Giacomo Puccini: diferenças entre revisões

1 538 bytes adicionados ,  22h17min de 5 de janeiro de 2012
sem resumo de edição
== Biografia ==
[[Ficheiro:PucciniBirthplace.jpg|thumb|Local de nascimento de Puccini, retratado em 1984.]]
'''Giacomo Puccini''' nasceu em Lucca na [[Toscana]], em uma família de cinco gerações de história de música, incluíndo o seu familiar Domenico Puccini. Filho de Michele Puccini (1813-1864) e Albina Magi (1830-1884). Seu pai morreu quando Giacomo tinha apenas cinco anos de idade e ele foi enviado para estudar com seu tio Fortunato Magi, que considerou ele como um estudante pobre e indisciplinado. Magi sempre prejudicava seu sobrinho no seu contrato como maestro do coral de Lucca, pois Puccini iria substituir seu tio quando tivesse idade. Puccini nunca assimiu o lugar de seu tio como organista da igreja e maestro do coral de Lucca. Quando ele tinha 17 anos ele assistiu uma aprsentação da ópera [[Aida]] de [[Giuseppe Verdi]] e viu-se inspirado em compor óperas. Ele e seu irmão, Michele, caminharam 30 km para ver a performance em [[Pisa]].
Foi batizado na cidade toscana de Lucca com seis prenomes: ''Giacomo Antonio Domenico Michele Secondo Maria Puccini''. Era o sexto de nove filhos de Michele Puccini (1813-1864) e Albina Magi (1830-1884).
 
Em 1880, com a ajuda de um familiar e uma doação, Puccini ingressou no [[Conservatório de Milão]] para estudar composição com Stefano Ronchetti-Monteviti, [[Amilcare Ponchielli]] e Antonoi Bazzini. No mesmo ano, aos 21 anos, ele compôs a ''Messa'', que marcou a grande associação de sua família com a música gospel. Apesar do título da obra se referir a uma Missa Ordinária Católica, atualmente o trabalho é popularmente conhecido como ''Messa di Gloria'', um nome que técnicamente refere-se apenas as duas orações da missa: o [[Kyrie]] e o [[Gloria]], enquanto omite o [[Credo]], o [[Sanctus]] e o [[Agnus Dei]].
Assim como a família [[Johann Sebastian Bach|Bach]], a família Puccini produziu [[músico]]s por várias gerações (entre os quais, [[Domenico Puccini]]), especialmente músicos de igreja. Seus antepassados foram organistas da igreja de São Martinho em Lucca, o cargo tendo passado de pai para filho na família Puccini desde o [[século XVIII]]. Dizem que seu pai, Michele, já estava à procura dos nomes femininos mais feios que pudesse encontrar: Puccini teve cinco irmãs que nasceram antes dele. Em 1858, contudo, o tão esperado filho homem nasceu, e foi batizado com seis prenomes. Depois de Giacomo, sua mãe Albina Magi deu à luz outro menino, que recebeu o nome de Michele.
 
''Messa''O trabalho antecipa a carreira de Puccini como um compositor de óperaóperas, oferecendomostrando na ''Messa'' vislumbres dado forçapoder dramáticadramático que logoele brotariaviria noa palco,trazer aos palcos; as poderosas "árias" para tenor e baixo solistas são certamente mais operísticas do que éas habitualmúsicas nanormalmente músicavistas denas igrejaigrejas e, na suaa orquestração e forçao dramática,poder dramático compara a sua ''Messa'' assemelha-secom deo forma interessante com ''[[Requiem (Verdi)|Requiem]]'' de Verdi.
Giacomo estudou [[Órgão (instrumento musical)|órgão]] com o pai até que este morreu, em [[1864]], quando Puccini ainda não havia completado seis anos de idade. Para seguir a tradição secular da cidade de Lucca, o governo municipal decretou que Giacomo herdaria o cargo do pai, que foi desempenhado por diversos professores que repartiam com a viúva os modestos vencimentos anuais. Puccini continuou seus estudos de órgão com seu tio, Fortunato Magi, que o considerava um estudante pobre e indisciplinado, e com Carlo Angeloni. Aos dez anos de idade começou a cantar no [[Grupo coral|coro]] da igreja. Puccini parecia destinado a seguir a tradição da família e ser um simples músico de igreja, até que um dia, em 1876, aos 18 anos, ele ouviu a [[Aida]] de [[Verdi]], que despertou nele um tal fogo, uma tal paixão, que ele percebeu em si mesmo um instinto musical que levava naturalmente à [[composição musical|composição]] de óperas. Ele e seu irmão Michele haviam caminhado 30 km até [[Pisa]] par assistir a apresentação. Conseguiu então uma bolsa de estudos da rainha [[Margarida de Saboia, rainha de Itália|Margherita]] e, com um pouco de ajuda financeira do tio, entrou para o [[Conservatório de Milão]], onde foi aluno de [[Amilcare Ponchielli]] e [[Antonio Bazzini]]. No mesmo ano, na idade de 21 anos, ele compôs ''Messa'', que marca o ponto culminante da longa associação da sua família com a [[música cristã|música de igreja]] em sua Lucca nativa. Embora o próprio Puccini corretamente tenha intitulado o trabalho de ''Messa'', referindo-se a uma definição da liturgia da Missa Católica, hoje o trabalho é popularmente conhecido como ''Messa di Gloria'', um nome que, tecnicamente, se refere a uma definição de apenas as duas primeiras partes da missa, o [[Kyrie]] e o [[Gloria in Excelsis Deo|Glória]], omitindo o [[Credo]], o [[Sanctus]] e os [[Agnus Dei]]. Graduou-se em 1883 com o [[Capriccio Sinfonico]], peça que parecia anunciar um compositor de [[sinfonia]]s, tamanho o brilho de sua [[orquestração]].
 
Enquanto estudava no Conservatório, Puccini obreve um libretto de Ferdinando Fontana e entrou em uma competição de óperas em um ato, em 1882. Embora que não tivesse ganho, [[Le Villi]] foi performada no Teatro Dal Verme em 1884 e chamou a atenção de Giulio Ricordi, chefe da G. Ricordi & Co., que pediu ao compositor para compor sua segunda ópera, [[Edgar (ópera)|Edgar]] em 1889. ''Edgar'' falou: tinha uma péssima história com um pobre libretto de Fontana. Este pode ter tido um efeito sobre os pensamentos de Puccini, pois quando ele começou a compor sua terceira ópera, [[Manon Lescaut]], ele anunciou que seria escrita com um próprio libretto e não "de um tolo libretista"<ref>Carner, ''Puccini: A Critical Biography'', p. ??</ref>. Ricordi persuadiu Puccini a aceitar [[Ruggiero Leoncavallo]] como seu libretista, mas Puccini pediu para Ricordi removê-lo do projeto. Quatro outros libretistas foram envolvidos com a ópera, pelo fato de Giacomo mudar de ideia constantemente sobre a estrutura da ópera. Foi quase que por acaso que no final do segundo ato, Illica e Giacosa, reuniram-se para completar a ópera. Eles permaneceram juntos com Puccini nas três seguintes óperas do compositor e provavelmente, nos maiores sucessos deles: La bohème, Tosca e Madama Butterfly.
''Messa'' antecipa a carreira de Puccini como um compositor de ópera, oferecendo vislumbres da força dramática que logo brotaria no palco, as poderosas "árias" para tenor e baixo solistas são certamente mais operísticas do que é habitual na música de igreja e, na sua orquestração e força dramática, ''Messa'' assemelha-se de forma interessante com ''[[Requiem (Verdi)|Requiem]]'' de Verdi.
 
Pode ter sido o fracasso de Edgar que fez Puccini mudar tantas vezes de ideia, Edgar quase lhe custou a carreira. Puccini se envolveu com a casada Elvira Gemignani e os associados de Ricordi fizeram vistas grossas ao estilo de vida, desde que ele fosse bem sucedido. Quando Edgar foi um fracasso, sugeriram a Ricordi que deveriam tirar Puccini, mas Ricordi dise que ele estivar com Puccini e pagou o compositor com seu próprio dinheiro até sua ópera seguinte. Manon Lescaut foi um grande sucesso e Puccini tornou-se o líder operístico da época.
Enquanto estudava no conservatório, Puccini obteve um [[libreto]] de [[Ferdinando Fontana]] e entrou em uma competição para uma ópera de um ato em 1882. Embora não tenha vencido, ''[[Le Villi]]'' mais tarde foi encenada em 1884 no [[Teatro Dal Verme]] e chamou a atenção de [[Giulio Ricordi]], diretor da editora de música [[Casa Ricordi|G. Ricordi & Co.]], que lhe encomendou uma segunda ópera, ''[[Edgar (ópera)|Edgar]]'', em 1889. Esta segunda ópera foi friamente recebida quando estreou no [[Teatro Scala]] de [[Milão]] na primavera de 1889. Essas duas primeiras óperas são as únicas de Puccini que são raramente encenadas hoje em dia.
 
==Puccini na Torre del Lago==
[[Ficheiro:Puccini1908.jpg|thumb|O compositor Giacomo Puccini, em um estúdio de fotos. Fotografia em preto e branco.]]
A partir de 1891, Puccini passou a maior parte do seu tempo em Torre del Lago, uma pequena comunidade a quinze milhas de Lucca, situada entre o Mar Ligurian e o Lago Massaciuccoli, ao sul de Viareggio. Enquanto alugava uma casa lá, ele passava seu tempo caçando, mas regularmente visitava Lucca.
 
Em 1900 ele adquiriu uma propriedade e construiu uma vila no lago, atualmente conhecida como ''"Villa Museo Puccini"''. Ele viveu lá até 1921, quando a poluição produzida por uma turfa forçou sua mudança para Viareggio, poucos quilômetros ao norte. Após sua morte, um mausoléo foi criado na Villa Puccini e o compositor foi enterrado na capela, ao lado de sua esposa e filho, que morreram depois.
Sua terceira ópera, [[Manon Lescaut]], que estreou no [[Teatro Regio]] de [[Turim]] a [[1 de fevereiro]] de [[1893]], foi um sucesso estrepitoso, apesar da ousadia de Puccini, que utilizou uma história sobre a qual o compositor francês [[Jules Massenet]] já havia composto uma ópera poucos anos antes e que havia se tornado um sucesso internacional. O editor Giulio Ricordi tentou demovê-lo da idéia, obviamente arriscada, do ponto de vista financeiro, mas Puccini era teimoso. "Massenet trata a [[Manon]] como um francês, com [[minueto]]s e [[pó-de-arroz]]; eu vou tratá-la como um italiano, com paixão desesperada." "Por que não duas óperas? Uma mulher como Manon pode ter mais de um amante." E de fato, os instintos do compositor se provaram acertados, embora tenha gente que prefira a ''Manon'' de Massenet, mais romântica e sentimental, à de Puccini, mais quente e sensual. Massenet chegou a mover ação na justiça contra Puccini, mas no final ficou decidido que a ópera de Massenet se chamaria simplesmente Manon, enquanto que a de Puccini seria ''Manon Lescaut'', para evitar confusão entre as duas.
 
===Óperas Escritas na Torre del Lago===
A quarta ópera de Puccini, [[La Bohème]], estreou também no Teatro Regio de Turim, em 1896, sob a regência de [[Arturo Toscanini]], que se tornaria amigo de Puccini pelo resto da vida.
* [[Manon Lescaut]] (1893), sua terceira ópera, foi seu primeiro grande sucesso. Foi o início de sua memorável relação com os libretistas Luigi Illica e Giuseppe Giacosa, que colaboraram com ele em suas três óperas seguintes, que tornaram-se suas três óperas de maior sucesso e mais interpretadas. São elas:
* [[La Bohème]] (1896), é considerada um dos melhores trabalhos como também uma das óperas mais românticas já compostas. Junto com Tosca, é uma das óperas mais populares da história.
* [[Tosca]] (1900), foi sem dúvida a primeira ópera de Puccini ingressando no verismo, uma representação realista de fatos da vida real, incluíndo violência. A ópera foi considerada de maior importância na história da ópera, por causa de muitas características significantes.
* [[Madama Butterfly]] (1904) foi inicialmente recebida com hostilidade (organizada pelos seus rivais) mas, após alguns melhoramentos, tornou-se outro grande sucesso.
Após 1904, composições foram menos frequentes. Seguindo sua paixão por carros rápidos, Puccini se envolveu em um acidente em 1903. Em 1906 Giacosa morreu e em 1909 houve um grande escândalo, pois a esposa do compositor, Elvira, acusou falsamente Puccini de ter caso com sua empregada, Doria Manfredi. A empregada cometeu suicídio logo depois da acusação. Elvira foi processada pelos Manfredis e Giacomo teve que pagar uma quantia em dinheiro. Finalmente em 1912 a morte de Giulio Ricordi, editor de Puccini, terminou o período produtivo de sua carreira.
 
Entretanto, Puccini completou [[La fanciulla del West]] em 1910 e finalmente a partitura de [[La rondine]] em 1916. Em 1918, [[Il trittico]] foi apresentada em [[Nova Iorque]]. Esse trabalhou foi uma ópera em três atos: um episódio horroroso ([[Il tabarro]]), no estilo parisiense [[Grand Guignol]], uma tragédia sentimental ([[Suor Angelica]]) e uma comédia ([[Gianni Schicchi]]). Das três, ''Gianni Schicchi'' é a parte mais popular, tendo uma ária conhecida popularmente: "[[O mio babbino caro]]".
A quinta, [[Tosca]], estreou em [[Roma]], em [[1900]], e também causou sensação. Em [[1905]], Puccini visitou a [[Argentina]]. Um dos motivos dessa viagem pode ter sido investigar a morte de seu irmão, Michele, que ocorrera naquele país, anos antes, em circunstâncias até hoje não esclarecidas. Em [[1907]], viajou para os [[Estados Unidos]], para a estréia americana de sua sexta ópera, [[Madama Butterfly]], que se deu no [[Metropolitan Opera House]] de [[Nova York]] a 22 de fevereiro, com a presença do compositor.
[[Ficheiro:Puccini1908.jpg|thumb|left|O compositor Giacomo Puccini, em um estúdio de fotos. Fotografia em preto e branco.]]
==Últimos Anos==
Um fumante inveterado de [[charuto]]s e cigarros de Toscano, Puccini começou a se queixar de dor de garganta crônica no final de 1923. Um diagnóstico de [[câncer de garganta]] levou os médicos a recomendar um tratamento novo e experimental: [[radioterapia]], que estava sendo oferecido em [[Bruxelas]]. Puccini e sua esposa nunca souberam o quão sério era o câncer, sendo que a notícia só foi revelada ao filho do compositor.
 
Puccini morreu dia 29 de novembro de 1924, por complicações no tratamento: uma hemorragia descontrolada levou-o a um ataque cardíaco, apenas um dia após a sua cirurgia. Notícias sobre sua morte chegaram a [[Roma]] durante uma performance de La bohème. A ópera foi imediatamente interrompida e a orquestra tocou a [[Sonata n.º 2 (Chopin)|Marcha Fúnebre]] de [[Frédéric Chopin]]. Ele foi enterrado em Milão, na cova da família Toscanini, temporariamente. Em 1926 seu filho transferiu o corpo do pai para a capela recém terminada na Torre del Lago.
A próxima ópera de Puccini, [[La Fanciulla del West]], mostra influência de [[Debussy]] e [[Richard Strauss]]. Estreou no Metropolitan de Nova York em [[1910]], também sob a regência de Toscanini. Puccini estava em Nova York, na ocasião, numa segunda visita aos Estados Unidos, mas não compareceu à estréia.
 
Turandot, sua última ópera, foi deixada inacabada e as duas últimas cenas foram completas por Franco Alfano, baseada nos escritos do compositor.
Puccini comprou uma casa de campo em [[Torre del Lago]], onde se instalou com sua esposa, Elvira Gemignani, com quem se casara em [[1904]]. A relação dos dois foi turbulenta. Ela era ciumenta e um pouco paranóica. Acusou a empregada dos Puccini, uma moça chamada Doria Manfredi, de manter relações íntimas com o compositor, e passou a infernizar a vida da pobre garota, que acabou cometendo suicídio em 1909, bebendo veneno na cozinha dos Puccini. Uma autópsia no corpo da garota mostrou que ela era virgem, provando assim a inocência de Puccini, mas a Senhora Puccini foi parar na cadeia e obrigada a pagar uma alta soma em indenização à família da infeliz garota. Daria para compor uma ópera sobre essa tragédia pessoal, mas Puccini se absteve.
 
Quando [[Arturo Toscanini]] conduziu a performance de estreia, em abril de 1926 (na frente de um teatro lotado e com a presença do ilustre italiano [[Benito Mussolini]]), ele decidiu não interpretar a parte de Alfano. A performance foi parada na parte em que Puccini compôs. O maestro virou para o público e disse: "Aqui a ópera terminou, porque nesse ponto o maestro morreu". (Alguns dizem que ele foi mais poeta e disse: Aqui o maestro abaixou sua caneta). Alguns jornalistas interpretaram a atitude de Toscanini como um gesto de desaprovação da contribuição de Alfano. Em 2009, William Hartson, no ''Daily Express'' disse a seus leitores com grande autoridade que "Toscanini nunca conduziu Turandot novamente". De fato, ele conduziu novamente nas duas noites seguintes, inclusive a parte de Alfano, em um total de três performances.
Em 1924, Puccini foi diagnosticado com [[câncer]] na garganta, e seguiu para [[Bruxelas]] para tratamento, onde morreu, a [[29 de novembro]] do mesmo ano, deixando inacabada sua última ópera, [[Turandot]].
 
Em 2002, um novo oficial final foi composto por Luciano Berio, a partir dos rascunhos originais, mas essa versão é raramente interpretada.
 
== Política ==
1 762

edições