Diferenças entre edições de "Carro sobre lagarta anfíbio"

1 425 bytes adicionados ,  17h55min de 11 de setembro de 2011
sem resumo de edição
}}
 
O '''Carro sobre Lagarta Anfíbio'''<ref>{{cite web|url=http://www.marcorsyscom.usmc.mil/sites/aav/ |title=Assault Amphibious Vehicle Systems (CLAnfAAVS) |publisher= Marine Corps Systems Command |date=2009-03-19 |accessdate=2010-08-04}}</ref> ('''CLAnf'''), oudesignação oficial '''AAV7A1AAV-7A1''' (anteriormente conhecido como LVT-7) é um [[veículo blindado de transporte de pessoal]] desenvolvido pela [[BAE Systems]] nos [[Estados Unidos da América]]. É empregado, entre outros, pelo [[United States Marine Corps]] (USMC) e pelo [[Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil]] em desembarques anfíbios, dando proteção e mobilidade aos Fuzileiros Navais. Foi inicialmente chamado de LVTP7 e surgiu como substituto do então obsoleto LVTP5.
 
O AAV-7A1 é o transporte anfíbio de [[Soldado|tropas]] atual do [[Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos]] (em inglês: ''United States Marine Corps''). É utilizado pelos [[Batalhões de Assalto Anfíbio]] do USMC para desembarcar as forças de assalto e os seus equipamentos, durante as operações anfíbias para atingir os objetivos terrestres, e para conduzir operações mecanizadas e prover apoio ao combate, em subseqüentes operações mecanizadas em terra. Também são utilizados por outras forças armadas. Os Marines dos EUA os chamam de ''amtracks''.
O AAV7A1 guarda grande similaridade com o veículo de combate de infantaria [[Bradley]]. Pode ser imaginado como uma versão do Bradley, porém anfíbio, feito e pensado para ser desembarcado a alguma distância da costa e dar proteção aos fuzileiros navais e tropas a atacar uma praia.
 
== Histórico de Combate ==
No entanto, cedo se verificou que o veículo, sendo embora eficiente no que diz respeito a proteção durante o desembarque, era muito pouco protegido e blindado, para permitir a sua utilização segura, no decurso de uma operação em que fosse necessário prosseguir para o interior. O principal problema é a vulnerabilidade do veículo a equipamentos como os [[Lança-granadas-foguete|Lança Granada-Foguete]] do tipo RPG-7 e outros. Para reduzir os problema, a blindagem foi redesenhada dando origem ao AAV7-A1, diversas unidades antigas foram atualizadas para o novo padrão.
 
Vinte LVTP-7s construídos nos [[Estados Unidos]], foram utilizados ​​pela [[Argentina]] durante a [[Operação Rosário]] (invasão das [[ilhas Falklands]] em 1982), com todos os veículos retornando para o continente argentino antes do fim da guerra. De 1982 a 1984, os LVT-7s foram implantados com os ''United States Marine Corps'' como parte da [[Força Multinacional no Líbano]]. Conforme os Marines se tornaram cada vez mais envolvidos nas hostilidades, vários veículos sofreram danos menores a partir de estilhaços e pequenas armas de fogo. Em 25 de outubro de [[1983]], os LVT-7s dos USMC realizaram um desembarque anfíbio de grande sucesso na ilha de [[Granada (país)|Granada]], como parte da [[Invasão de Granada|Operação Urgent Fury]]. Foram muito utilizados na [[Guerra do Golfo]] de [[1991]] e na [[Invasão do Iraque em 2003]], e tem sido criticado por oferecer pouca proteção para a tripulação e os soldados, em comparação com outros veículos, como o M2 Bradley. Oito deles foram desativados ou destruídos durante a [[Batalha de Nasiriyah]], onde enfrentaram [[Lança-granadas-foguete|RPGs]], [[Morteiro|morteiros]], [[Carro de combate|carros de combate]], e [[artilharia]]. Pelo menos um veículo foi destruído pelo fogo amigo de aviões de ataque [[A-10 Thunderbolt II|A-10 Warthog]]. AAV-7A1s também foram utilizados ​​extensivamente na [[Unified Task Force]].
 
== {{Ver também}} ==
 
* [[Batalhão de Blindados de Fuzileiros Navais]]
* [[3rd Assault Amphibian Battalion]]
 
== {{Ligações externas}} ==
 
* [http://www.baesystems.com BAE Systems]
* [http://www.marines.com United States Marine Corps]
 
{{Commons category|Amphibious Assault Vehicle}}
 
{{referências}}
 
[[Categoria:Veículos blindados de transporte de pessoal]]
1 605

edições