Agripa Póstumo: diferenças entre revisões

16 bytes removidos ,  20h51min de 5 de dezembro de 2012
m
recategorização e ajustes utilizando AWB
m (Robô: A adicionar: no:Marcus Postumus)
m (recategorização e ajustes utilizando AWB)
Nunca houve consenso claro de que sucedeu, mas por volta de [[6|6 d.C.]] ou 7, Augusto mandou-o para a pequena ilha de ''[[Ilha Pianosa|Planasia]]''. [[Tácito]] sugestiona que Lívia Drusila lhe tinha aversão e que o evitava, pois ele estava antes do seu filho [[Tibério]] na sucessão de César Augusto. Alguns historiadores modernos sugestionaram que poderia estar envolvido numa conspiração. Pelas mesmas datas, a mãe de Póstumo, [[Júlia, a Maior]], casada com o que seria imperador Tibério, foi exilada por ordem do seu pai acusada de adultério. Assim mesmo, posteriormente foi abortado um plano para resgatar Póstumo e Júlia.
 
Em todo caso, o desterro de Póstumo assegurou a prioridade a Tibério como herdeiro de César Augusto. Tácito <ref> Tácito 1.3; 1.5</ref> e de Dião Cássio <ref> Dião Cássio 56.30</ref> relatam como Augusto ideou uma visita segreda à ilha em [[13|13 d.C.]], para se desculpar com o seu neto e para avisar sobre os seus planos de que regressasse a [[Roma]]. Um amigo no que confiava, Fábio Máximo, acompanhou e jurou a Augusto guardar o segredo sobre o acontecido; mas Máximo contou-o à sua esposa Márcia, que pela sua vez o mencionou a Lívia Drusila. Máximo pronto foi assassinado, e Márcia acusou posteriormente Lívia de ser responsável pela morte. A veracidade desta história é duvidosa.
 
== Morte ==
 
Independentemente da suposta visita de César Augusto, o imperador faleceu ao ano seguinte sem libertar Póstumo de [[Planasia]], e pouco depois da sua morte, Póstumo foi executado pelos seus guardiães. As versões contraditórias sobre quem ordenou a execução, existiram quase desde o começo, quando Tibério imediatamente e em público negou de imediato as acusações de ordenar a sua morte. Enquanto alguns sugestionaram que Augusto mesmo pôde ordenar via instruções segredas que não deixassem sobreviver Póstumo, é mais provável que Tibério ou Lívia Drusila (com ou possivelmente sem o conhecimento de Tibério) dessem a ordem, aproveitando a situação política confusa à morte de César Augusto.
 
== Ficção ==
[[Robert Graves]], no seu trabalho ''Eu, Cláudio'', sugestiona que, pela influência de [[Lívia Drusila]], Augusto também lhe teria aversão. Graves, até mesmo, criou um incidente fictício, no qual Póstumo é desmascarado por Lívia Drusila e a sua neta Livila, para acusá-lo de violação (note-se que ''Eu, Cláudio'' fez um dano considerável à imagem de Lívia Drusila, e que os historiadores modernos discrepam da ideia da conspiração de Lívia para a sucessão).
 
== {{Bibliografia}} ==
* SUETÔNIO ''[[Vida dos doze Césares]]. Vida de Augusto''.
 
{{ref-section|Referências}}
{{Tradução/ref|es|Póstumo César}}
 
[[Categoria:Nobres romanos]]
[[Categoria:Dinastia Júlio-Claudiana]]
[[Categoria:PessoasMortes executadaspor execução]]
[[Categoria:Mortos em 14]]
 
166 343

edições