Salmo 51: diferenças entre revisões

18 bytes adicionados ,  08h55min de 8 de janeiro de 2011
m
Padronização de predefinições
m (r2.6.4+) (Bot: Adicionando: ja:第50聖詠)
m (Padronização de predefinições)
{{minidesambigVer desambig|prefixo=Se procura|obra musical de Gregorio Allegri|Miserere (Allegri)}}
 
O '''salmo 51''' (na numeração [[Septuaginta|grega]] '''salmo 50'''), tradicionalmente chamado de '''''Miserere''''', seu ''[[incipit]]'' em [[latim]], é um dos [[Salmos|salmos penitenciais]].<ref name="echegary">{{Referência a livro|autor=Echegary, J. González et ali|título=A Bíblia e seu contexto|idioma=português|edição=2|local= São Paulo|editora=Edições Ave Maria|ano=2000|páginas=1133|volumes=2|id=ISBN 9788527603478}}</ref><ref name="pearlman">{{Referência a livro|autor=Pearlman, Myer|título=Através da Bíblia|subtítulo=Livro por Livro|idioma=português|edição=23|local=São Paulo|editora=Editora Vida|ano=2006|páginas=439|id=ISBN 9788573671346}}</ref>
 
==Uso litúrgico==
 
Este salmo é utilizado frequentemente em diversas tradições litúrgicas, por sua mensagem de humildade e arrependimento.
 
O Miserere foi um texto utilizado frequentemente na [[música litúrgica]] [[Igreja Católica|católica]] antes do [[Concílio Vaticano II]]. A maioria dos temas, utilizados quase sempre durante o [[ofício de trevas]], estão num estilo ''[[falsobordone]]'' simples. Durante o [[Renascimento]] muitos compositores escreveram sobre o texto. A primeira obra [[Polifonia|polifônica]] que o utilizou, provavelmente datada da década de 1480, foi feita por [[Johannes Martini]], um [[compositor]] que trabalhava para a [[Casa de Este]], em [[Ferrara]]<ref>Macey, p. 185</ref> O [[Miserere (Josquin)|Miserere]] polifônico de [[Josquin des Prez]], composto provavelmente em 1503 ou 1504, também em Ferrara, foi inspirado, provavelmente, na meditação ''[[Infelix ego]]'', composta no cárcere por [[Girolamo Savonarola]], que fora condenado à execução na fogueira cinco anos antes. Posteriormente, no [[século XVI]], [[Orlande de Lassus]] compôs um Miserere elaborado, como parte de seus ''Salmos Penitenciais'', e [[Palestrina]], [[Andrea Gabrieli]], [[Giovanni Gabrieli]] e [[Carlo Gesualdo]] também escreveram música para o texto.<ref>Caldwell, Grove</ref> [[Antonio Vivaldi]] pode ter composto um ou mais Misereres, porém estas composições foram perdidas, com apenas dois [[moteto]]s introdutórios tendo sobrevivido. [[Johann Sebastian Bach]] e [[Giovanni Battista Pergolesi]] também teriam composto Misereres.
 
Uma das versões mais conhecidas é o [[Miserere (Allegri)|Miserere]] composto no [[século XVII]] pelo compositor [[Gregorio Allegri]], da [[escola romana]]. De acordo com uma célebre história, o jovem [[Wolfgang Amadeus Mozart]], com apenas catorze anos de idade, ouviu a peça sendo executada na [[Capela Sistina]], no dia [[11 de abril]] de [[1770]], e, depois de retornar ao lugar onde passaria a noite, conseguiu reescrever toda a [[partitura]] de memória. Mozart então teria retornado um ou dois dias depois para ouvir a peça e corrigir os poucos erros de sua transcrição.<ref> Sadie, Grove; Boorman, Grove</ref> O fato do [[coro]] final incorporar uma [[harmonia]] de dez vozes ressalta o prodígio do gênio do jovem Mozart. A obra também é conhecida por possuir diversos [[dó]]s altos nos solos dos [[Soprano infantil|sopranos infantis]].
 
Entre os compositores modernos que escreveram versões notáveis do Miserere estão [[Michael Nyman]] e [[Arvo Pärt]].
 
{{ref-sectionreferências}}
 
==Bibliografia==
718 366

edições