Abrir menu principal

Alterações

O bloco anti-[[Luiz Inácio Lula da Silva|Lulista]], por outro lado, sofreu grandes perdas em ambas as casas. O [[Democratas (Brasil)|Democratas]] (DEM), atualmente segundo maior partido no Senado, caiu para a quarta posição, mantendo o controle de apenas seis assentos a partir de 2010, mesma quantidade que o [[Partido Trabalhista Brasileiro]] (PTB), da mesma coalizão.<ref name="R7"></ref> O partido também obteve uma enorme derrota na Câmara, perdendo 22 assentos, seguido de seu principal aliado, o PSDB, que perdeu 13.<ref name="cham"></ref> No total, os partidos que integraram a coalizão ''O Brasil pode mais'' perderam o controle de 44 assentos na Câmara<ref name="cham"></ref> e 11 no Senado.<ref name="R7"></ref> Membros influentes da oposição durante o [[governo Lula]], como [[Arthur Virgílio]], [[Heráclito Fortes]], [[Marco Maciel]] e [[Tasso Jereissati]] não conseguiram se reeleger e não servirão mais à população de seus estados no Congresso Nacional.<ref>Oswald, Vivian. [http://oglobo.globo.com/pais/eleicoes2010/mat/2010/10/04/campeoes-de-votos-no-passado-marco-maciel-tasso-jereissati-arthur-virgilio-nao-conseguem-vaga-922694128.asp "Campeões de votos no passado, Marco Maciel, Tasso Jereissati e Arthur Virgílio não conseguem vaga"]. ''[[O Globo]]''. 4 de outubro de 2010.</ref>
 
Outros partidos de oposição foram mais bem sucedidos que a coalizão de centro-direita ''O Brasil pode mais''. O [[Partido Socialismo e Liberdade]] (Psol) conseguiu eleger dois Senadores, conquistando um assento a mais do que a atual legislatura.<ref name="R7"></ref> Também manteve seus três assentos na Câmara.<ref name="cham"></ref> O [[Partido Verde (Brasil)|Partido Verde]] (PV) ganhou dois assentos extras na Câmara,<ref name="cham"></ref> apesar de ter perdido seu único assento no Senado.<ref name="R7"></ref>
 
===Por partido===
Utilizador anónimo