Diferenças entre edições de "Concílio de Jerusalém"

83 bytes adicionados ,  14h09min de 24 de abril de 2011
Azulando e chorando....
m (r2.6.3) (Bot: Adicionando: sr:Jerusalimski sabor)
(Azulando e chorando....)
Provavelmente o '''Concílio de Jerusalém''' foi convocado pelo apóstolo [[São Pedro|Pedro]], conferir (At 15, 7), ''“Tornando-se acesa a discussão, levantou-se [[São Pedro|Pedro]] e disse:...”''.
 
Pois havia surgido antes, ''“...uma agitação e tornando-se veemente a discussão de [[Paulo de Tarso|Paulo]] e [[São Barnabé (Bíblia)|Barnabé]] com eles, decidiu-se que Paulo e Barnabé e alguns outros dos seus subiriam a ''Jerusalém'', aos [[apóstolos]] e anciãos, para tratar da questão”'', (At 15, 2).
 
Devido a grande discussão, por causa da ''obrigatoriedade de submeter os novos cristãos as praticas da lei mosaica'', como a ''[[circuncisão]]'', se deveria comparecer em Jerusalém a presença dos [[apóstolos]].
 
A verdade da Igreja se mantém por causa dos apóstolos e demais discípulos, como Paulo diz: ''“... Igreja de Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade”'', conferir (Tm 3, 15). Aonde Paulo afirma que as ''três colunas'' que afirmam a Igreja são os apóstolos Pedro, [[Tiago, o Justo|Tiago]] e [[João (evangelista)|João]]: ''“Pelo contrário, vendo que a ''mim'' fora confiado o evangelho dos ''incircuncisos'' como a Pedro o dos ''circuncisos'' – pois Aquele que operava em ''Pedro'' para a missão dos ''circuncisos'' operou também em ''mim'' em favor dos ''gentios'' – e conhecendo a graça em ''mim'' concedida, [[Cefas]] ([ [[língua aramaica|aramaico]]: "rocha)"], Tiago e João, os notáveis tidos como ''colunas'', estenderam-nos a mão, a ''mim'' e a ''Barnabé'', em sinal de comunhão”'' (Gl 2, 7:9).
 
Quanto a "presidência do Concílio", Pedro e Tiago ocuparam os seus lugares na igreja de Jerusalém, Pedro iniciando a reunião e Tiago a concluindo. Não há referências para a outras constatações a respeito deste concílio.
Entre eles estabeleceu-se uma dúvida e uma polêmica: saber se os [[gentios]], ao se converterem ao [[cristianismo]], teriam que adotar algumas das práticas antigas da [[Lei Mosaica]] para poderem ser salvos, inclusive o fazer-se circuncidar:
 
''“Entretanto, haviam descido alguns da [[Judeia]] e começaram a ensinar aos irmãos: ''Se não vos circundardescircuncidardes'' segundo a norma de [[Moisés]], ''não podereis salvar-vos''.”'' (At 15, 1)
 
[[Paulo de Tarso|São Paulo]] ao levar o cristianismo a outros povos ''não'' exigia a [[circuncisão]] desses novos [[cristãos]]. Diante disso os [[presbíteros]] de Jerusalém se reuniram em torno de Tiago para fazer valer a "obrigatoriedade da circuncisão".