Jus sanguinis: diferenças entre revisões