Diferenças entre edições de "Linguagem"

20 bytes adicionados ,  01h03min de 10 de janeiro de 2012
As teorias sobre a origem da linguagem podem ser divididas segundo algumas premissas básicas. Algumas teorias sustentam a ideia de que a linguagem é tão complexa que os especialistas não conseguem imaginar que simplesmente apareceu do nada na sua forma final, mas que ela deve ter evoluído a partir de um sistema pré-linguístico anterior existente entre os nossos ancestrais pré-humanos. Essas teorias podem ser chamadas de ''teorias baseadas na continuidade''. O ponto de vista oposto afirma que a linguagem é um traço humano único, que não pode ser comparado a qualquer coisa encontrada entre os não-humanos e que deve, portanto, têm aparecido repentinamente na transição entre os pré-hominídeos e o homem primitivo. Essas teorias podem ser definidos como a ''teoria da descontinuidade''. Da mesma forma, algumas teorias vêem a linguagem em sua maioria como uma faculdade inata que é em grande parte geneticamente codificado, enquanto outros a vêem como um sistema que é em grande parte cultural, que se aprende através da interação social<ref>[[Ciência Hoje]]. [http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=48580&op=all A origem da linguagem humana]. 19/04/2011;</ref>. Atualmente, o único defensor proeminente da teoria da descontinuidade é [[Noam Chomsky]]<ref>[[Superinteressante]]. [http://super.abril.com.br/cultura/dentro-cabeca-noam-chomsky-443820.shtml Dentro da cabeça de Noam Chonsky]. Maio, 2003;</ref>. De acordo com ele, "alguma mutação aleatória ocorreu, talvez depois de algum chuveiro de raios cósmicos estranhos. O cérebro foi reorganizado, implantando assim um órgão da linguagem num cérebro primata". Acautelando-se a fim dessa história não ser tomada literalmente, Chomsky insiste que ela "pode ​​ser mais próximo da realidade do que muitos outros contos de fadas que são contadas sobre processos evolutivos, incluindo a linguagem"<ref>[[Noam Chomsky]]. ''Arquitetura da linguagem''. São Paulo: Edusc, 2008;</ref>. As teorias baseadas na continuidade são tidas atualmente pela maioria dos estudiosos, mas elas variam na forma como encaram esse desenvolvimento. Aqueles que vêem a linguagem como sendo principalmente inata, como [[Steven Pinker]] por exemplo, mantém como precedentes a [[Inteligência animal|cognição animal]], enquanto aqueles que vêem a linguagem como uma ferramenta de comunicação socialmente aprendido, como [[Michael Tomasello]] vê-na como tendo desenvolvido a partir da comunicação animal<ref name="SAGAN_EDEN"/>, da comunicação gestual<ref>[[Superinteressante]]. [http://super.abril.com.br/ciencia/primeiras-formas-linguagem-eh-443463.shtml As primeiras formas de linguagem. Éh?]. Novembro, 2002;</ref> ou ainda da comunicação vocal. Há ainda outros modelos de continuidade que vêem a linguagem sendo desenvolvida a partir da [[música]]<ref>[[The Economist]]. [http://www.economist.com/node/18557572?story_id=18557572 Babel or babble?]. Abril, 2011;</ref>.
 
Uma vez que o surgimento da linguagem está localizada no início da pré-história do [[homem]], os desenvolvimentos relevantes na língua não deixaram vestígios histórico direto, nem muito menos existe a possibilidade de processos similares serem observados hoje. Teorias que dão ênfase a continuidade muitas vezes olham para os animais a fim de ver se, por exemplo, os [[primatas]] mostram qualquer traço que pode ser visto como análogo a alguma tipo de linguagem que os pré-humanos utilizaram. Alternativamente, os primeiros fósseis humanos podem ser inspecionado para procurar vestígios de adaptação física para usar a linguagem ou com alguns traços pré-linguístico. Atualmente, é indiscutível que em sua maioria, os pré-humanos [[australopithecus]] não tinham sistemas de comunicação significativamente diferentes daqueles encontrados nos [[Símio antropomorfo|símios]] em geral, mas as opiniões na academia variam quanto à evolução desde o aparecimento do [[Homo]], cerca de 2,5 milhões de anos atrás. Alguns estudiosos assumem o desenvolvimento de sistemas primitivos de linguagem (proto-língua) tão cedo quanto o [[Homo habilis]], enquanto outros colocam o desenvolvimento da comunicação simbólica primitiva apenas com o [[Homo erectus]] (1,8 milhões de anos atrás) ou o [[Homo heidelbergensis]] (0,6 milhões de anos atrás). O desenvolvimento da linguagem como a conhecemos estaria com o [[Homo sapiens sapiens]], há menos de 100.000 anos atrás, na [[África]]<ref>{{citar notícia|url=http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/04/africa-teria-sido-berco-de-toda-linguagem-humana.html|titulo=África teria sido berço de toda linguagem humana|ultimo=[[G1]]|data=15 mai 2011}}</ref>. Análise linguística usadas por Johanna Nichols , [[linguista]] da [[Universidade da Califórnia]], [[Berkeley]], estimou que o tempo necessário para atingir a atual difusão e diversidade nas línguas modernas, aponta que a linguagem vocal surgiu, pelo menos, há 100.000 anos atrás<ref>Bower, Bruce (11 June 1994). [http://findarticles.com/p/articles/mi_m1200/is_n24_v145/ai_15517386/?tag=content;col1 Talking back in time; prehistoric origins of language attract new data and debate - language evolution]. Science News on Bnet (Technology Industry). CBS Interactive News Service;</ref>.
 
== Funções da linguagem ==
514

edições