Diferenças entre edições de "Governo minoritário"

56 bytes adicionados ,  05h03min de 11 de fevereiro de 2012
m
Checkwiki + ajustes
m (r2.5.2) (Robô: A adicionar: es:Gobierno en minoría)
m (Checkwiki + ajustes)
Um '''governo minoritário''' ou um '''gabinete minoritário''', é um [[Governo|gabinete]] de um [[sistema parlamentar]] formado quando o [[partido político]] governante ou a [[Governo de coalizão|coalizão]] dos partidos não possui a [[maioria]] do total de lugares no [[parlamento]]. Também é conhecido como um "Parlamento sem Maioria" (''Hung Parliament''). Nos [[Bicameralismo|parlamentos bicamerais]], o termo refere-se à situação na câmara cuja confiança é considerada mais crucial.
 
Em geral, um governo minoritário tende a ser menos estável que um governo de maioria, porque a oposição sempre poderá derrubar o governo com uma simples [[moção de censura]]. Além disso, argumenta-se muitas vezes, que um governo minoritário é menos responsável porque o líder pode esquivar-se da responsabilidade e dividir a culpa com a oposição. Exige-se responsabilidade por parte da oposição nas medidas mais impopulares.
 
== Coalizões e alianças ==
Para lidar com situações onde as maiorias não aparecem claras, os partidos ou formam [[coalizão governamental|coalizões governamentais]], alianças ou acordos com outros partidos para permanecerem no cargo.
 
Uma situação comum é o governo com "''jumping majorities''", ou seja, aquela em que o gabinete permanece durante o tempo em que possa negociar o apoio do parlamento — as maiorias que podem ser diferentemente formadas de questão para questão, de [[projeto de lei]] para projeto de lei.
 
=== Sistema de pluralidade simples ===
 
Na maior parte das nações que utilizam o [[sistema Westminster]], cada [[círculo eleitoral]] elege um membro do parlamento pelo voto da pluralidade simples. Este sistema fortemente faz com que o voto aumente o número de lugares dos dois partidos mais votados, e reduza o número de lugares dos menos votados, um princípio conhecido em ciência política como [[lei de Duverger]], e, assim, os governos minoritários são relativamente incomuns. (Defensores deste sistema vêem isso como uma vantagem do mesmo.) Um partido com menos de 40% de voto popular muitas vezes pode ganhar a maioria dos lugares. (Por exemplo, em 2005 na Eleição Geral do Reino Unido, o governo do Partido Trabalhista ganhou uma maioria de 66 lugares na [[Câmara dos Comuns]] com apenas 35,3% do voto popular.) Se o apoio para alguns partidos está concentrado regionalmente, no entanto, a lei de Duverger é então aplicada separadamente para cada região, e por isso é perfeitamente possível que nenhum partido seja suficientemente dominante em cada região, a fim de receber a maioria dos lugares.
 
Em uma situação minoritária o chefe do maior partido geralmente é convidado a formar um governo. Eles devem então formar uma coalizão com um ou mais partidos existentes, ou têm de ganhar o apoio suficiente de outros partidos ou independentes para evitar as moções de censura. Devido às moções de censura, os governos minoritários são freqüentemente de curta duração ou caem antes do término de seu prazo. O líder de um governo minoritário terá também muitas vezes que convocar uma eleição na esperança de ganhar um mandato mais forte do eleitorado. No Canadá, por exemplo, os governos federais de minoria duram em média 18 meses.
 
{{Portal3|Política}}
 
{{DEFAULTSORT:Governo Minoritario}}
[[Categoria:Terminologia política]]
 
718 366

edições