Abrir menu principal

Alterações

4 534 bytes adicionados ,  18h45min de 11 de março de 2011
sem resumo de edição
}}
 
[[Ficheiro:Yonghe Gong sign.jpg|thumb|Escritas nos alfabetos mongol, '''tibetano''', chinês e manchu no [[Templo de Yonghe]], em [[Pequim]]]].
 
A '''Escrita tibetana''' é um [[abugida]] originado da família [[escrita Brāhmī|Brahmi]] usada para escrever a [[língua tibetana]] bem como as línguas [[língua dzongkha|butanesa]], [[língua siquimesa|siquim]], [[língua ladakhi|ladakhi]] e por vezes a [[língua balti|balti]]. A forma impressa da escrita é denominada ''[[escrita uchen]]'' ({{bo|w=dbu-can|t=<font face="Jomolhari, 'Máquina Uni Tibetana'">དབུ་ཅན་</font>|lang=yes}}; "com uma cabeça") enquanto que a escrita cursiva a mão e usada no dia a dia é chamada ''[[escrita umê]]'' script ({{bo|w=dbu-med|t=<font face="Jomolhari, 'Máquina Uni Tibetana'">དབུ་མེད་</font>|lang=yes}}; "sem cabeça").
 
==História==
O '''alfabeto tibetano''' foi composto no [[século VII]] pela tradução de textos sagrados do [[budismo]]. Derivado das escritas cursivas utilizadas nessa altura na [[subcontinente indiano|Índia central]], foi composto com um manifesto cuidado de simplificação, graças a um rigoroso conhecimento da [[fonética]]. A criação foi atribuída a [[Thonmi Sambhota]], ministro do primeiro [[rei]] [[Tibete|tibetano]] convertido ao [[budismo]], que teria trazido, em livros sagrados, estas escritas das [[subcontinente indiano|Índias]].
 
A '''Escrita tibetana''' é um [[abugida]] originado da família [[escrita Brāhmī|Brahmi]] usada para escrever a [[língua tibetana]] bem como as línguas [[língua dzongkha|butanesa]], [[língua siquimesa|siquim]], [[língua ladakhi|ladakhi]] e por vezes a [[língua balti|balti]]. A forma impressa da escrita é denominada ''[[escrita uchen]]'' ({{bo|w=dbu-can|t=<font face="Jomolhari, 'Máquina Uni Tibetana'">དབུ་ཅན་</font>|lang=yes}}; "com uma cabeça") enquanto que a escrita cursiva a mão e usada no dia a dia é chamada ''[[escrita umê]]'' script ({{bo|w=dbu-med|t=<font face="Jomolhari, 'Máquina Uni Tibetana'">དབུ་མེད་</font>|lang=yes}}; "sem cabeça").
 
Essa escrita está intimamente ligada à etnia [[Tibete|tibetana]], porém, é também usada por [[línguas tibetanas]] faladas no [[Butão]], em partes da [[Índia]] e do [[Nepal]] e mesmo no [[Paquistão]].<ref>Chamberlain 2008</ref> Além disso, a escrita tibetana influenciou a criação de outras escritas como a [[escrita limbu|limbu]] e [[escrita lepcha|lepcha]]<ref name="daniels">Daniels, Peter T. and William Bright. ''The World’s Writing Systems''. New York: Oxford University Press, 1996.</ref> e a [[escrita 'Phags-pa|’phags-pa]].<ref name="daniels" />. A escrita tibetana apresenta muitas formas [[Romanização (linguística)|romanizadas]].<ref>Ver, por exemplo [http://www.eki.ee/wgrs/rom1_bo.pdf]</ref>
[[Image:Om Mani Padme Hum.jpg|left|thumb|250px|Texto policrômico à esquerda do centro é o [[mantra]] primário do [[Budismo tibetano]], [[Sânscrito]] – IAST “Om Mani Padmeṃ"]]
 
Como ocorre como na maior parte das línguas Indianas, cada consoante inclui uma vogal /a/ inerente. Um aspecto único da escrita tibetana é que as consoantesa podem ser escritas simplesmente como radicais, ou podem ser escritas de outras formas, como, por exemplo, com sobrescritos e subscritos.A posição sobrescrita sobre o radical é reservada para as consoantes (sons) r, l, s, enquanto que as posições subscritas sob o radical é para as consoantes y, r, l, w. Para entender como isso funciona, pode-se observar o radical do carácter "ka" ao se tornar "kra" ou "rka". Em ambos os casos, o símbolo para "ka" é usado, mas quando o R está entre a [[consoante]] e a [[vogal]], é adicionado um subscrito. Por outro lado, quando o R vem antes do conjunto consoante + vogal, adiciona-se um sobrescrito.(Conf. Daniels) R realmente muda de forma quanto está acima da maior parte das outras consoantes; assim temos རྐ rka. Há, porém, uma exceção a isso no grupo consonantal རྙ rnya. De forma similar, as consoantes w, r, y mudam sua forma quando estão junto a outras consoantes - ཀྭ kwa; ཀྲ kra; ཀྱ kya.
 
Além de serem escrita com sobre e subscritos, algumas consoantes podem também ser pocionadas em posições de pré-escritas, pós-escritas ou mesmo pós-pós-escritas. Por exemplo, as consoantes g, d, b, m, ’a ("’a chung") podem ser usadas em posição pré-escrita, à esquerda, de outros radicais, enquanto que a posição após o radical (pós-escrita) pode ser tomada por dez das consoantes ( g, n, b, d, m, ’a, r, n̄, s, l. A terceira posição, a pós-pós-escrita, é usada somente para as consoantes d e s (Conf. Daniels).
 
As vogais usadas na escrita tem os sons a, i, u, e, o. A [[vogal]] a é inerente a cada dos radicais de [[consoante]]s, mas as demais devem ser indicadas por marcas ([[diacrítico]]s). Assim: <font face="Jomolhari>ཀ</font> ka, <font face="Jomolhari">ཀི</font> ki, <font face="Jomolhari">ཀུ</font> ku, <font face="Jomolhari">ཀེ</font> ke, <font face="Jomolhari">ཀོ</font> ko. As vogais i, e, o são posicionadas sobre a consoante como diacríticos, enquanto que a vogal u é posicionada sob a consoante (conf. Daniels). No Tibetano antigo havia o diacrítico gigu 'verso' de significado desconhecido. Não há distinção ente vogais longas e curtos no [[língua tibetana|tibetano]] antigo, exceto para palavras externas à língua, em especial aquela vindas di [[Sânscrito]].
 
No sistema Tibetano de escritas as [[sílaba]]s são escritas da esquerda para a direita <ref>Asher, R. E. ed. ''The Encyclopedia of Language and Linguistics''. Tarrytown, N. Y.: Pergamon Press, 1994. 10 vol.</ref> As sílabas são separadas por um “tseg” (<font face="jomolhari">་</font>); Como muitas palavras Tibetanas são monossilábicas, essas marca é por vezes não usada, sendo substituída por um espaçor para separação de palavras.
 
Mesmo que alguns [[dialeto]]s Tibetanos apresentem Tons, como a língua em si própria não tinha esses tons quando da criação da escrita, os mesmos não são expressos na escrita. Como os tons se desenvolveram a partir de característcas segmentais, eles podem ser inferidos pela também ser identificados nas palavras tibetanas. Como nas outras escritas indianas, dígrafos consonantais são por vezes feitos caracteres um sobre o outro na vertical. Infelizmente, algumas fontes para informática não atendem a essa caracterísca da escrita Tibetana, não podendo ser aqui apresentados de forma correta.
 
==Transliteração do Sânscrito==
||<span style="font-size:200%;">थ</span>||{{IAST|tha}}||style="padding-bottom:14px;"|<span style="font-size:200%;">ཐ</span>||<span style="font-size:200%;">क्ष</span>||{{IAST|kṣa}}||style="padding-bottom:14px;"|<span style="font-size:200%;">ཀྵ</span>
|}
 
As consoantes retroflexas "cerebral" do [[Sânscrito]] ट ठ ड ण ष ({{Unicode|ṭa}}, {{Unicode|ṭha}}, {{Unicode|ḍa}}, {{Unicode|ṇa}}, {{Unicode|ṣa}}) são representadas pela reversão das letras <span style="font-size:200%;">ཏ ཐ ད ན ཤ</span> (ta, tha, da, na, sha) para ter-se <span style="font-size:200%;">ཊ ཋ ཌ ཎ ཥ</span> (Ta, Tha, Da, Na, Sa).
 
È um regra clássica de [[transliteração]] च छ ज झ (ca cha ja jha) para <span style="font-size:200%;">ཙ ཚ ཛ ཛྷ</span> (tsa tsha dza dzha), respectivamente. Atualmente, <span style="font-size:200%;">ཅ ཆ ཇ ཇྷ</span> (ca cha ja jha) também podem ser usados.
==Unicode==
Bloco em [[Unicode]] Tibetano é U+0F00&ndash;U+0FFF.<ref>[http://www.unicode.org/charts/PDF/U0F00.pdf Unicode block U+0F00 &ndash; U+0FFF]; Tibetan script.</ref> Esse inclui letras, dígitos, várias pontuações e símbolos especiais usados em textos religiosos.
 
 
==Notas==
5 999

edições