Diferenças entre edições de "Daniel de La Touche"

46 bytes adicionados ,  12h54min de 8 de setembro de 2012
m
Revertidas edições por 177.177.76.56 para a última versão por 2002:BAF5:EC53:0:0:0:BAF5:EC53, de 17h30min de 14 de julho de 2012 (UTC)
m (Revertidas edições por 177.177.76.56 para a última versão por 2002:BAF5:EC53:0:0:0:BAF5:EC53, de 17h30min de 14 de julho de 2012 (UTC))
 
== A expedição ==
Na época o rei da França era [[Henrique IV de França|Henrique IV]], a quem La Touche teria convencido sobre a importância de tomar posse das regiões não ocupadas pelos portugueses. La Touche conhecia bem a região pois em 1604 havia explorado as costas da Guiana com o navegador Jean Mocquet. Porém Henrique faleceu, deixando como sucessor seu filho [[Luis XIII]], ainda criança. A viúva de Henrique, Maria de Médici, assumiu a regência, de religião católica, impediu a expedição pelas diferenças religiosas com La Touche. Depois de algumas barganhas na corte, tendo angariado fundos com o almirante François de Rossilly, Senhor Almers (líder católico), e o senhor de Sancy, Nicolau de Herley, La Touche partiu de Cancale, em Março de 1612, com uma caravela e duas naus: "Saint-Anne", "Régente" e "Charlote", tripuladas por 500 homens, entre eles frades capucinhos, viajando por cinco meses completos, enfrentando os dissabores do mal tempo, emtalvez marespor nuncanão dantester navegadosconseguido a bênção do bispo, já que era protestante. Chegou em Setembro do mesmo ano, à "Montanha dos Canibais", um ponto elevado na Ilha Grande, domínio dos Tupinanbás.
 
== Papagaios Amarelos ==
154 908

edições