Diferenças entre edições de "Devir"

393 bytes removidos ,  05h02min de 25 de setembro de 2012
sem resumo de edição
m (Revertidas edições por 177.24.53.193 para a última versão por 177.32.113.163, de 06h31min de 17 de março de 2012 (UTC))
{{Sem-fontes|data=março de 2012| angola=| arte=| Brasil=| ciência=| geografia=| música=| Portugal=| sociedade=|1=|2=|3=|4=|5=|6=}}
::::'' '''Nota:''' Se procura a{{minidesambig|pela editora Devir, consulte [[|Devir Livraria]].''}}
'''Devir''' é um conceito [[filosofia|filosófico]] que qualifica a mudança constante, a perenidade de algo ou alguém. Surgiu primeiro em [[Heráclito]] e em seus seguidores; o devir é exemplificado pelas águas de um rio, “que continua o mesmo, a despeito de suas águas continuamente mudarem.”
Devir é o desejo de tornar-se.
Recebe também a acepção nietzscheriana do "torna-te quem tu és", usada em um dos seus escritos.Traduz-se de forma mais literal a eterna mudança do ontem ser diferente do hoje,nas palavras de [[Heráclito]]:"O mesmo homem não pode atravessar o mesmo rio, porque o homem de ontem não é o mesmo homem, nem o rio de ontem é o mesmo do hoje".
 
O devir é''' a lei do mundo'''.Os fenômenos se repetem,é verdade,mas não se repete o mesmo fenômeno:o raio de hoje é sempre um raio,mas não é aquele de ontem;os seres viventes são sempre classificáveis em espécies,mas os seres que vivem hoje não são mais aqueles do passado.Aliás,cada coisa jamais é a mesma;dia a dia perde e conquista algo mesmo quando aos nossos olhos desapareceu para sempre.
{{quote2|O mesmo homem não pode atravessar o mesmo rio, porque o homem de ontem não é o mesmo homem, nem o rio de ontem é o mesmo do hoje.|[[Heráclito]]}}
 
{{referências}}
 
==Ver também==
* [[Causalidade]]
 
{{esboço-filosofia}}
 
87 484

edições