Programa Voyager: diferenças entre revisões

1 byte removido ,  11h09min de 21 de setembro de 2011
Em [[1979]], a Voyager 1 chegou a [[Júpiter (planeta)|Júpiter]], e tirou fotografias impressionantes do planeta. Também estudou a famosa mancha de Júpiter, um [[ciclone]] do tamanho da Terra que começou a girar há 300 anos. A [[NASA]], após a viagem da Voyager 1 a Júpiter, lançou uma missão chamada [[Galileu (sonda espacial)|Galileu ]] lançada 18 de Outubro de 1989 pelo [http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%94nibus_espacial ônibus espacial Atlantis], na missão [[STS-34]]. A sonda chegou a Júpiter no dia 7 de Dezembro de 1995.
 
Em [[1981]], a Voyager 1 chegou a [[Saturno]]. Estudou o planeta e descobriu que ele possui as [[tempestade]]s mais devastadoras já registadas, com [[vento]]s de até 5.000 km/h (10010 vezes mais poderosas que um [[tornado]] de classe [[F5]]). A Voyager 1 também detectou [[hidrocarbonetos]] sob a [[atmosfera]] do [[Satélite natural|satélite]] [[Titã]]. Por esse motivo, em [[2004]] uma sonda de um bilhão dólares foi estudar sua superfície. A missão [[Cassini-Huygens]] detectaria a presença de [[nitrogênio]] em Titã, em [[2006]], o que poderia criar condições favoráveis à existência de vida no satélite.
 
Em [[1988]], a Voyager 2 sobrevoou [[Urano (planeta)|Urano]]. Estudou seus anéis, seus satélites e descobriu que o maior deles, [[Miranda (satélite)|Miranda]], teria sido atingido por um objeto com metade do volume do satélite. Os estilhaços criaram os anéis do planeta. A nave ainda constatou que, em relação aos outros planetas gasosos, a atmosfera de Urano é serena. Não existem tempestades sob suas nuvens. O dia em urano dura 17,232 [[horas]]. Isso porque Urano tem um ângulo de inclinação de quase 90º, e rola sobre sua órbita ao invés de rotacionar ao longo dela. Ou seja, caso Urano pudesse ser habitado, quem morasse na parte escura do planeta, viveria sempre no escuro, e quem vivesse na parte clara viveria sempre sob o Sol.
Utilizador anónimo