Diferenças entre edições de "Capela de Nossa Senhora do Monte (Santarém)"

m
Checkwiki + ajustes
m (Checkwiki + ajustes)
[[ImagemFicheiro:Capela de Nossa Senhora do Monte (Santarém) 001.jpg|thumb|rightdireita|400px|Vista geral da fachada principal.]]
 
A '''Capela de Nossa Senhora do Monte''', situada na zona extra-muros da cidade de [[Santarém (Portugal)|Santarém]], na freguesia de [[São Salvador (Santarém)|São Salvador]], é um pequeno templo [[Gótico em Portugal|gótico]] datado do século XII. A capela esteve integrada numa [[gafaria]], que aqui esteve instalada até ao século XVII. Este templo é [[Monumento Nacional]] desde 1917.
 
== História ==
A capela pertenceu, pelo menos desde 1191, à [[Igreja de Santa Maria da Alcáçova (Santarém)|Real Colegiada de Nossa Senhora da Alcáçova]], tendo ficado em meados do século seguinte na posse dos [[lepra|leprosos]] da cidade, cujo hospital, '''Hospital e Gafaria de São Lázaro''', para aqui foi transferido no início do século XIV. Este hospital, instituído por [[D. Afonso II]], estava até aí instalado na [[Castelo de Santarém|Alcáçova]], junto do antigo [[Paço Real de Santarém|Paço Real]], local do qual se retirou devido a uma contenda judicial com os [[cónego|cónegos]] de [[Igrejas de Santa Maria da Alcáçova (Santarém)|Santa Maria da Alcáçova]]. A capela manter-se-ia na posse da Gafaria até 1611, quando o Hospital e todo o seu património passaram a ser administrados pela [[Santa Casa da Misericórdia de Santarém|Santa Casa da Misericórdia]].
 
Quando ainda se encontrava sob administração da Gafaria, a capela sofreu algumas alterações que modificaram a sua primitiva traça [[Gótico em Portugal|gótica]], tendo sido definidas a planta de [[nave (arquitectura)|nave]] única e a [[cabeceira]] [[abóbada|abobadada]] em dois tramos. Foram também encontrados alguns vestígios da uma intervenção [[século XV|quatrocentista]], que em termos estruturais terá resultado numa provável ampliação do espaço e, segundo alguns autores, na alteração do [[arco triunfal]] e da [[abóbada]] da [[capela-mor]].
A capela pertenceu, pelo menos desde 1191, à [[Igreja de Santa Maria da Alcáçova (Santarém)|Real Colegiada de Nossa Senhora da Alcáçova]], tendo ficado em meados do século seguinte na posse dos [[lepra|leprosos]] da cidade, cujo hospital, '''Hospital e Gafaria de São Lázaro''', para aqui foi transferido no início do século XIV. Este hospital, instituído por [[D. Afonso II]], estava até aí instalado na [[Castelo de Santarém|Alcáçova]], junto do antigo [[Paço Real de Santarém|Paço Real]], local do qual se retirou devido a uma contenda judicial com os [[cónego|cónegos]] de [[Igreja de Santa Maria da Alcáçova (Santarém)|Santa Maria da Alcáçova]]. A capela manter-se-ia na posse da Gafaria até 1611, quando o Hospital e todo o seu património passaram a ser administrados pela [[Santa Casa da Misericórdia de Santarém|Santa Casa da Misericórdia]].
 
De particular relevância são as duas grandes campanhas do século XVI. Da primeira, [[estilo manuelino|manuelina]], resultou o belo [[nicho]] de recorte [[arte mudejar|mudéjar]], com imagem [[século XVI|quinhentista]] da [[Maria, mãe de Jesus|Virgem]], e talvez uma porta lateral em arco trilobado. Na mesma altura fez-se sepultar, em campa rasa brasonada, o cavaleiro [[Duarte Sodré]], vedor de [[Manuel I de Portugal|D. Manuel]]. Das restantes intervenções [[século XVI|quinhentistas]], de meados do século resultou a construção do [[alpendre]] corrido, ocupando duas fachadas da capela, a sul a e poente, e abrindo para o portal principal, substituído alguns anos mais tarde (de 1548 a 1553), em campanha patrocinada por [[D. Lopo de Sousa Coutinho]], provedor da [[Santa Casa da Misericórdia de Santarém|Misericórdia]]. Ainda no mesmo século, em 1555, houve lugar para a reforma promovida por outro provedor do Hospital, Aires Lopo de Sequeira, construindo-se o portal sul e os assentos do [[coro (arquitectura)|coro]], de gosto [[Maneirismo em Portugal|maneirista]]. Já sob a administração da [[Santa Casa da Misericórdia de Santarém|Misericórdia]], em 1623, foi executado o [[púlpito]] e os revestimentos [[azulejo|azulejares]] [[século XVII|seiscentistas]] em lambril.
Quando ainda se encontrava sob administração da Gafaria, a capela sofreu algumas alterações que modificaram a sua primitiva traça [[Gótico em Portugal|gótica]], tendo sido definidas a planta de [[nave (arquitectura)|nave]] única e a [[cabeceira]] [[abóbada|abobadada]] em dois tramos. Foram também encontrados alguns vestígios da uma intervenção [[século XV|quatrocentista]], que em termos estruturais terá resultado numa provável ampliação do espaço e, segundo alguns autores, na alteração do [[arco triunfal]] e da [[abóbada]] da [[capela-mor]].
 
== Arquitectura e Arte ==
De particular relevância são as duas grandes campanhas do século XVI. Da primeira, [[estilo manuelino|manuelina]], resultou o belo [[nicho]] de recorte [[arte mudejar|mudéjar]], com imagem [[século XVI|quinhentista]] da [[Maria, mãe de Jesus|Virgem]], e talvez uma porta lateral em arco trilobado. Na mesma altura fez-se sepultar, em campa rasa brasonada, o cavaleiro [[Duarte Sodré]], vedor de [[Manuel I de Portugal|D. Manuel]]. Das restantes intervenções [[século XVI|quinhentistas]], de meados do século resultou a construção do [[alpendre]] corrido, ocupando duas fachadas da capela, a sul a e poente, e abrindo para o portal principal, substituído alguns anos mais tarde (de 1548 a 1553), em campanha patrocinada por [[D. Lopo de Sousa Coutinho]], provedor da [[Santa Casa da Misericórdia de Santarém|Misericórdia]]. Ainda no mesmo século, em 1555, houve lugar para a reforma promovida por outro provedor do Hospital, Aires Lopo de Sequeira, construindo-se o portal sul e os assentos do [[coro (arquitectura)|coro]], de gosto [[Maneirismo em Portugal|maneirista]]. Já sob a administração da [[Santa Casa da Misericórdia de Santarém|Misericórdia]], em 1623, foi executado o [[púlpito]] e os revestimentos [[azulejo|azulejares]] [[século XVII|seiscentistas]] em lambril.
[[ImagemFicheiro:Capela de Nossa Senhora do Monte (Santarém) 002.jpg|thumb|rightdireita|300px|Interior da capela.]]
Na fachada norte, abre-se uma [[edícula]] de arco gomado e golpeado, sob pequenas colunas [[capitel|capitelizadas]]izadas, preenchida com uma escultura de pedra, [[século XVI|quinhentista]], que representa a [[Maria, mãe de Jesus|Virgem]]. Esta fachada é rasgada ao centro por um [[pórtico]] trilobado. Quer a fachada oeste, quer a posterior, são rasgadas por pequenas [[rosácea (arquitectura)|rosáceas]], sendo a primeira das fachadas em empena, encimada por uma cruz em pedra. O [[alpendre]] é constituído por uma série de elegantes colunas com [[capitel|capitéis]] compósitos, de longas folhagens sobrepujadas por ábaco com volutas e cabeças de anjos, florões ou grifos, revelando conhecimentos de fórmulas clássicas da [[Renascimento|Renascença]] [[Itália|italiana]], bem como a influência particular da obra de [[João de Castilho]].
 
O interior é de uma só [[nave (arquitectura)|nave]], encontrando-se o corpo da [[sacristia]] adossado ao lado norte da [[capela-mor]]. As paredes da [[nave (arquitectura)|nave]] são corridas por um silhar de [[azulejo|azulejos]]s [[século XVII|seiscentistas]], do tipo padrão. Da construção [[século XV|quatrocentista]] subsistem o [[arco triunfal]], de [[arco ogival|ogiva]], e a [[abóbada]] da [[capela-mor]], de dois tramos separados por ogiva de aresta viva. Na parede do lado do evangelho rasga-se uma porta [[Gótico em Portugal|gótica]] que dá acesso à [[sacristia]]. O [[coro (arquitectura)|coro]], que ocupa a largura do corpo da capela, é sustentado por colunas [[classicismo|clássicas]] de [[capitel|capitéis]] [[ordem jónica|jónicos]]. Junto da escada, encontra-se uma pia de água benta do século XV.
==Arquitectura e Arte==
 
[[Imagem:Capela de Nossa Senhora do Monte (Santarém) 002.jpg|thumb|right|300px|Interior da capela.]]
Na fachada norte, abre-se uma [[edícula]] de arco gomado e golpeado, sob pequenas colunas [[capitel|capitelizadas]], preenchida com uma escultura de pedra, [[século XVI|quinhentista]], que representa a [[Maria, mãe de Jesus|Virgem]]. Esta fachada é rasgada ao centro por um [[pórtico]] trilobado. Quer a fachada oeste, quer a posterior, são rasgadas por pequenas [[rosácea (arquitectura)|rosáceas]], sendo a primeira das fachadas em empena, encimada por uma cruz em pedra. O [[alpendre]] é constituído por uma série de elegantes colunas com [[capitel|capitéis]] compósitos, de longas folhagens sobrepujadas por ábaco com volutas e cabeças de anjos, florões ou grifos, revelando conhecimentos de fórmulas clássicas da [[Renascimento|Renascença]] [[Itália|italiana]], bem como a influência particular da obra de [[João de Castilho]].
O interior é de uma só [[nave (arquitectura)|nave]], encontrando-se o corpo da [[sacristia]] adossado ao lado norte da [[capela-mor]]. As paredes da [[nave (arquitectura)|nave]] são corridas por um silhar de [[azulejo|azulejos]] [[século XVII|seiscentistas]], do tipo padrão. Da construção [[século XV|quatrocentista]] subsistem o [[arco triunfal]], de [[arco ogival|ogiva]], e a [[abóbada]] da [[capela-mor]], de dois tramos separados por ogiva de aresta viva. Na parede do lado do evangelho rasga-se uma porta [[Gótico em Portugal|gótica]] que dá acesso à [[sacristia]]. O [[coro (arquitectura)|coro]], que ocupa a largura do corpo da capela, é sustentado por colunas [[classicismo|clássicas]] de [[capitel|capitéis]] [[ordem jónica|jónicos]]. Junto da escada, encontra-se uma pia de água benta do século XV.
 
Da parede do lado da epístola, pende um painel sobre madeira, do último terço do século XVI, no qual figura a ''Anunciação''. Esta obra maneirista é atribuída a Ambrósio Dias, o [[Mestre da Romeira]], pintor regional de grande prestígio estabelecido em [[Santarém (Portugal)|Santarém]]. A capela conta ainda, no seu acervo, com duas esculturas em madeira do século XVII, ambas policromadas: [[Nossa Senhora das Dores|Nossa Senhora da Piedade]] e uma Virgem com o Menino.
 
 
 
{{esboço-patrimóniopt}}
 
{{DEFAULTSORT:Capela Nossa Senhora Monte (Santarem)}}
[[Categoria:São Salvador (Santarém)]]
[[Categoria:Património edificado em Santarém]]
718 366

edições