Macário de Jerusalém: diferenças entre revisões

56 bytes adicionados ,  13h27min de 20 de maio de 2012
(Reforma geral)
{{citação2|É tamanha a graça de nosso Salvador que nenhum poder de linguagem parece suficiente para descrever a maravilhosa circunstância a que vou me referir em seguida. Pois, que aquele monumento de Sua mais sagrada [[Paixão de Cristo|Paixão]], há tanto tempo atrás enterrado, deve ter permanecido esquecido por tamanha quantidade de anos, até o seu reaparecimento para os seus servos agora libertados pela remoção daquele que era o inimigo de todos, é um fato que realmente supera toda a admiração... E sobre as colunas e mármores, o que você julgar, após a inspeção de fato do plano, ser especialmente precioso e útil, seja diligente em nos enviar informações por escrito para que qualquer quantidade ou tipo de materiais que estimemos a partir de sua carta serem necessário, vamos procurar em todos os cantos, conforme requerido, pois é próprio que o lugar mais maravilhoso do mundo deva ser decorado ricamente.|Carta de Constantino a Macário, citada por [[Eusébio de Cesareia]] em sua ''Vita Constantini''<ref>Eusébio, ''Vita Constantini'' III, 30-32.</ref>}}
 
Posteriormente, ele escreveu outra carta, "A Macário e os demais bispos da Palestina", ordenando que uma igreja fosse erguida em Mambre, que também havia sido dessecrada por um templo pagão. Eusébio, mesmo relatando os destinatário fielmente, fala desta carta como "endereçada a mim", acreditando, talvez, em sua dignidade metropolitana<ref>[[Eusébio de Cesareia]], ''Vita Constantini'' III, 51-53.</ref>. Igrejas também foram construídas sobre os locais da [[Natividade de Jesus|Natividade]] ([[Basílica da Natividade]]) e da [[Ascensão de Jesus|Ascensão]] ([[Capela da Ascensão]]).
 
{{Referências|col=2}}
198 345

edições