Diferenças entre edições de "Linguagem"

1 559 bytes adicionados ,  03h49min de 5 de janeiro de 2012
 
=== Sistema simbólico formal ===
Outra definição vê a linguagem como um sistema formal de [[signos]], regidos por regras [[gramática|gramaticais]] que quando combinadas geram significados. Esta definição enfatiza o fato de que as línguas humanas podem ser descritas como sistemas estruturais fechados constituídos de regras que relacionam sinais específicos com significados específicos. Esta visão [[Estruturalismo|estruturalista]] da linguagem foi primeiramente introduzido por [[Ferdinand de Saussure]], sendo seu estruturalismo fundamental para a maioria das abordagens da [[linguística]] atual. Alguns defensores deste ponto de vista têm defendido uma abordagem formal para estudar as estruturas da linguagem, privilegiando assim a formulação de regras abstratas subjacentes que podem ser entendidas para gerar ​estruturas linguísticas observáveis. O principal proponente de tal teoria é [[Noam Chomsky]], que define a linguagem como um conjunto particular de frases que podem ser gerados a partir de um determinado conjunto de regras<ref>[[Noam Chomsky]]. ''Syntactic Structures'' . Hague: Mouton, 1957;</ref>. O ponto de vista estruturalista é comumente usado na [[lógica formal]], na [[semiótica]], e em teorias da [[gramática formal]] - mais comumente utilizado nos quadros teóricos da [[gramática descritiva]]. Na [[filosofia da linguagem]], esses pontos de vista estão associados com filósofos como [[Bertrand Russell]], as primeiras obras de [[Ludwig Wittgenstein]], [[Alfred Tarski]] e [[Gottlob Frege]].
 
=== Ferramenta para comunicação ===
Ainda outra definição vê a linguagem como um sistema de [[comunicação]] que permite aos seres humanos o compartilhamento de sentidos. Esta definição realça a função social da linguagem e o fato de que o homem utiliza-na para se expressar e para manipular objetos em seu ambiente. As teorias da gramática funcional explicam as estruturas gramaticais por suas funções comunicativas, e compreende as estruturas gramaticais da linguagem como o resultado de um processo adaptativo pelo qual a gramática foi feita "sob medida" a fim de atender as necessidades comunicativas de seus usuários. Este ponto de vista da linguagem está associado ao estudo da linguagem na [[pragmática]], na [[linguística cognitiva]] e interacional, bem como na [[sociolinguística]] e na [[linguística antropológica]]. As teorias funcionalistas tendem a estudar gramática como um fenômeno dinâmico, com estruturas que estão sempre em processo de mudança, dependendo de como são empregados por seus falantes. Esta visão leva ao estudo da [[tipologia linguística]], como pode ser mostrado que os processos de gramaticalização que tendem a seguir trajetórias que são parcialmente dependentes de tipologia. Na [[filosofia da linguagem]] esses pontos de vista são frequentemente associados com as obras posteriores de [[Ludwig Wittgenstein]] e com os filósofos da linguagem ordinária, como [[George Edward Moore|GE Moore]], [[Paul Grice]], [[John Searle]] e [[John Langshaw Austin|John Austin]].
 
== Origens da linguagem humana ==
514

edições