Transporte hidroviário: diferenças entre revisões

sem resumo de edição
m (Revertidas edições por 187.41.52.102 para a última versão por MerlIwBot, de 19h56min de 1 de julho de 2011 (UTC))
Este modo de [[transporte]] cobre o essencial das matérias primas (petróleo e derivados, carvão, minério de ferro, cereais, bauxita, alumínio e fosfatos, entre outros). Paralelamente a estes transportes a granel, o transporte aquático também cobre o transporte de produtos previamente acondicionados em sacas, caixotes ou outro tipo de embalagens, conhecidos como carga geral.
 
A partir de meados da [[década de 1960]] desenvolveu-se um novo tipo de mercado de transporte aquático, o do [[Container (transporte)|contentor (português europeu) ou contêiner (português brasileiro)]]. De um formato padronizado (20 ou 40 pés), estas embalagens revolucionaram não só o transporte propriamente dito, mas também toda a cadeia logística, desde o produtor ao consumidor. Os transportes rodoviário, ferroviário e, mesmo, aéreo, adaptaram-se de modo a fazer dos contentores uma unidade de transporte intermodal. A mercadoria, uma vez colocada no contentor, não sofre mais nenhum manuseamento directo até ao seu destinatário final (com excepção de qualquer fiscalização aduaneira). O que é manuseado é apenas o contentor e não o conteúdo.
 
{{esboço-logística}}
Utilizador anónimo