Diferenças entre edições de "Pesquisa Nacional de Saneamento Básico"

1 456 bytes removidos ,  00h56min de 25 de agosto de 2012
m
Revertidas edições por 189.62.226.250 para a última versão por Juniorpetjua, de 18h07min de 19 de dezembro de 2011 (UTC)
m (Revertidas edições por 189.62.226.250 para a última versão por Juniorpetjua, de 18h07min de 19 de dezembro de 2011 (UTC))
| sobrenome = Coordenação de População e Indicadores Sociais
| nome =
| linkautor =
| linkautor = O primeiro levantamento de saneamento básico realizado no Brasil ocorreu em 1974. Organizado e implementado pelo Ministério da Saúde, um convênio firmado com o IBGE entregava a este a responsabilidade somente pela coleta das informações.[1]
Em 1977 houve novo convênio entre as duas instituições, desta vez ficando a cargo do IBGE não só a coleta, como também a investigação, o planejamento e a apuração dos dados, ou seja, todos os estágios da pesquisa. Nesse mesmo ano ficou decidido que a periodicidade da pesquisa seria trienal, embora esta não tenha ocorrido em 1980 e 1983.[1]
Em 1988 ocorreu uma profunda reformulação na metodologia da PNSB, pela análise dos erros e acertos das pesquisas anteriores e pelas várias sugestões dadas por entidades, instituições de pesquisas, técnicos, pesquisadores e informantes. No ano seguinte, foram coletados dados sobre o abastecimento de água, esgotamento sanitário, limpeza urbana e coleta de lixo.[1]
Em 1999, uma parceria feita entre o IBGE, a Secretaria Especial de Desenvolvimento Urbano da Presidência da República (SEDU/PR), a Fundação Nacional de Saúde (FUNASA) e a Caixa Econômica Federal, com o apoio da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), possibilitou a obtenção de recursos para a PNSB realizada em 2000, com metodologia e variáveis ligeiramente diferentes da pesquisa realizada em 1989, inclusive com a inclusão de um questionário de drenagem urbana
| coautores =
| editor =
10 947

edições