Diferenças entre edições de "Human Nature (canção de Michael Jackson)"

retirando links vermelhos.
m (moveu Human Nature (Michael Jackson) para Human Nature (canção de Michael Jackson) sob redirecionamento: padronização de título)
(retirando links vermelhos.)
'''"Human Nature"''' é uma [[canção]] de [[Pop]]/[[R&B]] do famoso [[cantor]] e [[compositor]] [[Estados Unidos|norte-americano]] [[Michael Jackson]], composta por Steve Porcaro e [[John Bettis]]. Foi produzida por [[Quincy Jones]] e pelo próprio Jackson para o sexto álbum solo do cantor, ''[[Thriller]]'', de [[1982]]. Inicialmente Porcaro havia gravado uma [[Demo tape|fita demo]] da canção, que deu para Jones - que por sua vez conseguiu incluir a [[balada]] no álbum, como a última a ser selecionada, substituindo "Carousel" na listagem final.
 
"Human Nature" foi lançada em [[3 de julho]] de [[1983]] como o quinto [[single]] do álbum, e conseguiu chegar à segunda posição na [[parada de sucesso]] ''Hot Adult Contemporary'' da [[revista]] americana ''[[Billboard]]'', e sétimo lugar no [[Hot 100]], tornando-se o quinto [[Hit (música)|hit]] de Jackson a chegar aos Top 10. A balada também conseguiu avaliações positivas de diversos [[Crítico musical|críticos]], e inúmeros artistas fizeram suas versões da canção, como [[Miles Davis]], [[Nas]], [[Boyz II Men]] e os [[brasil]]eiros [[Waly Salomão]] e [[Jorge Salomão]], que fizeram uma versão em [[língua portuguesa|português]] da música, "Natureza Humana", cantada por [[Dulce Quental]] no disco ''Délica'', de 1986.<ref>[http://www.cliquemusic.com.br/artistas/artistas.asp?Status=DISCO&Nu_Disco=8427 Délica - Dulce Quental] Cliquemusic, acessado em 9 de julho de 2009</ref>
 
== Composição e gravação ==
"Human Nature" foi composta por Steve Porcaro, da banda [[Toto (banda)|Toto]], e [[John Bettis]], para o álbum ''[[Thriller]]'', de Michael. Inicialmente Porcaro havia gravado uma [[Demo (música)tape|demo]] bruta da música numa [[fita cassete]];<ref name="halstead 144">Halstead, p. 144</ref> Seu companheiro de banda [[David Paich]] deu então a fita, que continha mais outras duas canções de sua autoria, a Quincy Jones, com a esperança de inclui-la no álbum.<ref name="halstead 144"/> Jones não gostou das músicas de Paich, porém gostou de "Human Nature"; segundo ele, "De repente, no final, há todo aquele silêncio, e então: ''why, why, dah dah da-dum dah dah, why, why''. Só uma letra boba, e uma coisa bem esquelética - eu tenho arrepios só de falar dela. Disse: 'É para aí que eu quero que a gente vá, porque ela tem um sabor tão maravilhoso'."<ref name="Thriller book 13">Thriller 25: The Book, p. 13</ref> "[[Human Nature]]" foi a última canção a ser selecionada para o álbum, tirando "Carousel" da lista final de faixas.<ref name="halstead 144"/> Recentemente a música foi gravada pela cantora brasileira [[Ivete Sangalo]] a canção esta no seu décimo primeiro álbume gravado em 4 de Setembro de 2010 ,[[Multishow ao Vivo: Ivete Sangalo no Madison Square Garden]].
 
== Lançamento e recepção ==
{{quote box|width=29%|align=left|quote=Um modelo para as baladas de [[new jack swing]] e [[hip hop]]-[[soul]], "Human Nature" é mais lenta e mais íntima do que as outras canções de "Thriller". ''"If this town is just an apple, let me take a bite"'', canta a voz trêmula de Jackson sobre um [[sintetizador]] em cascada e uma [[linha de baixo]] penetrante. Embora tenha sido composta por Bettis e Porcaro, as letras estavam em sintonia com a ânsia de Jackson em se libertar de sua torre de celebridade e se misturar com os jovens numa "cidade que pisca o seu olho insone."|source=Serena Kim, ''[[The Standard-Times (New Bedford)|South Coast Today]]''.<ref name="kim">{{Cite news|last=Powers|first=Ann|title=Nine reasons why Jackson masterpiece remains a 'Thriller'|url=http://www.southcoasttoday.com/apps/pbcs.dll/article?AID=/20080215/LIFE/802150316|publisher=''[[The Standard-Times (New Bedford)|South Coast Today]]''|date=15 de fevereiro de 2008|accessdate=11-4-2009}}</ref>}}
"Human Nature" foi lançado em [[3 de julho]] de [[1983]] como quinto single de ''Thriller''.<ref name="halstead 144"/> A canção obteve um sucesso moderado nas paradas de sucesso dos [[Estados Unidos]],<ref name="halstead 144"/> chegando à segunda posição da ''Hot Adult Contemporary'' na ''[[Billboard]]'' e sétima na [[Hot 100]]; tornou-se o quinto single de ''Thriller'' a atingir as dez primeiras posições.<ref name="George 39">George, p. 39</ref><ref name="Jacksons captivated JFK Stadium">{{citar web|url=http://digitalnewspapers.libraries.psu.edu/Default/Skins/BasicArch/Client.asp?Skin=BasicArch&&AppName=2&enter=true&BaseHref=DCG/1984/09/07&EntityId=Ar02400|título=Jacksons captivated JFK Stadium|nome=Borza, Michael J.|data=7 de setembro de 1984|publicado=''[[The Daily Collegian (Penn State)|The Daily Collegian]]''|acessodata=11 de abril de 2009}}</ref> "Human Nature" figurou na posição de número 27 na [[parada de singles R&B]]<ref name="George 39"/>
 
John Rockwell, do [[jornal]] americano ''[[The New York Times]]'', declarou que "Human Nature" era uma "balada perturbadora e taciturna", com um refrão "irresistível".<ref name="Michael Jackson's 'Thriller': Superb Job">{{citar web|url=http://www.nytimes.com/1982/12/19/arts/michael-jackson-s-thriller-superb-job.html?sec=&spon=&pagewanted=all|título=Michael Jackson's 'Thriller': Superb Job|nome = Rockwell, John|data=19 de dezembro de 1982|publicado=''[[The New York Times]]''|acessodata=11 de abril de 2009}}</ref> O [[site]] [[Allmusic]] aponta que a "gentil e adorável" "Human Nature" coexistia confortavelmente com a "durona e amedrontada" "[[Beat It]]",<ref name="allmusic review">{{citar web|url=http://www.allmusic.com/cg/amg.dll?p=amg&sql=10:w9fixq95ld6e|título=Allmusic's 'Thriller' Review|nome=Erlewine, Stephen Thomas|publicado=[[Allmusic]]|acessodata=11-4-2009}}</ref> e posteriormente a descreveu como um "rock suave".<ref name="allmusic review2">{{citar web|url=http://www.allmusic.com/cg/amg.dll?p=amg&sql=10:w9fwxzejldke~T1|título=Allmusic's ''Thriller 25'' review|acessodata=11 de abril de 2009|publicado=Allmusic}}</ref> Analisando o álbum ''Thriller'', a revista ''[[Slant (revista)|Slant]]'' expressou sua apreciação pela canção, declarando que era "provavelmente a melhor composição musical do álbum, e seguramente uma das únicas baladas de A/C de sua época que merecem ser recordadas".<ref name="Slant's 'Thriller' review">{{citar web|url=http://www.slantmagazine.com/music/music_review.asp?ID=358|título=Slant's 'Thriller' review|nome=Henderson, Eric|publicado=[[Slant (revista)|Slant]] |data=2003 |acessodata=11-4-2009}}</ref> A revista também acrescentou que as "[[harmonia]]s a[[manteiga]]das" da faixa eram poderosas.<ref name="Slant's 'Thriller' review"/> A revista ''[[Stylus (revista)|Stylus]]'' também louvou a canção, descrevendo-a como a "mais suave das baladas",<ref name="stylus">{{citar web|url=http://www.stylusmagazine.com/articles/diamond/michael-jackson-thriller.htm|título=Thriller - The Diamond|acessodata=21 de fevereiro de 2009|publicado=[[Stylus (revista)|Stylus]]}}</ref> e que a música "faz pouco para incorporar a mensagem da canção", acolchoando a "voz vítrea" de Jackson em "sintetizadores enevoados e baterias abafadas".<ref name="stylus"/>
 
<!-- {{Escute|arquivo=Michael Jackson - Human Nature.ogg|título="Human Nature"|descrição="Human Nature" foi descrita como "a mais suave das baladas" pela revista ''Stylus''.}}-->
Bill Lamb, do site [[About.com]], analisou a faixa 25 anos depois de seu lançamento. Em sua opinião, a canção "estabeleceu um modelo do que se tornaria o R&B adulto."<ref name="About.com T25">{{citar web|nome= Lamb, Bill|url=http://top40.about.com/od/albums/fr/mjacksonthril25.htm|título=About.com's Thriller 25 review|publicado=[[About.com]]|data=|acessodata= 11-4-2009}}</ref> Todd Gilchrist, numa crítica de 2008 do site [[IGN]] explicou que os elementos de "Human Nature" funcionavam melhor hoje em dia do que faziam à época de sua composição, acrescentando que isso pode ser porque, em sua opinião, o R&B moderno "é uma porcaria".<ref name="IGN T25">{{citar web|nome=Gilchrist, Todd|url=http://uk.music.ign.com/articles/850/850483p2.html|título=IGN's Thriller 25 review|publicado=[[IGN]]|data=|acessodata=11-4-2009}}</ref> Tom Ewing, crítico da [[Pitchfork Media]], descreveu a canção com "derretidamente afetuosa", e a [[MTV]] acrescentou definindo-a como uma "balada etérea".<ref name="Pitchfork Media T25">{{citar web|nome= Ewing, Tom|url=http://www.pitchforkmedia.com/article/record_review/48645-thriller-25th-anniversary-edition|título=Pitchfork Media's Thriller 25 review|publicado=[[Pitchfork Media]]|data=11 de abril de 2008|acessodata=21-2-2009}}</ref><ref name="MTV">{{citar web|url=http://www.mtv.com/music/artist/jackson_michael/artist.jhtml|título=Michael Jackson biography|publicado=[[MTV]]|acessodata=11-4-2009}}</ref> A revista ''[[Rolling Stone]]'' alegou que a canção, que descreveu como "lindamente frágil", era tão aberta e corajosa que fez "[[She's Out of My Life]]" parecer falsa.<ref name="Rolling Stone T25">{{citar web|nome=Sheffield, Rob|url=http://www.rollingstone.com/reviews/album/18290476/review/18305830/thriller_25_deluxe_edition|título=Rolling Stone's Thriller 25 review|publicado=''[[Rolling Stone]]''|data=|acessodata=11-4-2009}}</ref> O jornal ''[[Los Angeles Times]]'' concluiu que era a interpretação de Michael que fazia a "balada média" decolar.<ref name="Michael Jackson's 'Thriller' turns 25">{{citar web|url=http://www.latimes.com/news/nationworld/nation/ny-etlede5572856feb12,1,7023998.story?page=2|título=Michael Jackson's 'Thriller' turns 25|nome=Gamboa, Glenn|data=12 de fevereiro de 2008|publicado=''[[Los Angeles Times]]''|acessodata=11-4-2009}}</ref>