Diferenças entre edições de "João Cândido"

84 bytes removidos ,  14h37min de 14 de julho de 2012
Em Setembro de [[2006]], faleceu, aos 82 anos de idade, Zeelândia Cândido de Andrade, filha adotiva mais nova de João Cândido Felisberto, que dedicou a vida a obter a reintegração do nome de seu pai adotivo à Marinha, corporação de onde saiu sem quaisquer direitos, devido às circunstâncias.
 
Em [[22 de Novembro]] de 2007 (aniversário de 97 anos da Revolta), foi inaugurada uma [[estátua]] em homenagem ao "Almirante Negro", por incrível que pareça, nos jardins do [[Museu da República]], antigo [[Palácio do Catete]], bombardeado durante a revolta, com objetivo de acabar com a República. A estátua, de corpo inteiro, de João Cândido Felisberto, parecendo mais um '''menino ([[Grumete]])''', com o leme em suas mãos; foi afixada de frente para o mar e de costas para o palácio do governo brasileiro, que em 1910 traiu sua própria palavra quebrando a anistia aos marinheiros rebeldes. Como parte da solenidade, que teve a presença de autoridades, familiares e representantes dos movimentos sociais, foi exibido o filme [http://www.memoriasdachibata.com.br/ ''Memórias da Chibata''], de [[Marcos Manhães Marins]], e feita uma exposição fotográfica da Revolta da Chibata, sob a curadoria do cientista político e juiz de direito [[João Batista Damasceno]].
 
Em [[24 de julho]] de [[2008]], 39 anos depois da morte de João Cândido Felisberto, publicou-se, no [[Diário Oficial da União]], a Lei Nº 11.756 que concedeu anistia<ref>[http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2008/07/24/materia.2008-07-24.3054571943/view ''Líder da Revolta da Chibata recebe anistia 39 anos após a morte'']</ref> ao líder da Revolta da Chibata e a seus companheiros, ideia que partiu do Senado Federal e foi aprovada pela Câmara dos Deputados, em [[13 de maio]] de 2008, dia em que se comemora a [[Abolição da Escravatura]] no Brasil.
O Petroleiro "João Cândido Felisberto" tem 274 metros de comprimento e capacidade para transportar 1 milhão de barris de petróleo. O navio foi construído pelo Estaleiro Atlântico Sul, ao custo de R$ 300 milhões.
 
Em Dezembro de 2010, a EBC - Empresa Brasil de Comunicação conclui a produção "CEM ANOS SEM CHIBATA"(se bem que o Correto seria sem "Limitação da Chibata"), dirigida por [[Marcos Manhães Marins]], um documentário especial de 52 minutos, na programação da TV BRASIL a partir de Janeiro de 2011.
 
== Filmografia ==
10 136

edições