Abrir menu principal

Alterações

7 bytes adicionados, 04h18min de 9 de março de 2011
m
Typos -, typos fixed: compania → companhia (6), incluido → incluído utilizando AWB
[[Ficheiro:Metropolitan Opera House At Lincoln Center.jpg|thumb||300px|Metropolitan Opera no Lincoln Center para Artes, visto do Lincoln Center Plaza.]]
 
O '''Metropolitan Opera Association''' (''Associação do Metropolitan Opera'') de [[Nova Iorque]], foi fundada em 28 de abril de 1880<ref>T[http://query.nytimes.com/gst/abstract.html?res=9500E7D81F31EE3ABC4151DFB266838B699FDE HE NEW OPERA-HOUSE.; FORMAL ORGANIZATION OF THE COMAPANY-- THE OFFICERS ELECTED], ''[[The New York Times]]'', April 29, 1880</ref>, é o maior palco de apresentações de todos os tipos de [[ópera]], incluíndo a [[grande ópera]]. Peter Gelb é o diretor geral da companiacompanhia. O diretor musical, desde 1976, é o maestro americano [[James Levine]].
 
O Metropolitan Opera é a maior organização clássica dos Estados Unidos e apresenta anualmente 220 performances de ópera. A cada da companiacompanhia é o [[Metropolitan Opera House]], que é considero o melhor palco de óperas em todo o mundo e sendo quase o maior do mundo. O Met, como é normalmente chamado, é uma das doze organizações residentes do [[Lincoln Center|Centro de Performances Artísticas Lincoln Center]].
 
O Met apresenta aproximadamente 27 óperas diferentes por ano, em uma temporada que vai do fim de setembro até o começo de maio. As óperas são apresentadas em um repertório rotatico, com sete performances de quatro diferentes trabalhos por semana. As performances são apresentadas todas as noites, de segunda a sábado e com uma matinê ao sábado. Muitas novas óperas são apresentadas por temporadas.
Esta situação anômala terminou na época do Grande Incêndio, após a qual a Era Dourada da Ópera chegou ao Metropolitan sob a célebre gerência de Maurice Grau (1892-1903). Daí então, os maiores (e melhor pagos) artistas de ópera do mundo agraciavam o palco do Metropolitan Opera House, especialmente os irmãos [[Jean de Reszke|Jean]] e [[Edouard de Reszke]], [[Lilli Lehmann]], [[Emma Calvé]], [[Lillian Nordica]], [[Nellie Melba]], [[Marcella Sembrich]], [[Milka Ternina]], [[Emma Eames]], [[Sofia Scalchi]], [[Ernestine Schumann-Heink]], [[Francesco Tamagno]], Francisco Vignas, Jean Lassalle, [[Mario Ancona]], [[Victor Maurel]], [[Antonio Scotti]] e [[Pol Plançon]].
 
Começando em 1898 a companiacompanhia de cantores do Metropolitan Opera saia em turnê americana anual de seis semanas após a temporada em [[Nova Iorque]]. Essas turnês foram canceladas em 1986, após 88 anos, por causa de perdas financeiras. Em 1906, em uma dessas turnês, produções do Met foram severamente danificadas devido ao grande terremoto de São Francisco, ocasião em que alguns dos maiores artistas da época, como [[Enrico Caruso]] e [[Olive Fremstad]], estavam presentes. Fremstad, inclusive, saiu às ruas destruídas da cidade distribuindo flores para a população inconsolável.
 
===Início do Século XX===
O Metropolitan Opera começou uma longa história com a cidade da [[Filadélfia]] durante sua primeira temporada, apresentando seu repertório na cidade durante Janeiro e Agosto de 1884. A primeira performance da companhia na Filadélfia foi de [[Faust]] de [[Charles Gounod]], com a soprano [[Christina Nilsson]], dia 14 de janeiro de 1884, na Casa de Ópera Chestnut. O Met continuou a apresentar-se anualmente na Filadélfia por oitenta anos, tendo apresentado quase 900 performances na cidade, até 1961.
 
Em 26 de abril de 1910, o Met comprou a Casa de Ópera da Filadélfia de Oscar Hammerstein I, um milionário, empresário de teatro e apaixonado por ópera. A companiacompanhia renomeou o teatro para Metropolitan Opera House e apresentou todas as suas performances nesse teatro até 1920, quando a companiacompanhia mudou-se para a Academia de Música.
 
Nos primeiros anos do Met, a companiacompanhia apresentou anualmente doze ou mais performances de óepras na Filadélfia por temporada. Em cada ano, o número de produções diminuia gradualmente, até a temporada final na Filadélfia, em 1961, com apenas quatro óperas. A última performance foi em 21 de março de 1961, com [[Birgit Nilsson]] e [[Franco Corelli]] em [[Turandot]], ópera do compositor italiano [[Giacomo Puccini]]. Após essa noite, o Met retornou a Filadélfia em suas turnês da primavera de 1967, 1968, 1978 e 1979
 
== O Met no rádio and cinema ==
 
=== Transmissões do Met para cinemas ===
Começando com a matinée de 30 de Dezembro de 2006 ao vivo da versão de 110 minutos de ''[[A Flauta Mágica]]'' feita por Julie Taymor]], O Met (em conjunto com a National CineMedia|NCM Fathom lançou o ''Metropolitan Opera: Live in HD'', uma série de seis produções da temporada de 2006-07 em 100 cinemas nos Estados Unidos, Canada, Japão, e vários países europeus, incluidoincluído a Grã-Bretanha e a Noruega que são equiapados para apresentar em [[High-definition television|high definition]] via satélite. De acordo com o press release do Met, 48 de 60 cinemas no Estados Unidos já estavam esgotados antes da transmissões, inclusive em [[Los Angeles]], [[Chicago]], [[Boston]], [[Miami]] e [[Washington, D.C.]], enquanto que todos os sete dos cinemas britânicos participantes também estavam esgotados. Estas transmissões de cinema receberam grande e geralmente favorável cobertura da imprensa.
 
A série tem continuado pela temporada de 2006-07 com transmissões HD ao vivo de ''[[I puritani]]'', ''[[The First Emperor]]'', ''[[Yevgeny Onegin|Eugene Onegin]]'', ''[[The Barber of Seville]]'', and ''[[Il trittico]]''. Além disso, poucas récitas repetidas de óperas foram oferecidas na maioria das cidades apresentantes. Som digital para as apresentações é provido pela [[Sirius Satellite Radio]].
81 492

edições