Abrir menu principal

Wikipédia β

Alterações

Hipóstase

3 439 bytes adicionados, há 6 anos
+conteúdo e fontes
{{ambox
{{sem-fontes}}
|tipo=estilo
{{Ver desambig| este= Filosofia| o livro Gnóstico| Hipóstase dos Arcontes}}
|imagem=[[Ficheiro:NoFonti.svg|40px|center|link=Wikipedia:Verificabilidade]]
|texto='''{{#if: |{{{1}}}|Este {{#switch:{{NAMESPACE}}|#default=artigo|{{ns:102}}=anexo}} ou se(c)ção}} cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto{{#if:|''' <small>(desde {{{data}}}).|.'''}}</small><br/><small>Por favor, <span class="plainlinks">[{{fullurl:{{FULLPAGENAME}}|action=edit}} melhore]</span> este artigo providenciando mais [[Wikipedia:Fontes fiáveis|fontes fiáveis]] e independentes, [[Wikipedia:Livro de estilo/Cite as fontes|inserindo-as]] em [[Wikipedia:Livro de estilo/Notas de rodapé|notas de rodapé]] ou no corpo do texto, nos locais indicados.<br/><small>{{Encontre fontes}}</small>}}{{
#switch: {{NAMESPACE}}
|{{ns:0}}
|{{ns:102}}={{Manutenção/Categorizando por assunto
|que carecem de notas de rodapé| data=| arte=| Brasil=| ciência=| geografia=| música=| Portugal=| sociedade=||||||}}
}}
{{Ver desambig| este= o termo filosófico e teológico| o livro gnóstico| Hipóstase dos Arcontes}}
 
'''Hipóstase''', do({{lang-grc|{{politônico|ὑπόστᾰσις}}}} grego- ''hypostasis'',) significa subsistência, realidade. No [[cristianismo]], o uso da palavra está vinculado à discussão sobre a [[Santíssima Trindade|Trindade]] e à [[cristologia]].
 
O termo ainda é utilizado em [[grego moderno]] com o significado de "existência", juntamente com o termo {{politônico|ὕπαρξις}} (''hýparxis'') e {{politônico|τρόπος ὑπάρξεως}} (''tropos hypárxeos''), este último significando "existência individual".
Na [[filosofia]] de [[Plotino]], Deus se deriva em três hipóstases - [[uno]], [[nous]] (inteligência) e [[alma]] -, que ele comparava, respectivamente, à luz, ao sol e à lua. Mas o termo foi utilizada por diferentes tradições filosóficas com significados totalmente diferentes daquele adotado por Plotino. Também é encontrado entre os [[gnósticos]]. Um dos livros da [[biblioteca de Nag Hammadi]] se chama "''A [[Hipóstase dos Arcontes]]''".
 
== Teologia cristã ==
Contemporaneamente, designa um equívoco cognitivo que consiste na atribuição de existência concreta a uma realidade fictícia, abstrata, presente apenas na razão humana.
Nos [[concílio ecumênico|concílios ecumênicos]], a terminologia do termo foi clarificada e padronizada para que a fórmula "Três hipóstases em uma ''[[ousia]]'' (essência)" fosse aceita como a [[:wikt:epítome|epítome]] da doutrina ortodoxa sobre a Trindade: de que o [[Deus Pai|Pai]], o [[Deus Filho|Filho]] e o [[Espírito Santo]] são três diferentes hipóstases em uma única divindade. A palavra também é utilizada para se referir à divindade de Cristo, na chamada [[união hipostática]] de suas naturezas - divina e humana - em uma única hipóstase.
 
A palavra em si foi tema de grande controvérsia e confusão ao longo dos anos, especialmente no debate entre os [[críticas ao trinitarismo|críticos da doutrina da Trindade]] e seus defensores.
 
=== Cristianismo primitivo ===
No artigo [[Questões de Método]] que serve de Introdução ao livro [[Crítica da Razão dialética]] do filósofo francês [[Jean-Paul Sartre]] podemos obter um bom exemplo do emprego contemporaneo do termo hipóstase.
Nas obras do [[cristianismo primitivo]], o termo é utilizado para denotar o "ser" ou a "realidade substantiva" e nem sempre é possível distinguir seu significado do da palavras ''[[ousia]]'' (essência). Ele foi utilizado desta forma por [[Tatiano]], [[Orígenes]] e no [[anátema]] anexo ao [[Credo de Niceia]] (325).
 
=== Concílios ecumênicos ===
"Para alguns, ''a'' Filosofia aparece como um meio homogêneo: os pensamentos nascem e morrem nele, os sistemas nele se edificam para nele desmoronar. Outros consideram-na como uma certa atitude cuja adoção estaria sempre ao alcance de nossa liberdade. Ainda para outros, é vista como determinado setor da cultura. Em nossa opinião, ''a'' Filosfia ''não existe''; sob qualquer forma que seja considerada, essa sombra da ciência, essa eminência parada da humanidade não passa de uma abstração [[hipostasiada]]. De fato, existem ''várias'' filosofias. Ou melhor - porque nunca encontrareis, em determinado momento mais do que ''uma'' que seja viva -, em certas circunstâncias bem definidas, ''uma'' filosofia se constitui para dar expressão ao movimento geral da sociedade; e, enquanto vive, é ela que serve de meio cultural aos contemporâneos. Esse objeto desconcertante apresenta-se, ''simultaneamente'' sob aspectos profundamente distintos, cuja unificação opera constantemente."
Foi principalmente sob a influência dos [[Padres Capadócios]] que a terminologia foi padronizada para ser utilizada na definição ortodoxa da Trindade. Este consenso, porém, não foi conquistado facilmente. Os teólogos no ocidente traduziam ''"hypo-stasis"'' como ''"sub-stantia"'' (substância) e entendiam que os teólogos orientais, quando falavam em "três hipóstases" na divindade estariam falando de três "substâncias", gerando confusão e acusações de [[triteísmo]]. A partir de meados do século IV em diante, a palavra passou a ser contrastada com ''ousia'' e utilizada para significar "realidade individual", especialmente nos contextos [[trinitarismo|trinitários]] e cristológicos.
 
== Filosofia ==
Na [[filosofia]] de [[Plotino]], Deus se deriva em três hipóstases - [[uno]], [[nous]] (inteligência) e [[alma]] -, que ele comparava, respectivamente, à luz, ao sol e à lua. Mas o termo foi utilizada por diferentes tradições filosóficas com significados totalmente diferentes daquele adotado por Plotino. Também é encontrado entre os [[gnósticos]]. Um dos livros da [[biblioteca de Nag Hammadi]] se chama "''A [[Hipóstase dos Arcontes]]''".
 
No artigo [[Questões de Método]], que serve de Introdução ao livro [[Crítica da Razão Dialética]], do filósofo francês [[Jean-Paul Sartre]], podemos obter um bom exemplo do emprego contemporaneo do termo hipóstase:
{{citação2|Para alguns, ''a'' Filosofia aparece como um meio homogêneo: os pensamentos nascem e morrem nele, os sistemas nele se edificam para nele desmoronar. Outros consideram-na como uma certa atitude cuja adoção estaria sempre ao alcance de nossa liberdade. Ainda para outros, é vista como determinado setor da cultura. Em nossa opinião, ''a'' Filosfia ''não existe''; sob qualquer forma que seja considerada, essa sombra da ciência, essa eminência parada da humanidade não passa de uma abstração [[hipostasiada]]. De fato, existem ''várias'' filosofias. Ou melhor - porque nunca encontrareis, em determinado momento mais do que ''uma'' que seja viva -, em certas circunstâncias bem definidas, ''uma'' filosofia se constitui para dar expressão ao movimento geral da sociedade; e, enquanto vive, é ela que serve de meio cultural aos contemporâneos. Esse objeto desconcertante apresenta-se, ''simultaneamente'' sob aspectos profundamente distintos, cuja unificação opera constantemente.|[[Crítica da Razão Dialética]]|[[Jean-Paul Sartre]]}}
 
Nesse parágrafo, Sartre demonstra como a idéia de ''uma'' Filosofia, normalmente designada por nós como ''a'' Filosofia, na verdade, só existe em nossa mente. O que a história demonstra é que cada período possuí a sua filosofia, não podendo unificar tudo isso ao nome de ''a'' Filosofia.
 
== {{Ver também}} ==
{{esboço-filosofia}}
* [[Prosopon]] - o termo "pessoa" na teologia cristã.
 
== {{Ligações externas}} ==
* {{1913CE|Hypostatic Union}}
* {{1913CE|Person}}
 
[[Categoria:Conceitos filosóficos]]
[[Categoria:Teologia cristã]]
[[Categoria:Termos cristãos]]
[[Categoria:Filosofia cristã]]
 
[[ar:أقنوم]]