Hejaz: diferenças entre revisões

13 bytes adicionados ,  10 de setembro de 2012
Desfeita a edição 32178198 de Maañón (a transliteração fica mais legível para lusófonos assim. Literalmente não é redundante, e por isso coloquei)
(a transliteraçao era correta, nao é portugues, é transliteraçao. "literalmente" é redundante, mas se quer inclua-o =>Desfeita a edição 32178129 de RafaAzevedo)
(Desfeita a edição 32178198 de Maañón (a transliteração fica mais legível para lusófonos assim. Literalmente não é redundante, e por isso coloquei))
[[imagem:Hijaz.png|thumb|Mapa com a região saudita indicada em vermelho e o reino histórico homônimo ressaltado em verde.]]
 
O '''Hejaz'''<ref>Forma vernácula registrada no [[Dicionário Onomástico Etimológico da Língua Portuguesa]], de [[José Pedro Machado]].</ref> {{langx|ar|الحجاز‎||''al-ḤiǧāzḤidjāz''|literalmente "a barreira"|tit=x}} é uma região no oeste da [[Arábia Saudita]]. Banhada pelo [[mar Vermelho]], estende-se desde [[Haql]], no [[golfo de Acaba]], até [[Jizan]]. Sua principal cidade é [[Jidá]], mas a área é mais conhecida por incluir [[Meca]] e [[Medina]], cidades santas do [[Islã]]. Seu nome significa "a barreira", em árabe, devido ao fato de a região separar o [[Néjede]], a leste, da terra de [[Tihamah]], a oeste.
 
Há indícios de que o Hejaz (ou partes dele) integrou a [[província romana]] da [[Arábia Pétrea|Arábia]].<ref>{{cite web |url= http://www.saudiaramcoworld.com/issue/200103/well.of.good.fortune.htm |title= Well of Good Fortune |first= Piney |last= Kesting |work= [[Saudi Aramco]] |date= maio/junho de 2001 |accessdate= 20-03-2007}}</ref> Sob controle de potências regionais como o [[Egito]] ou o [[Império Otomano]] ao longo da maior parte de sua história, o Hejaz gozou de independência política por um breve período no início do [[século XX]], proclamada em [[1916]] pelo xerife de Meca, Hussein ibn Ali. Foi uma das diversas áreas do Império Otomano rebeladas por obra de [[T. E. Lawrence]] ("da Arábia") durante a [[Primeira Guerra Mundial]]. Entretanto, em [[1924]], a autoridade de ibn Ali foi usurpada por ibn Saud, da região do Néjede.