Diferenças entre edições de "Transição de gênero"

12 bytes removidos ,  06h55min de 27 de setembro de 2006
sem resumo de edição
 
A transição de gênero, ou sexual, dura anos e é um processo dispendioso e muitas vezes traumático, mas que na maioria dos casos é a única solução, já que não há cura para a [[transexualidade]] que não pela adequação física. No passado tentou-se fazer o contrário, quer dizer, adequar a [[mente]] ao corpo através de terapia comportamental e hormonal, o que redundou em grandes insucessos. A esmagadora maioria dos transexuais e [[transgênero]]s que se submetem a uma transição completa relatam que finalmente encontraram a tranqüilidade que buscavam após anos de sofrimento em um “corpo que dizem não os pertencer”. Contudo, o processo não necessariamente culmina na [[Cirurgia de Redesignação Sexual]] – [[CRS]], já que esta dependerá das necessidades do paciente e de onde ele quer chegar. Um diagnóstico de disforia mal-feito pode levar a arrependimentos futuros.
 
Atualmente, muitos [[médico]]s e [[terapeuta]]s recomendam a transição paulatina, denominada [[método casulo]], que é ir aos poucos mudando do sexo de origem para o escolhido, mas ainda vivendo discretamente no papel social do sexo de origem, sem chamar muito a atenção socialmente, para que assim [[trauma]]s no convívio social sejam evitados ou abrandados.
 
 
Utilizador anónimo