Abrir menu principal

Alterações

172 bytes removidos, 02h41min de 25 de janeiro de 2012
m
Checkwiki + ajustes
!G4
|-
| [[ImagemFicheiro:G4 Nations.svg|300px]]
; [[Imagem:Flag of Germany.svg|25px]]{{DEUb}} [[Alemanha]]
: [[Angela Merkel]]
 
; [[Imagem:Flag of Brazil.svg|25px]]{{BRAb}} [[Brasil]]
: [[Dilma Rousseff]]
 
; [[Imagem:Flag of India.svg|25px]]{{INDb}} [[Índia]]
: [[Manmohan Singh]]
 
; [[Imagem:Flag of Japan.svg|25px]]{{JPNb}} [[Japão]]
: [[Yoshihiko Noda]]
|}
O '''G4''' é uma aliança entre [[Alemanha]], [[Brasil]], [[Índia]] e [[Japão]] com a proposta de apoiar as propostas uns dos outros para ingressar em lugares permanentes no [[Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas|Conselho de Segurança]] das [[Organização das Nações Unidas|Nações Unidas]]. Diferentemente de outras alianças similares como o [[G7]] e o [[G8]], onde o denominador comum é a [[economia]] ou motivos [[política|políticos]] a longo termo, o objetivo é apenas buscar um lugar permanente no Conselho.
 
A ONU possui atualmente cinco membros permanentes com poder de [[veto]] no Conselho de Segurança: [[República Popular da China|China]], [[Estados Unidos da América|Estados Unidos]], [[França]], [[Reino Unido]] e [[Rússia]].
 
Enquanto quase todas as nações concordam com o princípio que a [[ONU]] precisa de uma reforma que inclui expansão, poucos países desejam negociar ''quando'' a reorganização deve acontecer. Também há descontentamento entre os membros permanentes atuais quanto à inclusão de nações controversas ou países não apoiados por eles. Por exemplo, a [[República Popular da China]] é contra a entrada do [[Japão]] e a [[Alemanha]] não recebe apoio dos [[EUA]].
 
A [[França]] e o [[Reino Unido]] anunciaram que apoiam as reivindicações do G4, principalmente o ingresso da [[Alemanha]] e do [[Brasil]]. Uma questão importante são os países vizinhos (com chances menores de ingressar) aos que propõem a entrada que frequentemente são contra os esforços do G4: o [[Paquistão]] é contra a entrada da Índia; a [[Coréia do Sul]] e a [[República Popular da China|China]] são contra o Japão; a [[Argentina]] e o [[México]] são contra o [[Brasil]] e a [[Itália]] é contra a [[Alemanha]]; formando um grupo que ficou conhecido como [[Coffee Club]], contra a expansão do Conselho por aqueles que a propõem.
 
Em [[4 de agosto]] de [[2005]] foi anunciado que a China e os EUA entraram em acordo para bloquear a proposta do G4 .<ref>[http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=10000087&sid=aWnfrcQ19azc&refer=top_world_news]</ref>.
 
O [[Japão]] deixou, formalmente, o Grupo dos Quatro (G4) em [[6 de janeiro]] de [[2006]], depois de ter criticado a nova proposta apresentada por [[Brasil]], [[Alemanha]] e [[Índia]] para reformar o Conselho de Segurança da ONU. O país considera que a mesma tem escassas possibilidades de obter os apoios necessários. Essas críticas complicaram o ambiente no grupo que, até então, tinha uma causa comum.
 
Porém o [[Japão]] parece ter voltado atrás na sua decisão, pois em julho de [[2007]] ele se reuniu com o grupo em [[Nova Iorque]] para discutir a reforma do [[Conselho de Segurança das Nações Unidas]].
 
{{ref-sectionReferências}}
 
== {{Ver também}} ==
{{G4}}
 
{{DEFAULTSORT:Nacoes G4}}
[[Categoria:G4]]
 
718 366

edições