Diferenças entre edições de "Casamento entre pessoas do mesmo sexo em Portugal"

sem resumo de edição
Assim, tudo indicava que o Presidente da República iria vetar o mesmo diploma, chegando mesmo a utilizar a palavra ''veto'' nesse mesmo discurso. Porém, utilizando o argumento de que os partidos que o tinham aprovado antes, o poderiam fazer de novo e de que, Portugal seria em breve tomado por uma onda de austeridade, (na semana anterior tinha sido aprovado o PEC1 que, já reduzia os salários da Função Pública) devido à grave crise que atravessava, não devia ser seu papel dividir ainda mais os Portugueses mas sim, juntá-los, utilizando este último argumento para promulgar o diploma, porém mantendo sempre a sua discordância quanto ao mesmo. <ref name="exp"> [http://expresso.sapo.pt/presidente-promulga-casamento-igayi=f583344 Presidente promulga casamento gay] </ref>
 
Tal facto gerou de imediato bastante polémica por parte de todos os grupos ideológicos, da esquerda à direita, acusando Cavaco Silva de, estar a praticar [[engenharia social]] com o ''lobby gay'', termo usado pelas alas mais conservadoras, como a [[extrmaextrema-direita]], para conseguir a vitória nas [[Eleições presidenciais portuguesas de 2011|presidenciais]] que, se disputaram apenas 7 meses depois. Inclusivamente o [[CDS-PP]], o partido mais conservador com assento na [[Assembleia da República]], ponderou retirar o apoio a Cavaco, que havia dado nas anteriores presidenciais em que o mesmo fora candidato, respectivamente de [[Eleições presidenciais portuguesas de 1996|1996]] e [[Eleições presidenciais portuguesas de 2006|2006]] e, apoiar um dos seus deputados, [[José Ribeiro e Castro]]. Porém, tal não aconteceu e, Cavaco venceu as presidenciais de 2011, conseguindo assim o segundo mandanto como Presidente da República. <ref name="exp" />
 
=== Faculdade de Direito de Lisboa ===
Utilizador anónimo