Diferenças entre edições de "Silabário"

23 bytes adicionados ,  15h44min de 16 de dezembro de 2011
sem resumo de edição
m (r2.7.1) (Robô: A adicionar: hi:अक्षर माला)
{{Sem-fontes|data=março de 2011| angola=| arte=| Brasil=| ciência=| geografia=| música=| Portugal=| sociedade=|1=|2=|3=|4=|5=|6=}}
{{Sistemas de escrita}}
Um '''silabário''' é um conjunto de [[símbolo]]s de escrita que representam (ou aproximam) [[sílaba]]s que compõem [[palavra]]s. Um símbolo num silabário representa tipicamente um som [[consoante]] opcional seguido por um som [[vogal]]. Num silabário verdadeiro não existe nenhuma semelhança gráfica sistemática entre caracteres foneticamente relacionados (se bem que alguns possuam uma semelhança gráfica para as vogais). Isto é: os caracteres para "te", "ta" e "to" não têm uma semelhança que indique a sua t-ice. Isto é diferente de um [[abugida]], em que cada [[grafema]] representa tipicamente uma sílaba, mas onde caracteres que representam sons relacionados são graficamente semelhantes (tipicamente, uma base consonântica comum é alterada de uma forma mais ou menos consistente para representar a vogal da sílaba).
 
A [[língua japonesa]] usa dois silabários, o [[hiragana]] e o [[katakana]] (desenvolvidos cerca do ano [[700]]). São usados principalmente para escrever algumas palavras e elementos gramaticais nativos, bem como palavras importadas (por exemplo: hotel é ''ho-te-ru'' em japonês). Uma vez que o japonês usa muitas sílabas de tipo CV (consonante + vogal), um silabário adequa-se bem à escrita da língua. (Por vezes sugere-se que os [[kana]] japoneses deveriam ser chamados escrita moraica e não silabários, visto que se baseiam em [[Mora (lingüísticalinguística)|morae]] e não em [[sílaba]]s. No entanto, na época em que os kana se desenvolveram, o japonês era ainda uma língua marcada por sílabas, e por isso o nome não é inteiramente inadequado.)
 
A língua portuguesa, por outro lado, permite estruturas silábicas mais complexas, tornando problemático escrevê-la com um silabário. Para escrever português com um silabário, cada sílaba possível de uma palavra portuguesa teria de possuir um símbolo separado. Portanto, seria necessário ter símbolos separados para "ca", "ce", "cal", "cai", "can", "cen", "ci", "cin", "cau", etc., etc.
122 465

edições