Tear: diferenças entre revisões

3 078 bytes removidos ,  18h51min de 18 de julho de 2012
sem resumo de edição
(Revertendo para a revisão 31463569 de 2012-07-18 18:22:21 por 187.11.111.68 usando popups)
[[Ficheiro:Telers mecànics.JPG|thumb|right|300px|Tear mecânico.]]
[[Ficheiro:Vincent Willem van Gogh 139.jpg|thumb|right|200px|''Tecelão'', por [[Van Gogh]].]]
Um '''tear''' é um aparelho mecânico ou eletromecânico empregado para fins de [[tecelagem]]. Entre as variedades existentes, há o [[tear de pente liso]] e o tear de tricô (ou de pregos). Uma variedade de importância histórica é o tear de [[Jacquard]]. E cada tear tem um tipo de inserção de trama, que pode variar de inserção por lançadeira, inserção por projétil, inserção por pinça, inserção a ar e água.
 
== {{Cronologia da criação dos tipos de inserção de trama}} ==
 
E até acontecer à Revolução Industrial, a forma de tecer era manual, a partir do século XVIII, o curso da área Têxtil começou mudar. Pois a Revolução buscava alterar a forma da força humana, animal e natural pela força mecânica. E foi em 1733, que John Kay inventou a lançadeira volante, com isso aumentando a capacidade da produção, e isso acarretou em uma escassez de fio. Em 1764, James Hargeaves criou a Spinining Jenny, uma forma de produzir fios mais rápidos, porém esses fios eram de baixa qualidade. Em 1769, Richard Arkwright inventou a Water Frame, que produzi fios grossos e utilizava a água para movimentar-se, tornando-a econômica. Mas foi em 1779 que Samuel Crompton, uniu a Spinining Jenny e a Water Frame, dando a criação da Mule, que fabricava fios finos e resistentes. Com isso fazendo que se sobre-se mais fios, do que as tecelagens davam conta de tecer, tendo em vista esse em 1785, Edmund Cartwright inventou o Tear Mecânico. Após a invenção da máquina a vapor, surgiram o teares elétricos. E a área Têxtil foi pioneira também na criação de um sistema binário, através dos cartões perfurados que são usados nos teares que utilizam o sistema Jacquard. Com toda a estrutura dos teares iniciais, como abertura de cala, inserção de trama e a batida do pente. No início do século XX, 1924, um dos teares mais modernos da época foi do inventor Sakichi Toyoda, o Tear Tipo-G Toyoda Automático (Type-G Toyoda Automatic Loom), que fazia a troca automática das lançadeiras. E nesse mesmo século, as descobertas na área têxtil continuaram, mas o grande destaque foi de John C. Brooks, que de 1911 a 1921, que desenvolveu várias patentes de teares com inserção pneumática (jato de ar). Mas Brooks sempre se preocupou com a perfeição das ourelas e com as misturas das tramas, para obter um tecido perfeito. Porém seu tear sofreu várias criticas, mas sua idéia só foi aceita 50 anos depois tendo realizações plena, com a fabricação do tear Ruti-Te Strake L 5000, com larguras de 140 cm a 250 cm, usando jatos de ar múltiplos pela cala. Mas foi em 1929, que H. Ballon inventou o tubo de sucção para aspirar a ponta da passagem, ao lado oposto da inserção da trama. Porem em 1951 que se deu o desenvolvimento do tear jato de ar, e seu criador foi Maxbo, que apresentou um modelo que trabalhava a 350 batidas por minuto, sendo um tecido de 80 cm de largura.
 
== {{Ligações externas}} ==
* [http://geocities.yahoo.com.br/discursus/archistx/tearhis.html Tear mecânico]
* [http://www.winstongomes.com.br/2012/07/trabalho-sobre-insercao-de-projetil Inserção de Trama por Projétil]
* [http://www.winstongomes.com.br/2011/01/insercao-de-trama-atraves-de-pinca Inserção de Trama por Pinça]
* [http://www.winstongomes.com.br/2010/09/trabalho-sobre-tear-jato-de-ar Inserção de Trama por Ar]
* [http://www.winstongomes.com.br/2011/04/historia-da-tecelagem História da Tecelagem]
 
{{Commons1|Category:Weaving}}