Chris Amon: diferenças entre revisões

7 bytes adicionados ,  01h45min de 12 de junho de 2011
m
+predef +limpeza de predef
m (Correção na infobox)
m (+predef +limpeza de predef)
{{Info/Motorista da F1 |
| Name = Chris Amon |
| Image = AmonChris19730706.jpg|thumb|Chris Amon |
| Nationality = {{flagicon|New Zealand}} [[Nova Zelândia|Neozelandesa]] |
| Years = [[1963]] – [[1976]] |
| Team(s) = [[Reg Parnell]], [[Ian Raby Racing]], [[Cooper Car Company|Cooper]], [[Amon]], [[Scuderia Ferrari|Ferrari]], [[March]], [[Matra]], [[Tecno]], [[Tyrrell]], [[BRM]], [[Ensign]], [[Wolf]] |
| Races = 108 (96 largadas) |
| Championships = 0 |
| Wins = 0 |
| Podiums = 11 |
| Poles = 5 |
| Points = 83 |
| Fastest laps = 3 |
| First race = [[Grande Prêmio da Bélgica de 1963 (Fórmula 1)|Grande Prêmio da Bélgica de 1963]] |
| First win = |
| Last win = |
| Last race = [[Grande Prêmio da Alemanha de 1976 (Fórmula 1)|Grande Prêmio da Alemanha de 1976]] |
| }}
'''Christopher Arthur Amon''' ([[Bulls]], [[20 de Julho]] de [[1943]]) é um ex-piloto de [[Fórmula 1]] da Nova Zelândia. Seu pai era um rico agricultor e ele, aos 18 anos, começo a correr conseguindo uma boa reputação como piloto em seu pais. No final de 1962 foi convidado pelo ex-piloto inglês Reg Parnell para correr na Europa. Em 1963 estreou na Formula 1. Em 1964 continuou na equipe de Parnell, tendo se mudado para a McLaren onde permaneceu até o ano seguinte, quando foi contratado pela Ferrari. Em 1966, em dupla com Bruce McLaren vence as 24 Horas de Le Mans. Nos anos seguintes contiunua sem bons resultados na Fórmula 1 apesar de ser reconhecidamente um piloto rápido e de talento. Em 1967 vence, em dupla com [[Lorenzo Bandini]] as 24 Horas de Daytona e as 1000 Milhas de Monza. Sai da Ferrari no final de 1969. Em 1970 corre pela March e no ano seguinte passa para a Matra, carro com o qual consegue sua única vitória a bordo de um carro de Fórmula 1: o Grande Prêmio da Argentina de 1971 que, por ser uma prova extra-campeonato, não entra nas estatísticas da categoria.Em 1973, com a saída da Matra das competições no ano anterior, Amon aceita o convite da Tecno, mas o carro se mostra muito ruim. Cria sua própria equipe, mas o carro, o Amon F101, apesar de bom potencial, se mostra pouco confiável. No final do mesmo ano, aceita o convite da BRM e disputa algumas corridas pela mesma. Em 1975 é contratado por Morris Nunn para desenvolver o carro de sua equipe, o Ensign. O ano de 1975 mostra poucos resultados, mas o ano seguinte começa animador com o 5º lugar na Bélgica e bons desempenhos na Suécia e Inglaterra, onde abandonou por problemas mecânicos. O acidente quase fatal de [[Niki Lauda]] na Alemanha, naquele mesmo ano, faz com que se recuse a largar e acaba demitido da Ensign. Correu as provas finais do campeonato a pedido de Walter Wolf que havia comprado um Willians, mas abandonou definitivamente a Fórmula 1 no final daquele ano.
 
Em seu último ano na Fórmula 1, conheceu quando competia na CanAm um jovem piloto canadense que lhe pareceu muito talentoso, a ponto de recomendar ao seu ex-patrão, [[Enzo Ferrari]], que contratasse o novato. O nome do jovem: [[Gilles Villeneuve]].
 
{{Vencedores das 24 horas de Le Mans}}
{{esboço-biografia}}
{{DEFAULTSORT:Amon, Chris}}
8 642

edições