros, as suas notas são amplamente aceites como um guia útil para os aspetos culturais e estilo de vida das populações do Império Otomano do século XVII.{{ntref2|enref}}<ref name=otoh /><ref name=hurr />
 
Evliya viajou pela [[Hungria]] e [[Áustria]] e visitou [[Viena]] "''«com o olho treinado de um guerreiro de fronteira"»''. Durante o século XVII houve vários confrontos entre otomanos e austríacos que culminou no segundo [[cerco]] (o primeiro tinha sido no outono de 1529) da capital das margens do [[Rio Danúbio|Danúbio]] no verão de 1683. O cerco fracassou porque o exército sitiante, comandado pelo [[vizir]] otomano [[Kara Mustafá]], se deixou surpreender pela coluna aliada de socorro [[França|franco]]-[[Alemanha|alemã]]-[[Polónia|polaca]] comandada por [[Carlos de Guise, Duque de Mayenne|Carlos de Lorena]] e [[Jan III Sobieski]].{{ntref2|esref}}
 
Çelebi foi um grande viajante e um grande romântico, às vezes fantasioso, como quando se refere a uma obviamente mítica expedição envolvendo {{fmtn|40000}} gietes [[Tartária|tártaros]] através da Áustria, Alemanha e [[Holanda]] até ao [[Mar do Norte]]. O seu estilo literário é excelente e destaca-se a minúcia e precisão das suas descrições geográficas, de pessoas e grupos sociais. Por exemplo, sobre a Casa Real da Áustria opina:{{Citação2|''Por vontade de Deus Todo Poderoso, todos os imperadores desta casa são igualmente repulsivos no seu aspeto. E em todas as igrejas e casas, assim como nas moedas, o imperador é representado com o seu feio rosto, e certamente, se qualquer artista ousasse retratá-lo com um belo semblante seria executado, pois ele considera que assim o desfiguram. Estes imperadores estão orgulhosos da sua fealdade.''}}
135 767

edições