Diferenças entre edições de "Balão intragástrico"

1 872 bytes adicionados ,  12h36min de 3 de outubro de 2011
sem resumo de edição
É uma técnica de combate à obesidade que consiste na introdução de um balão inflável de silicone dentro do estômago por via endoscópica, associado a uma leve sedação. Logo após a sua introdução, o balão é inflado com cerca de 500 a 700ml de soro fisiológico, corado com tintura de azul de metileno, com a finalidade de reduzir a capacidade do estômago e a ingestão de alimentos. Trata-se de um procedimento simples e é realizado ambulatorialmente. Não é necessário internação. O tempo de permanência máxima do BIB é de 6 meses (tempo de garantia do fabricante). A retirada do balão é também realizada através de endoscopia, à nivel ambulatorial e com leve sedação.
O Balão Intragástrico é um instrumento médico utilizado há vários anos, com milhares de pacientes em todo o mundo, que é introduzido no estômago por meio de uma endoscopia. Trata-se de um dispositivo que adquire forma esférica após insuflado, assemelhando-se a um balão. Existem dois tipos de Balão Intragástrico disponíveis atualmente, os que são insuflados com ar e os que são insuflados com uma solução de soro fisiológico e azul de metileno esteréis com volume que varia de 400 a 700 ml, dependendo do tamanho da câmara gástrica, da idade do paciente, de sua estatura e sexo. Postula-se que aquele insuflado com ar causa menor desconforto por ser mais leve, mas apresenta maior dificuldade na sua retirada e também não existem meios de se diagnosticar precocemente se ele apresentar vazamentos, fato que não ocorre com os que são preenchidos com a solução de soro fisiológico e azul de metileno, já que este líquido será absorvido pelo organismo, sem causar-lhe prejuízos, e mudará a cor da urina, alertando o paciente. Perfurações ou vazamentos, apesar de raros, são preocupações importantes, visto que se o dispositivo se esvaziar poderá migrar para os intestinos e causar obstruções, demandando cirurgia para sua retirada. A retirada, assim como sua colocação se faz por meio de uma endoscopia, geralmente com sedação assistida por um anestesista, visando a segurança e o conforto do paciente. O tempo médio de procedimento não ultrapassa, na maioria das vezes, 10 a 15 minutos. O dispositivo poderá permanecer com o paciente por cerca de 6 meses, e neste período o mesmo deverá fazer uso de medicação específica que visa proteger o Balão do contato com o ácido do estômago e proteger a mucosa do estômago de eventual irritação pelo contato com o Balão. Neste período os pacientes apresentam perda média de 10 % do seu peso inicial e devem sempre ter suporte e orientações de equipe multi-disciplinar para atingirem e manterem seu objetivo. Após sua retirada, se necessário ou desejado, o paciente poderá discutir com o médico a colocação de outro Balão. As principais indicações deste procedimento são obesos com índice de massa (IMC) extremamente elevados que necessitam de cirurgia, mas não têm condições de realizá-la no momento. Submetem-se ao procedimento, perdem peso e ganham condições para cirurgia. Outra indicação seria pacientes com obesidade mais leve que precisam perder menos peso, e não conseguiram fazê-lo com as medidas habituais. Outra indicação ainda, sendo esta discutível, pois a perda de peso é menor, seria para pacientes com indicação e condições para cirurgia de obesidade mas que não queiram realizá-la. As restrições para seu uso são cirurgias prévias do trato digestivo alto com deformidades da anatomia, doença péptica em atividade como esofagite erosiva, gastrite erosiva, úlceras do esôfago, estômago e duodeno e doenças inflamatórias. Deve-se lembrar que toda indicação para este ou qualquer procedimento deverá sempre ser realizada por profissional experiente.
 
 
 
Mecanismos de ação:
 
Uma vez inflado dentro do estômago, o BIB estimula receptores do fundo gástrico que sinalizam para o sistema nervoso central (cérebro) provocando uma saciedade precoce. O espaço ocupado pelo balão gástrico também age na diminuição da capacidade do reservatório gástrico. Estes dois mecanismos de ação levam a redução do volume de alimentos ingeridos e a conseqüente diminuição do aporte calórico ocasionando a perda de peso e redução da obesidade.
Quem é candidato a colocar o Balão Intragástrico?
 
Pacientes obesos com IMC abaixo de 35 que não respondem a tratamento clínico por mais de três anos;
 
Pacientes obesos com IMC maior que 35 que não apresentam condições de serem submetidos à cirurgia de obesidade por contra-indicação médica;
 
ou ainda aqueles pacientes que não querem se submeter a um procedimento cirúgico embora sejam obesos mórbidos.
Como é colocado o balão?
 
Ao contrário dos outros procedimentos para a obesidade que são cirúrgicos, o balão é colocado através da endoscopia digestiva.
 
É um procedimento ambulatorial no qual o paciente recebe uma leve sedação.
 
É realizada uma endoscopia digestiva para acompanhar o posicionamento do balão dentro do estômago, bem como o seu preenchimento.
 
 
observe o balão vazio dentro do estômago a insuflação é lenta e gradual o volume pode variar entre 400 e 700ml visão final do balão já posicionado e totalmente insuflado
O balão é preenchido com soro fisiológico misturado à um corante azul chamado azul de metileno para, no caso do seu rompimento, detectar imediatamente através da urina que terá sua cor alterada para um tom azulado.
 
Neste caso o balão deverá ser substituído ou retirado, independentemente do tempo em que isto vier a acontecer.
Quais os riscos de colocar o balão?
 
Uma boa avaliação médica, bem como de toda equipe multidisciplinar miniminizam os riscos da colocação e retirada do balão gástrico, que se equivale a um exame rotineiro de endoscopia.
Vou sentir alguma coisa depois?
 
É comum o paciente passar por um período de adaptação.
Nas primeiras horas após a colocação do balão gástrico, alguns pacientes apresentam náusea, vômitos e sensação de peso, que podem causar algum desconforto. Todos estes sintomas são minimizados com a prescrição medicamentosa para cada paciente e deve cessar em até 3 dias.
Então é só colocar o balão e emagrecer?
 
Não existe milagre para a perda de peso e sim a adesão ao tratamento escolhido para obter êxito. Na verdade o balão é como o motor de um carro. Sozinho não faz o carro andar! O automóvel só anda devido a uma engrenagem complexa que impulsiona o seu funcionamento. Haverá uma redução calórica importante na dieta nutricional, orientada para o paciente com mudanças dos hábitos alimentares. É nesta reeducação alimentar que se baseia todo o tratamento do balão intragástrico. É um processo lento, trabalhoso e de muita perseverança que necessita da colaboração e o comprometimento pleno do paciente.
 
Mas quanto tempo vou ficar com o balão?
 
A vida média do balão é de 6 meses .
E para retirar o balão?
 
A retirada do balão é realizada através de endoscopia onde o balão é esvaziado no interior do estômago e retirado com instrumentos especiais através do esôfago. Após, o paciente deve continuar fazendo acompanhado com a equipe multidisciplinar, psicóloga, nutricionista e endocrinologista para a manutenção do peso.
"O paciente com obesidade deve ser acompanhado por toda sua vida para que os resultados de qualquer tratamento escolhido seja satisfatório, tendo em vista que a obesidade é uma doença de caráter crônico."
A TÉCNICA DE COLOCAÇÃO DO BALÃO INTRAGÁSTRICO:
 
O paciente é submetido a uma sedação leve igual ao procedimento de uma endoscopia digestiva. O anestesiologista monitoriza a função cardíaca e respiratória, para seu conforto e segurança durante o procedimento da colocação do balão gástrico.
 
O BIB antes de ser colocado
 
Introduzido por via oral...
 
até atingir a posição ideal...
 
quando é insuflado...
 
faz-se a retirada da sonda...
 
e o balão fica posicionado
no fundo gástrico.
 
O BIB flutuando livremente no estômago
{{esboço-medicina}}
 
Utilizador anónimo