Diferenças entre edições de "Papa Leão VIII"

32 bytes adicionados ,  01h49min de 15 de abril de 2012
sem resumo de edição
(Página marcada como sem fontes (usando FastButtons))
{{Sem-fontes|data=janeiro de 2012| angola=| arte=| Brasil=| ciência=| geografia=| música=| Portugal=| sociedade=|1=|2=|3=|4=|5=|6=}}
{{Info/Papa
{{Infobox papa
|nome =Antipapa Leão VIII
|nome =Leão VIII
|imagem =Leo VIII.jpg
|nascimento =[[Roma]], [[Itália]],<br />[[{{dni|lang=br|||915]]|si}}
|início do pontificado=[[6 de Dezembro]] de [[963]]
|fim do pontificado=[[1 de Março]] de [[={{nowrap|{{morte|lang=pt|1|3|965]]|||915}}}}
|predecessor =[[Papa Bento V|Bento V]]
|sucessor =[[Papa João XIII|João XIII]]
|ordem =132
}}
Papa da Igreja Cristã Romana ([[963]]-[[964]]) nascido em [[Roma]], eleito como um antipapa por Oton I, depois de várias disputas com o predecessor [[João XII]] e com seu sucessor [[Bento V]]. Era leigo, ao ser escolhido em [[6 de dezembro]] ([[963]]). Seu papado se deu numa época em que o novo imperador alemão estava ansioso para se apoderar da [[Itália]] e do papado. Em [[Roma]], o papa de número 132, [[João XII]], aceitou uma aliança com o imperador Oto I em que no futuro nenhum papa seria consagrado sem a presença dos enviados do imperador..Porém quando Oto saiu da cidade, João uniu-se aos nacionalistas feudais, para expulsar os alemães da [[Itália]]. O imperador, revoltado, retornou a [[Roma]] e depôs do trono o [[papa João XII]], sob a acusação de vários crimes e colocou seu sucessor no trono de São Pedro (963) governando como um antipapa, pois o legítimo [[papa João XII]] ([[955]]-[[963]]), apesar do mau caráter, ainda estava vivo. Também não caiu nas graças dos romanos por ter servido de instrumento aos interesses do imperador germânico. Na realidade tanto ele como seu antecessor foram papas legitimados pelas circunstâncias. Realmente este [[antipapa]] mostrou-se reconhecido ao imperador. Por exemplo, por decreto promulgado em concílio, concedeu-lhe e a seus sucessores, o direito de nomear o [[papa]], bispos e arcebispos, punindo com a excomunhão quem se opusesse a esse decreto. Em outra medida, proibiu aos leigos de entrarem no presbitério durante as funções solenes. Com a súbita morte de João, este poderoso antipapa governou a [[Igreja]] ainda mais um ano, totalizando dois anos de pontificado, até ser deposto por forças franco-suíças leais ao legítimo papa e os italianos elegeram [[Bento V]] ([[964]]), homem virtuoso e de reconhecida capacidade para o cargo. O imperador voltou a [[Roma]], invadiu a cidade, mandou [[Bento V]] para o exílio e recolocou sua criatura no trono, mas ele morreu logo depois. O imperador reconheceu a autoridade pontifícia de [[Bento V]], sob pressão dos francos e romanos, porém o restante do pontificado deste não duraria mais que poucos dias. O imperador, com base no decreto forçado de [[João XII]], colocou no trono [[João XIII]] ([[965]]-[[972]]).
 
Papa da Igreja Cristã Romana ([[963]]-[[964]]) nascido em [[Roma]], eleito como um antipapa por Oton I, depois de várias disputas com o predecessor [[João XII]] e com seu sucessor [[Bento V]]. Era leigo, ao ser escolhido em [[6 de dezembro]] ([[963]]). Seu papado se deu numa época em que o novo imperador alemão estava ansioso para se apoderar da [[Itália]] e do papado. Em [[Roma]], o papa de número 132, [[João XII]], aceitou uma aliança com o imperador Oto I em que no futuro nenhum papa seria consagrado sem a presença dos enviados do imperador..Porém quando Oto saiu da cidade, João uniu-se aos nacionalistas feudais, para expulsar os alemães da [[Itália]]. O imperador, revoltado, retornou a [[Roma]] e depôs do trono o [[papa João XII]], sob a acusação de vários crimes e colocou seu sucessor no trono de São Pedro (963) governando como um antipapa, pois o legítimo [[papa João XII]] ([[955]]-[[963]]), apesar do mau caráter, ainda estava vivo. Também não caiu nas graças dos romanos por ter servido de instrumento aos interesses do imperador germânico. Na realidade tanto ele como seu antecessor foram papas legitimados pelas circunstâncias. Realmente este [[antipapa]] mostrou-se reconhecido ao imperador. Por exemplo, por decreto promulgado em concílio, concedeu-lhe e a seus sucessores, o direito de nomear o [[papa]], bispos e arcebispos, punindo com a excomunhão quem se opusesse a esse decreto. Em outra medida, proibiu aos leigos de entrarem no presbitério durante as funções solenes. Com a súbita morte de João, este poderoso antipapa governou a [[Igreja]] ainda mais um ano, totalizando dois anos de pontificado, até ser deposto por forças franco-suíças leais ao legítimo papa e os italianos elegeram [[Bento V]] ([[964]]), homem virtuoso e de reconhecida capacidade para o cargo. O imperador voltou a [[Roma]], invadiu a cidade, mandou [[Bento V]] para o exílio e recolocou sua criatura no trono, mas ele morreu logo depois. O imperador reconheceu a autoridade pontifícia de [[Bento V]], sob pressão dos francos e romanos, porém o restante do pontificado deste não duraria mais que poucos dias. O imperador, com base no decreto forçado de [[João XII]], colocou no trono [[João XIII]] ([[965]]-[[972]]).
 
A legitimidade do seu pontificado é questionada.
 
 
{{SucessãoPapas|
|nome=Leão 08
|num=132
}}
 
{{papas}}
{{esboço-papa}}
 
{{papasPapas}}
[[Categoria:Papas da Itália|Leao 08]]
 
[[Categoria:Mortos em 965]]
{{esboçoEsboço-papa}}
 
{{DEFAULTSORT:Leao 08, Papa}}
[[Categoria:Papas da Itália|Leao 08]]
 
[[af:Pous Leo VIII]]