Diferenças entre edições de "Linguagem"

Sem alteração do tamanho ,  03h13min de 5 de janeiro de 2012
Quando se fala da linguagem como um conceito geral, várias definições diferentes podem ser utilizadas ​​para salientar diferentes aspectos do fenômeno<ref name="Lyons"/>. Estas definições implicam também diferentes abordagens e entendimentos da linguagem, distinguindo as diversas escolas da teoria linguística.
 
=== Faculdade mentamental, órgão do corpo ou instinto ===
Uma outra definição vê a linguagem primordialmente como a [[mente|faculdade mental]] que permite aos seres humanos realizarem qualquer tipo comportamento linguístico: aprender [[língua naturaisnatural|línguas]], produzir e compreender enunciados. Esta definição realça a universalidade da linguagem entre todos os seres humanos, destacando as bases biológicas da capacidade humana para a linguagem como um desenvolvimento exclusivo do [[cérebro humano]]<ref name="Pinker"> [[Steven Pinker]]. ''O instinto da linguagem''. São Paulo: Martins Fontes, 2002;</ref><ref>[[Folha de São Paulo]]. [Ouça quem está falando http://www1.folha.uol.com.br/folha/sinapse/ult1063u542.shtml]. Sinapse On line (26/08/2003);</ref>. Este ponto de vista entender a linguagem como uma propensão inata do ser humano para a linguagem. Exemplos podem ser a [[gramática universal]] de [[Noam Chomsky]] ou a [[teoria inatista]] de [[Jerry Fodor]]. Esses tipos de definições são muitas vezes aplicados nos estudos da linguagem no quadro das [[ciência cognitiva|ciências cognitivas]] e da [[neurolinguística]].
 
== Origens da linguagem humana ==
514

edições