Diferenças entre edições de "Rola-comum"

1 byte removido ,  12h25min de 21 de março de 2012
 
As causas para o decréscimo populacional acentuado da rola-brava são provavelmente várias. É uma espécie muito sensível à perda e degradação do habitat de reprodução, devido principalmente à intensificação agrícola e florestal. A destruição de sebes e linhas de água, a simplificação do mosaico agrícola e florestal, as monoculturas e o uso intensivo de fitofármacos são causas principais da degradação do habitat da rola-brava. É também muito vulnerável à caça excessiva. O estado depauperado da maioria das populações de rola-brava torna a pressão cinegética atual insustentável. Os números atuais, pouco precisos, indicam que pelo menos 10% da população é caçada anualmente na Europa. Está também muito dependente do regime de chuvas na região onde inverna em África. Por esta razão as populações invernantes de rola-brava estão também ameaçadas pelas alterações climáticas, em particular pelas secas prolongadas e pelo avanço do deserto na África sub-Sahariana.
Atualmente existe umaum [http://ec.europa.eu/environment/nature/conservation/wildbirds/hunting/docs/turtle_dove.pdf Plano de Gestão da União Europeia] para a Rola-brava], ao abrigo da [http://portal.icn.pt/ICNPortal/vPT2007/O+ICNB/Rede+Natura+2000/Directiva+Aves/Directiva+Aves.htm?res=1440x900 Diretiva Aves]. Este plano prevê medidas essenciais e urgentes como a publicação anual de estatísticas da caça credíveis, o desenvolvimento de um modelo populacional preditivo para calcular o abate anual sustentável, o estudo do sucesso reprodutor e da mortalidade invernal e dos fatores que os afetam. Apesar do Plano de Gestão estar em vigor desde 2006, quase nada foi feito em Portugal.
 
== {{Ligações externas}} ==
36

edições