Diferenças entre edições de "Orquídea"

49 bytes removidos ,  11h44min de 18 de novembro de 2011
Desfeita a edição 27672951 de 187.127.164.60 (discussão | contribs)
(Desfeita a edição 27672951 de 187.127.164.60 (discussão | contribs))
Embora sua distribuição seja bastante irregular, as orquídeas são encontradas praticamente em todas as regiões do [[planeta]], com exceção da [[Antártida]]. Devido a grande [[distribuição geográfica]], é natural que um grupo tão diverso também apresente adaptações aos mais diferentes [[clima]]s, bem como a multiplicidade dos [[polinização|agentes polinizadores]] presentes em cada região.<ref name="D1"><span style="font-variant:small-caps">Dressler, Robert L.</span> (1981). The Orchids: Natural History and Classification. Harvard University Press. ISBN 0-674-87525-7.</ref> Trata-se de uma família em ativo [[evolução|ciclo evolutivo]] e seus [[género (biologia)|gêneros]] mais próximos cruzam-se com certa facilidade na natureza, desafiando o antigo conceito botânico em que uma espécie é formada por todos os [[indivíduo]]s capazes de cruzar com a produção de [[descendente]]s [[fértil|férteis]].<ref><span style="font-variant:small-caps">de Queiroz, K.</span> (2005). Ernst Mayr and the modern concept of species in Proc. Natl. Acad. Sci. U.S.A. volume 102 Suppl.1 pp. 6600–7 [http://www.pnas.org/cgi/pmidlookup?view=long&pmid=15851674 pmid=15851674]</ref>
 
A predominância das espécies ocorre nas regiões tropicais, notavelmente porenasnas áreas montanhosas, que representam barreiras naturais e isolam as diversas populações de plantas. Algumas áreas principais são as ilhas e a área continental do [[sudeste asiático]] e a região das montanhas da [[Colômbia]] e [[Equador]] onde se pode encontrar um grande número de espécies, devido ao isolamento das espécies pelas diversas ilhas ou separadas pelas cadeias de [[montanha]]s, ocasionando elevado número de [[endemia|endemismos]]. O terceiro local em [[diversidade]] possivelmente é a [[mata Atlântica]] brasileira com mais de mil e quinhentas espécies.<ref name="Pabst"><span style="font-variant:small-caps">Guido Pabst & Fritz Dungs</span> (1975) Orchidaceae Brasilienses vol. 1, Brucke-Verlag Kurt Schmersow, Hildesheim. ISBN 3871050106</ref> Outras áreas importantes são as montanhas ao sul do [[Himalaia]] na [[Índia]] e [[China]], as montanhas da [[América Central]] e o sudeste africano, notadamente a ilha de [[Madagascar]].
 
A [[Colombia]] é o país onde existe o maior número de espécies registradas, chegando ao número de 4&nbsp;010,<ref name="KewC"><span style="font-variant:small-caps"> Sarmiento, J. 2007. La Familia Orchidaceae en Colombia. Actual Biol (Supl. 1): 84.</ref>,imediatamente seguido pelo [[Ecuador]], com 3&nbsp;549,<ref name="KewC"><span style="font-variant:small-caps"> R. Govaerts, M.A. Campacci (Brazil, 2005), D. Holland Baptista (Brazil, 2005), P.Cribb (K, 2003), Alex George (K, 2003), K.Kreuz (2004, Europe), J.Wood (K, 2003, Europe)</span> World Checklist of Orchidaceae. The Board of Trustees of the Royal Botanic Gardens, Kew. Checklists by region and Botanical countries.[http://www.kew.org/wcsp/ Publicada na Internet] acessada em 26 de Dezembro de 2008.</ref>, [[Nova Guiné]], com 2&nbsp;717,<ref name="KewC"/> e [[Brasil]], que totaliza 2&nbsp;590.<ref name="KewC"/> Entre outros, [[Borneu]], [[Sumatra]], [[Madagascar]], [[Venezuela]] e [[Costa Rica]], são países com elevado número de espécies.<ref name="Kew"><span style="font-variant:small-caps"> R. Govaerts, M.A. Campacci (Brazil, 2005), D. Holland Baptista (Brazil, 2005), P.Cribb (K, 2003), Alex George (K, 2003), K.Kreuz (2004, Europe), J.Wood (K, 2003, Europe)</span> World Checklist of Orchidaceae. The Board of Trustees of the Royal Botanic Gardens, Kew. [http://www.kew.org/wcsp/ Publicada na Internet] acessada em 26 de Dezembro de 2008.</ref>
Podemos dividir de maneira grosseira a presença de orquídeas pelos [[continente]]s do seguinte modo:<ref name="Atwood"><span style="font-variant:small-caps">J.T. Atwood</span> (1986). The size of the Orchidaceae and the systematic ditribution of epiphytic orchids. Selbyana 9, 171-86.</ref>
 
* [[Eurásia]] - entre 4000040 e 600060 gêneros
* [[América do Norte]] - entre 200020 e 300030 gêneros
* [[América Latina]] e [[Caribe]] - entre 300 e 35000000000000350 gêneros
* [[África]] tropical - entre 125 e 150 gêneros
* [[Ásia]] tropical - entre 25000250 e 30000300 gêneros
* [[Oceania]] - entre 500000050 e 70000000070 gêneros
 
Os tipos de orquídeas que predominam em cada uma dessas áreas também são muito variáveis. Nas regiões tropicais úmidas, onde a [ wsdsds[luz]] e apa [[umidade]] são abundantes, porém a competição com espécies arbóreas é muito forte, as orquídeas assumem um hábito predominantemente epifítico.<ref name="FBHOEHNE"/> Em busca de luz sob a sombra de árvores de mais de até 40040 metros de altura, estas ervas crescem sobre os [[galho]]s e [[tronco]]s, a alturas variadas de acordo com as necessidades de cada espécie. Suas [[raíz]]es, expostas ao [[ar]], obtêm a maior parte dos [[nutriente]]s do material em [[decomposição]] ao seu redor, da água da [[chuva]] que lava as folhas das árvores no alto, ou da [[poeira]] existente no ar. Entremeado ao [[Velame (botânica)|velame]], existe um [[fungo]] chamado [[micorriza]] que auxilia na decomposição de [[matéria orgânica]] e na transformação desta em [[sais minerais]], para facilitar sua absorção. Em casos extremos de umidade, as orquídeas podem absorver a [[água]] e os [[nutrientes]] pelos [[poro]]s em suas folhas, relegando as raízes apenas a função de sustentar a planta sobre o [[substrato]]. Nenhuma orquídea assume a função de [[parasita]], ou seja, sua presença não prejudica seus [[hospedeiro]]s embora haja casos excepcionais em que o galho de uma [[árvore]] não suporte o peso de uma grande [[Colónia (biologia)|colônia]] de orquídeas e venha a quebrar. Há também muitas espécies [[terrestre]]s, algumas destas, nas regiões tropicais, mantêm-se em desenvolvimento constante durante todo o ano.<ref name="FBHOEHNE"/> A grande quantidade de [[matéria orgânica]] disponível no [[solo]] da floresta favorece o surgimento de algumas poucas espécies [[saprófita]]s, orquídeas desprovidas de [[clorofila]] que obtêm toda a matéria orgânica de que precisam do material em [[decomposição]] ao seu redor.
 
Em regiões de clima temperado, onde a [[relva]] é predominante, ou em regiões de secas como as áreas de [[savana]] e os [[campo rupestre|campos rupestres]], as orquídeas são basicamente plantas [[terrestre]]s, com raízes subterrâneas bem desenvolvidas, às vezes com a formação de [[tubérculo]]s equipando-as para resistirem ao [[frio]] e à [[neve]], ou à [[seca]] prolongada e ao fogo.<ref name="SAO"><span style="font-variant:small-caps">Karsten H. K. Wodrich e A. A. Balkema.</span> (1997). Growing South African Indigenous Orchids. ISBN 978-90-5410-650-0.</ref> O frio congelaria as espécies [[epífita]]s que não têm raízes abrigadas para armazenarem os [[nutriente]]s necessários para a brotação na [[primavera]]. Também o [[fogo]] consumiria inteiramente as plantas epífitas. Nestas áreas de clima sazonal, as plantas normalmente passam por um estágio de [[dormência]], em que, muitas vezes, sua parte aérea seca para evitar danos à sua [[fisiologia]] devido à seca, ou ao frio extremo.
22 741

edições