Diferenças entre edições de "Quatro marcas da Igreja"

2 719 bytes removidos ,  12h58min de 19 de julho de 2012
Aplicando imparciabilidade
(Aplicando imparciabilidade)
{{História da teologia}}
As '''Quatro marcas da Igreja''' ou '''Quatro Características da Igreja''' são um grupo de quatro [[adjetivos]] considerados como características que descrevem as marcas distintivas da verdadeira
[[Igreja]] de [[Jesus|Jesus Cristo]], sendo elas – ''una, santa, católica e apostólica''. Essa crença é partilhada pela [[Igreja Católica Romana]], [[Igreja Ortodoxa]], [[Igreja Assíria do Oriente|Nestoriana]], [[Igrejas não-calcedonianas|Não-Calcedoniana]], e [[Igreja Presbiteriana|Presbiteriana]] e demais do [[protestantismo|protestantismo histórico]], que por vezes é chamado de ''Atributos da Igreja''.<ref>[[Louis Berkhof]], ''Systematic Theology'' (London: Banner of Truth, 1949), 572.</ref>
 
Estas características foram [[dogma]]tizadas pelo [[Credo Niceno-Constantinopolitano]], em [[381]], que professa: "''Creio na Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica''". Embora nenhuma afirmação de fé pode expressar a totalidade da [[teologia]] e crença cristã, as quatro marcas representam um resumo de algumas das afirmações mais importantes dela. Estas palavras foram usadas durante a [[Reforma Católica]] para distinguir a [[Igreja Católica]] das demais denominações surgidas da [[Reforma Protestante]], consideradas como "''falsas igrejas''".<ref>Brien, Richard P. "The marks of the church (Nicene Creed)." ''National Catholic Reporter,'' August 8, 2008</ref>
 
== História ==
{{Artigo principal|[[Cristandade]]}}
{{quotation|Acreditamos em um Deus.... Cremos em um só Senhor, Jesus Cristo...."|[[Credo Niceno]]}}
"''Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo. Há um só Deus e Pai de todos, que atua acima de todos, por todos e em todos”''. (''[[Epístola aos Efésios|Ef]] 4:5-6''). “Una” “descreve a unidade do [[Corpus Mysticum|Corpo de Cristo]]. Essas palavras do Credo falam dos seguidores de Jesus Cristo, unidos em sua crença em um só Deus, um só Senhor, no [[Cenáculo]]. No discurso final de Jesus com seus discípulos, na noite de sua prisão, ele orou três vezes pedindo que eles pudessem ser apenas "um" (''[[Evangelho de João|Jo]]. 17:20-23''). Ele rezaora para que os cristãos possuam unidade, afirmando que esta unidade irá fornecer a evidência mais convincente para o mundo que ele é o seu Salvador.
 
=== Santa ===
=== Apostólica ===
Esta característica descreve a origem da Igreja, e é compreendida de diferentes maneiras. O [[catolicismo]] acredita que o termo ''apostólica'' refere-se ao sacerdócio da [[Novo Testamento|Nova Aliança]], a renovação do [[Levi|sacerdócio levítico]] da [[Antigo Testamento|Antiga Aliança]], cuja missão é proteger o rebanho de Cristo dos “lobos” que o ameaçam (''[[Atos dos Apóstolos|Atos]] 20:29''), e para que pudessem cumprir esta responsabilidade, Ele concedeu conjuntamente aos Apóstolos, reunidos como um Colégio, e ao seu sucessor, o [[Bispo|Colégio Episcopal]], a prerrogativa de “[[Ligar e Desligar (conceito religioso)|ligar e desligar a Terra ao Céu]]” (''[[Evangelho de Mateus|Mateus]] 18:18''). “Ligar” e “desligar” são dois termos técnicos da linguagem rabínica que significam “permitir” e “proibir”, “condenar” e “absolver”, etendido como o poder de admitir ou excluir membros da igreja ([[excomunhão]]) e definir a política da Igreja e os ensinamentos.
 
Grupos protestantes por sua vez professam a crença do ''sacerdócio universal'', e crêem que o termo ''apostólica'' significa apenas a continuidade nos ensinamentos da Igreja feitos pelos apóstolos.
 
==== Romana ====
{{AP|Confissão de Pedro}}
O termo “romana” é considerada uma característica da Igreja incluída na sua apostolicidade pela [[Igreja Católica]]. Refere-se ao [[primado de Pedro]] e seus sucessores, os [[papas]], cuja [[Cátedra de São Pedro|cátedra]] encontra-se em [[Roma]].
 
{{citação2|E eu te declaro: tu és Pedro [''Cepha''], e sobre esta pedra [''Cepha''] edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu te darei as [[Chaves do céu|chaves do Reino dos céus]]: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.|''[[Evangelho de Mateus|Mateus]] 16:18-19''}}
 
A palavra para "Pedro" e para "pedra" em [[aramaico]] são a mesma (''Cepha'', também [[Transliteração|transliterado]] ''Kipha''), assim Pedro é a rocha da Igreja, o princípio da unidade e de estabilidade.<ref name= "New Advent">{{Citar web| url= http://www.newadvent.org/cathen/12260a.htm#I| ultimo = | primeiro = | título = Pope| acessodata=2010-02-09 | obra = Catholic Encyclopedia; New Advent}}</ref> Nos países da [[Antiguidade]], a chave é um símbolo de autoridade, deste modo, dando a Pedro as "chaves do reino dos céus" Cristo promete que Ele vai conferir ao apóstolo o poder de governar o Igreja, no seu lugar como seu [[Vigário de Cristo|Vigário]].<ref name= "New Advent"/> Em todos os [[evangelhos]] do Novo Testamento, Pedro encabeça os apóstolos (''[[Evangelho de Mateus|Mt]] 10,1-4; [[Evangelho de Marcos|Mc]] 3,16-19; [[Evangelho de Lucas|Lc]] 6,14-16; [[Atos dos Apóstolos|At]] 1,13''). Pedro era o primeiro que falava em nome dos apóstolos (''[[Evangelho de Mateus|Mt]] 18,21; [[Evangelho de Marcos|Mc]] 8,29; [[Evangelho de Lucas|Lc]] 12,41; [[Evangelho de João|Jo]] 6,69''), e preside muitas cenas notáveis (''[[Evangelho de Mateus|Mt]] 14,28-32; [[Evangelho de Mateus|Mt]] 17,24, [[Evangelho de Marcos|Mc]] 10,28''). "''Em cada Evangelho, ele é o primeiro discípulo, à ser chamado por Jesus.''"<ref name="Duffy">Duffy, Eamon (2006). Saints & Sinners (3 ed.). New Haven Ct: Yale Nota Bene/Yale University Press. ISBN 0300115970.</ref>
 
{{Referências}}
* [[Credo Niceno]]
* [[Primeiro Concílio de Constantinopla]]
* [[Sucessão apostólica]]
* [[Eclesiologia]]
* [[Igreja Ortodoxa]]