Diferenças entre edições de "Estilo neomanuelino"

146 bytes adicionados ,  14h11min de 16 de setembro de 2011
 
*[[Estação do Rossio]] em [[Lisboa]] – Edifício concebido pelo arquitecto [[José Luís Monteiro]], em 1886, destinado a ser a estação central de [[Lisboa]], seguindo a tendência europeia de construir estações de caminhos-de-ferro verdadeiramente impressionantes. É constituído por uma espectacular fachada neomanuelina, com arcos, pilastras, contrafortes, platibandas, pináculos e um pequeno torreão com o relógio. Fazem parte do conjunto a cobertura da gare, em arquitectura do ferro, seguindo a estética clássica, e um hotel de luxo, como complemento da estação de caminhos-de-ferro, executado segundo o gosto eclético do final do século XIX.
[[Ficheiro:Gabinete Português de Leitura 3.jpg|thumb|Entrada do [[Gabinete Português de Leitura]], em [[Salvador (Bahia)|Salvador]], [[Brasil]].]]
 
*[[Palácio Hotel do Bussaco]] – No meio da [[Mata Nacional do Buçaco]] e próximo das [[Termas do Luso]], foi pensado para pavilhão de caça dos reis de [[Portugal]] e, posteriormente, em 1888 transformado em hotel, segundo projecto de [[Luigi Manini]]. O conjunto faz justiça ao seu autor, cenógrafo do [[Teatro Nacional de São Carlos]], a opera de [[Lisboa]], devido à profusão de elementos, bem como a uma implantação privilegiada no meio da histórica mata. É claramente inspirado na [[Torre de Belém]] com referências a outros edifício emblemáticos dos séculos XV e XVI, tornando-se um dos principais edifícios neomanuelinos em [[Portugal]], e um verdadeiro hotel de “conto de fadas”. A decoração externa, além de todos os elementos arquitectónicos do estilo, foi completada com importantes painéis de pintura sobre azulejo executados por [[Jorge Colaço]].
 
 
O neomanuelino foi literalmente exportado para algumas exposições universais em [[França]] durante o final do século XIX e inícios do Século XX e para a Exposição Nacional do [[Brasil]] no [[Rio de Janeiro]] em [[1908]], onde existia um Palácio Manuelino.
 
[[Ficheiro:portugues.jpg|right|thumb|160px|[[Fachada]] do ''Liceu Literário Português'', no [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]].]]
 
No [[Brasil]] também há edifícios neomanuelinos, geralmente ligados a instituições fundadas por [[Imigração portuguesa no Brasil|imigrantes portugueses]]. Exemplos são o [[Real Gabinete Português de Leitura]] (1880-1887) e o ''Liceu Literário Português'', no [[Rio de Janeiro]], o ''Centro Português'' de [[Santos]] (1898-1901), o ''Gabinete Português de Leitura'' em [[Salvador (Bahia)|Salvador]] da [[Bahia]] (1915-1918), a mansão Henry Gibson, erguida em 1847 no Recife (Pernambuco), a Igreja de Nossa Senhora da Ajuda em [[Salvador (Bahia)|Salvador]] da [[Bahia]] e alguns outros.
Em África, também existem alguns edificios neomanuelinos construídos durante o período colonial português. Por exemplo, o magnifico ''Museu de História Natural'' de [[Maputo]] ou o Arco do Jardim Tunduru na mesma cidade.
 
 
[[Ficheiro:portugues.jpg|right|thumb|160px|[[Fachada]] do ''Liceu Literário Português'', no [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]].]]
Outros edifícios importantes em estilo neomanuelino em [[Portugal]] são o [[Palácio dos Condes de Castro Guimarães]] em [[Cascais]] (cerca de 1900), os [[Paços do Concelho]] de [[Soure]] (1902-1906), os Paços do Concelho de [[Sintra]] (1906-1909) e muitos outros.
 
 
=={{Ver também}}==