Diferenças entre edições de "Avenida Cristiano Machado"

334 bytes adicionados ,  17h13min de 5 de fevereiro de 2011
sem resumo de edição
Além de apresentar um grande canteiro central arborizado, ela era ligada ao centro da cidade por um túnel, em em seguida por um trecho de avenida no mesmo nível da linha férrea, o que provocava transtornos constantes devido as paradas do trânsito para a passagem de composições. Já em seus primeiros anos de existência a via ganha a alcunha de "Avenida da Morte" por causa do alto número de acidentes e atropelamentos fatais.
 
Em 1980 tem início a construção da "Bus Way", faixa destinada ao transporte coletivo, com isso o canteiro central é eliminado. Há também alargamento das pistas de tráfego misto e em novembro de 1986 é entregue mais dois túneis e o complexo de viadutos sobre a linha férrea e o metrô. Logo após essa inauguração o Governo Estadual anuncia a implantação do sistema de Trólebus na pista central, tendo havido a encomenda de algumas unidades para a empresa paulista Tectronic e a instalação de postes para a fiação dos veículos. Em mais um exemplo de desperdício do dinheiro público, o projeto é abandonado. Nesse mesmo período a avenida foi estendida até Venda Nova.
 
A partir de 2005 a avenida sofreu uma série de intervenções como a construção de viadutos e passarelas como parte do projeto da Linha Verde. Essas obras não foram capazes de resolver os constantes engarrafamentos. Atualmente a Prefeitura de Belo Horizonte implanta na pista central o sistema BRT, para tentar diminuir o uso do automóvel e melhorar a qualidade do transporte coletivo oferecido. Nessa avenida ficam o Minas Shopping, o Hotel Ouro Minas, a Faculdade Faminas, a Feira dos Produtores e dezenas de concessionárias e lojas de automóveis.
Utilizador anónimo