Abrir menu principal

Alterações

1 186 bytes adicionados ,  02h33min de 20 de maio de 2012
sem resumo de edição
 
O Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil tem origem no contingente da [[Brigada Real de Marinha]] de [[Portugal]], que chegou ao Brasil - acompanhando a Família Real Portuguesa - em [[1808]]. Com a Independência, o contingente da Brigada Real de Marinha que ficou no Brasil passou a designar-se "Batalhão de Artilharia de Marinha". Em [[1864]] passou a chamar-se "Batalhão Naval", em [[1895]] "Corpo de Infantaria da Marinha", em [[1924]] "Regimento Naval" e em [[1932]] "Corpo de Fuzileiros Navais".
 
=== Portugal ===
{{AP|Corpo de Fuzileiros}}
[[Imagem:Portuguese Navy Walther MPL.JPEG|thumb|250px|Abordagem de um navio via helicóptero por fuzileiros da Marinha Portuguesa.]]
Os fuzileiros formam a classe da [[Marinha Portuguesa]], cujos membros são especializados na realização de operações anfíbias, na segurança das instalações em terra da Marinha e na condução de viaturas táticas. Os fuzileiros asseguram também as funções de Polícia Naval ([[polícia militar]] da Marinha). A maioria dos fuzileiros integra o [[Corpo de Fuzileiros]] da Marinha.
 
A atual classe de fuzileiros foi criada em [[1961]], ainda que as suas origens estejam no Terço da Armada criado em [[1621]] e nos fuzileiros marinheiros da Brigada Real de Marinha criada em [[1797]]. Inicialmente, a classe incluía também os '''fuzileiros especiais''', que integravam os destacamentos vocacionados para a realização de operações assalto anfíbio. Os restantes fuzileiros integravam as companhias e pelotões responsáveis pela defesa de instalações e embarcações e patrulhamento fluvial. Estas unidades tomaram parte ativa da [[Guerra do Ultramar]], nos teatros de operações de [[Angola]], [[Guiné Portuguesa]] e [[Moçambique]].
 
A formação dos praças e sargentos da classe de fuzileiros é realizada na [[Escola de Fuzileiros]] em [[Vale de Zebro]]. A formação dos oficiais é realizada na [[Escola Naval (Portugal)|Escola Naval]] no [[Alfeite]], através do curso superior de Mestrado em Ciências Militares Navais, na Especialidade de Fuzileiro.
 
=== Estados Unidos ===
 
Os ''fusiliers marins'' e os comandos de marinha agrupam-se na FORFUSCO (Força Marítima dos Fuzileiros e Comandos), uma das componentes da Marinha Francesa.
 
=== Portugal ===
{{AP|Corpo de Fuzileiros}}
[[Imagem:Portuguese Navy Walther MPL.JPEG|thumb|250px|Abordagem de um navio via helicóptero por fuzileiros da Marinha Portuguesa.]]
Os fuzileiros formam a classe da [[Marinha Portuguesa]], cujos membros são especializados na realização de operações anfíbias, na segurança das instalações em terra da Marinha e na condução de viaturas táticas. Os fuzileiros asseguram também as funções de Polícia Naval ([[polícia militar]] da Marinha). A maioria dos fuzileiros integra o [[Corpo de Fuzileiros]] da Marinha.
 
A atual classe de fuzileiros foi criada em [[1961]], ainda que as suas origens estejam no Terço da Armada criado em [[1621]] e nos fuzileiros marinheiros da Brigada Real de Marinha criada em [[1797]]. Inicialmente, a classe incluía também os '''fuzileiros especiais''', que integravam os destacamentos vocacionados para a realização de operações assalto anfíbio. Os restantes fuzileiros integravam as companhias e pelotões responsáveis pela defesa de instalações e embarcações e patrulhamento fluvial. Estas unidades tomaram parte ativa da [[Guerra do Ultramar]], nos teatros de operações de [[Angola]], [[Guiné Portuguesa]] e [[Moçambique]].
 
A formação dos praças e sargentos da classe de fuzileiros é realizada na [[Escola de Fuzileiros]] em [[Vale de Zebro]]. A formação dos oficiais é realizada na [[Escola Naval (Portugal)|Escola Naval]] no [[Alfeite]], através do curso superior de Mestrado em Ciências Militares Navais, na Especialidade de Fuzileiro.
 
===Rússia===
 
A Infantaria Naval russa, (em russo: пехота Морская) é a força anfíbia das forças armadas russas. A infantaria naval inclui a 65 ª Brigada de Infantaria Naval da frota russa do Pacífico, as brigadas independentes do Norte e as frotas do Báltico e do Mar Cáspio Militar Flotilha e do regimento independente da Frota do Mar Negro.
 
=== Argentina ===
[[Imagem:Argentine Amtrac.jpg|thumb|right|250px|Tropas e blindado anfíbio da infantaria de marinha argentina, em [[Port Stanley]], durante a Guerra das Malvinas.]]
A infantaria de marinha [[argentina]] constitui o COIM (''Comando de Infantería de Marina''), um dos quatro comandos operacionais da [[Armada Argentina]]. Os seus membros têm postos com designações e distintivos idênticos aos do resto da Armada.
 
O COIM é composto pela Força de Infantaria de Marinha da Frota do Mar (FAIF), pela Força de Infantaria de Marinha Austral (FAIA), pela Base Naval de Infantaria de Marinha, pelo Comando de Instrução e Avaliação, pelo Batalhão de Segurança do Estado-Maior-General da Armada e pelo Batalhão de Segurança da Base Naval Puerto Belgrano. A FAIF inclui um batalhão de infantaria de marinha, o Agrupamento de Comandos Anfíbios, uma companhia de engenheiros anfíbios e batalhões de comando e apoio logístico, de artilharia de campanha, de veículos anfíbios, antiaéreo e de comuniações. A FAIA inclui dois batalhões de infantaria de marinha.
 
Várias unidades da infantaria de marinha argentina participaram na [[Guerra das Malvinas]].
 
 
== Referências ==
Utilizador anónimo