Abrir menu principal

Alterações

6 bytes removidos, 01h07min de 25 de julho de 2012
bot: revertidas edições de 189.58.71.190 ( modificação suspeita : -19), para a edição 31434763 de Leandroarndt
[[Ficheiro:US Navy 040418-M-4657S-001 Battalion Landing Team Chaplain, Navy Lt. John Hoke, holds mass for several Marines.jpg|thumb|<center>Capelão militar celebrando a missa para fuzileiros americanos.<center>]]
Todavia, há críticos, de entre os quais se destacam os [[catolicismo tradicionalista|católicos tradicionalistas]], que não concordam com a natureza da missa pós-Vaticano II. Em [[2003]] foi revelado que a Missa Tridentina estava de novo a ser celebrada na [[Basílica de S. Pedro]] (embora não no altar principal) e que o Papa [[João Paulo II]] começou a celebrar Missas Tridentinas na sua capela privada no Palácio Apostólico, no [[Vaticano]]. A partir [[7 de Julho]] de [[2007]], pelo [[Motu proprio]] ''[[Summorum Pontificum]]'', o Papa [[Bento XVI]] reafirmou a validade da Missa Tridentina e a liberação de celebrá-la a pedido dos fiéis sem prévia autorização episcopal.
 
viados
Assim sendo, existem duas formas de celebração do rito romano: a forma ordinária ( o ''Novus Ordo'') e a forma extraordinária (a Missa Tridentina).