Diferenças entre edições de "História do mundo"

22 bytes adicionados ,  23h58min de 4 de setembro de 2012
m
(ref)
O Renascimento cultural manifestou-se primeiro na região italiana da [[Toscana]], tendo como principais centros as cidades de [[Florença]] e [[Siena]], de onde se difundiu para o resto da [[Itália]] e depois para praticamente todos os países da [[Europa Ocidental]]. A Itália permaneceu sempre como o local onde o movimento apresentou maior expressão, porém manifestações renascentistas de grande importância também ocorreram na [[Inglaterra]], [[Alemanha]], [[Países Baixos]] e, menos intensamente, em [[Portugal]] e [[Espanha]], e em suas colônias americanas.
 
==0 Renascimento Científico ===
{{Artigo principal|[[Revolução científica]]}}
Durante o século XIV as Universidades na Europa passaram de 20 para 70. Graças a essas novas universidades, mais estudiosos passaram a poder discutir novas ideias, teorias, antigas ou recentes. Essas universidades recebiam estudantes de outras universidades, assim os conhecimentos e ideias espalhavam-se e criavam-se mais facilmente. Com a impressa surgida na Europa por Gutemberg[[Johannes Gutenberg|Gutenberg]], os livros tornaram-se mais comuns. Em 1453, um grupo de académicos fugiu de [[Constantinopla]] com vários manuscritos, sendo alguns deles textos de grande importância gregos. Em 1543 Copérnico publicou um livro em que explicava a sua teoria [[heliocêntrica]]. Já no século XVII, [[Galileu]] provou a teoria de Copérnico e fez mais alguns estudos astronómicos. No entanto a Inquisição condenou-o a prisão domiciliária.<ref>Aydon, Cyril, ''The Story of Man - An Introduction to 150.000 Years of Human History'' (título original), Constable, 2007, ISBN 978-989-616-314-3, capítulo 23</ref>
 
Para poder haver um Renascimento Científico, são precisas, citando e resumindo o livro de história do mundo que nesta secção serve de fonte, 6 coisas:
191

edições