Diferenças entre edições de "Ética"

2 688 bytes removidos ,  20h03min de 29 de agosto de 2012
m
Revertidas edições por 189.100.199.112 para a última versão por Salebot, de 23h24min de 26 de agosto de 2012 (UTC)
m (Revertidas edições por 189.100.199.112 para a última versão por Salebot, de 23h24min de 26 de agosto de 2012 (UTC))
{{Ver desambiguação}}
{{Filosofia-Caixa lateral}}
{{Filosofia-Caixa lateral}}Na [[filosofia clássica]], a ética não se resumia à moral (entendida como "costume", ou "hábito", do [[língua latina|latim]] ''mos, mores''), mas buscava a fundamentação teórica para encontrar o melhor modo de viver e conviver, isto é, a busca do melhor [[estilo de vida]], tanto na [[vida privada]] quanto em [[Vida social|público]]. A ética incluia a maioria dos campos de conhecimento que não eram abrangidos na [[Filosofia natural|física]], [[metafísica]], [[estética]], na [[lógica]], na [[dialética]] e nem na [[retórica]]. Assim, a ética abrangia os campos que atualmente são denominados [[antropologia]], [[psicologia]], [[sociologia]], [[economia]], [[pedagogia]], às vezes [[política]], e até mesmo [[educação física]] e [[dietética]], em suma, campos direta ou indiretamente ligados ao que influi na maneira de viver ou estilo de vida. Um exemplo desta visão clássica da ética pode ser encontrado na obra [[Ética demonstrada à maneira dos geômetras|Ética]], de [[Spinoza]].
 
Porém, com a crescente profissionalização e especialização do conhecimento que se seguiu à [[revolução industrial]], a maioria dos campos que eram objeto de estudo da filosofia, particularmente da ética, foram estabelecidos como disciplinas científicas independentes. Assim, é comum que atualmente a ética seja definida como "a área da filosofia que se ocupa do estudo das normas morais nas sociedades humanas"<ref name="EthicsCornell">{{citar web|url=http://topics.law.cornell.edu/wex/Ethics|publicado=Cornell University of Law School|título=Ethics: an overview|língua2=en|acessodata=11 de abril de 2008}}</ref> e busca explicar e justificar os costumes de um determinado agrupamento humano, bem como fornecer subsídios para a solução de seus [[dilema]]s mais comuns. Neste sentido, ética pode ser definida como a ciência que estuda a conduta humana e a moral é a qualidade desta conduta, quando julga-se do ponto de vista do Bem e do Mal.
 
'''Ética''' é a parte da [[filosofia]] dedicada aos estudos dos valores morais e princípios ideais do comportamento humano.<ref>[http://www.priberam.pt/DLPO/default.aspx?pal=%C3%A9tica Dicionário Priberam da Língua Portuguesa]</ref> A palavra "ética" é derivada do [[grego antigo|grego]] ''ἠθικός'', e significa aquilo que pertence ao ''ἦθος'', ao [[caráter]].<ref name="EB">[[s:en:1911 Encyclopædia Britannica/Ethics|Ethics]], in ''[[Encyclopaedia Britannica|The Encyclopaedia Britannica]]'': a dictionary of arts, sciences, literature and general information. [[Encyclopædia Britannica (edição de 1911)|11.ª ed]]. New York, 1911. pp. 808-845.</ref>
 
Diferencia-se da [[moralidade|moral]], pois, enquanto esta se fundamenta na obediência a costumes e hábitos recebidos, a ética, ao contrário, busca fundamentar as ações morais exclusivamente pela [[razão]].<ref>Gilles Deleuze, ''Espinosa: Filosofia Prática'', p.23-35. Editora Escuta</ref><ref name="EticaDHNET">{{citar web|url=http://www.dhnet.org.br/direitos/codetica/textos/oque_e_etica.html|título=O que é Ética|acessodata=11 de abril de 2008}}</ref>
{{Filosofia-Caixa lateral}}
'''Ética''' é a parte da [[filosofia]] dedicada aos estudos dos valores morais e princípios ideais do comportamento humano.<ref>[http://www.priberam.pt/DLPO/default.aspx?pal=%C3%A9tica Dicionário Priberam da Língua Portuguesa]</ref> A palavra "ética" é derivada do [[grego antigo|grego]] ''ἠθικός'', e significa aquilo que pertence ao ''ἦθος'', ao [[caráter]].<ref name="EB">[[s:en:1911 Encyclopædia Britannica/Ethics|Ethics]], in ''[[Encyclopaedia Britannica|The Encyclopaedia Britannica]]'': a dictionary of arts, sciences, literature and general information. [[Encyclopædia Britannica (edição de 1911)|11.ª ed]]. New York, 1911. pp. 808-845.</ref>
 
 
Na [[filosofia clássica]], a ética não se resumia à moral (entendida como "costume", ou "hábito", do [[língua latina|latim]] ''mos, mores''), mas buscava a fundamentação teórica para encontrar o melhor modo de viver e conviver, isto é, a busca do melhor [[estilo de vida]], tanto na [[vida privada]] quanto em [[Vida social|público]]. A ética incluia a maioria dos campos de conhecimento que não eram abrangidos na [[Filosofia natural|física]], [[metafísica]], [[estética]], na [[lógica]], na [[dialética]] e nem na [[retórica]]. Assim, a ética abrangia os campos que atualmente são denominados [[antropologia]], [[psicologia]], [[sociologia]], [[economia]], [[pedagogia]], às vezes [[política]], e até mesmo [[educação física]] e [[dietética]], em suma, campos direta ou indiretamente ligados ao que influi na maneira de viver ou estilo de vida. Um exemplo desta visão clássica da ética pode ser encontrado na obra [[Ética demonstrada à maneira dos geômetras|Ética]], de [[Spinoza]].
10 947

edições