Abrir menu principal

Alterações

Sem alteração do tamanho, 12h49min de 20 de junho de 2012
Divididos entre [[bôeres]], falantes da [[língua africâner]], em sua maioria [[descendente]]s de [[colono]]s [[holandeses]], [[alemães]] e [[franceses]] que ali se estabeleceram entre os anos de 1652 à 1795. O outro grupo é o de falantes da [[língua inglesa]], em sua maioria descendentes de colonos [[Grã-Bretanha|britânicos]].<ref>http://africanhistory.about.com/od/southafrica/p/AfrikanerGene.htm</ref>
 
Muitos dos [[brancos]] da [[África do Sul]] possuem significativa ancestralidade não europeia, e a maior parte daqueles cuja ancestralidade é antiga possui algum algum grau de ancestralidade não europeia, por menor que esse grau possa ser em alguns indíviduosindivíduos. De acordo com um estudo genealógico, por volta de 6% da ancestralidade dos descendentes dos colonos holandeses é de origem não europeia, aí incluídos aportes asiáticos e africanos.<ref>http://www.africandna.com/ScienPapers%5CDeconstructing_Jaco_Genetic_Heritage_of_an_Afrikaner.pdf</ref> Muitas famílias tradicionais e antigas são descendentes, por exemplo, de [[Eva Krotoa]], uma [[Khoisan]] que teve filhos com um colono holandês, e cujos filhos se integraram à comunidade colonial estabelecida pelos [[Países Baixos]]. Dentre os descendentes de [[Eva Krotoa]], encontram-se muitos líderes famosos, tais como: o presidente do [[Transvaal]] [[Paul Kruger]], o primeiro ministro da [[África do Sul]] [[Jan Smuts]] e o presidente da [[África do Sul]] [[F. W. de Klerk]].<ref>http://www.southafrica.info/about/history/mixedmarriages-genealogy.htm</ref> Outras são descendentes de Manoel de [[Angola]], um escravo liberto que se tornou proprietário e senhor de outros escravos.<ref>http://www.stellenboschheritage.co.za/wp-content/uploads/147_Klein_Gustrouw_Historical_Property.pdf</ref> E por aí vai.
 
=== Coloured ===
3 555

edições