Abrir menu principal

Alterações

317 bytes removidos ,  10h26min de 16 de dezembro de 2012
m
Reversão de uma ou mais edições de 200.103.20.111 para a versão 32473488 de GRS73 (Pov sem fontes), com Reversão e avisos.
{{Virgem Maria}}
 
'''''Theotokos''''' ([[Língua grega|grego]]: Θεοτόκος, [[transliteração]]: ''Theotókos'') é o título grego de [[Maria, mãe de DeusJesus]], usado especialmente na [[Igreja Ortodoxa]] e [[Igrejas Orientais Católicas]].
 
==Tradução==
Sua tradução literal para o português incluí "''portadora de Deus''". Na teologia calcedoniana Maria é a Theotokos, porque seu filho Jesus é simultaneamente Deus e homem, divino e humano, Theotokos, portanto, refere-se à [[Encarnação]], quando Deus assumiu a natureza humana em Jesus Cristo, sendo isto possível graças à cooperação de Maria.
 
Traduções menos literais incluem '''''Mãe de Deus'''''. [[Católicos]], [[anglicanos]], e algumas [[Denominação|denominações]] [[protestantes]] usam com mais freqüência o título de "Mãe de Deus" do que "Theotokos". O título de Maria como ''Mãe de Deus'' em algumasalguns ocasiões causa divergentes interpretações. Segundo o catolicismointerpretação, esse título não refere-se à Maria como Mãe de Deus ''desde a eternidade'' (no ''[[Kairos]]''), mas apenas como mãe de Jesus, que por ser verdadeiramente Deus, tornariatorna-se também a Mãe de Deus na Terra (no ''[[Chronos]]''). Em contrapartida, Theotokos torna explícito seu significado teológico católico, quantoexcluindo aassim qualquer mal-entendido da maternidade divina de Maria. A doutrina afirma que Maria é verdadeiramente a Mãe de Deus, uma vez que a maternidade diz respeito à pessoa inteira, e não apenas ao corpo, nem tampouco apenas à natureza humana. Deste modo o nome Theotókos — Mãe de Deus — tornariatornou-se o nome próprio da união com Deus, concedida à Virgem Maria.
 
Diversos [[Padres da Igreja]] nos três primeiros séculos defendem Maria como a Theotokos, como [[Orígenes]] (254), [[Atanásio de Alexandria|Atanásio]] (330) e [[São João Crisóstomo|João Crisóstomo]] (400). O [[Concílio de Éfeso]] decretou esta doutrina [[Dogmas e doutrinas marianas da Igreja Católica|dogmaticamente]] em [[431]].
Em muitas tradições, Theotokos foi traduzida do grego para a língua local litúrgica. A mais proeminente delas é a tradução para o latim (''Deipara'', ''Genetrix Dei'', como também, ''Mater Dei''), em [[árabe]] (والدة translit الله. transliteração: ''Wālidat Deus''), em [[georgiano]] (ღვთისმშობელი. transliteração: ''Ghvtismshobeli''), em [[armênio]]: (Աստուածածին. transliteração: ''Astvadzatzin'') e o [[romeno]] (''Născătoare de Dumnezeu'' ou ''Maica Domnului'').
== Theotokos na Bíblia ==
Cristãos católicos e ortodoxos justificam a utilização da expressão ''Theotokos'' ou ''Mãe de Deus'', citando ''[[Evangelho de Lucas|Lucas]] 1:43'' a qual [[Isabel (Bíblia)]] saúda a Virgem Maria como a "''mãe do meu Senhor''". Porém os protestantes creem que Maria foi mãe de Jesus apenas no aspecto humano e não no divino, tendo por base Evangelho de João 1.1 a 3; que afirma que Jesus já existia desde a fundação de todas as coisas criadas e que tudo foi criado por meio dEle, sendo assim, impossível Maria ser, de fato, mãe de Jesus também em sua divindade.
 
== História ==
=== Primeiras Crenças e Padres da Igreja católica ===
Diversos [[Padres da Igreja católica]] nos três primeiros séculos teriam defendidodefendem Maria como a Theotokos, dentre eles; [[Orígenes]] ([[254]]), [[Dionísio de Alexandria|Dionísio]] ([[250]]), [[Atanásio de Alexandria|Atanásio]] ([[330]]), [[Gregório de Nanzianzo|Gregório]] ([[370]]), [[São João Crisóstomo|João Crisóstomo]] ([[400]]) e [[Agostinho de Hipona]] ([[430]]). O hino "''À vossa compaixão''" (em grego: Ὑπὸ τὴν σὴν εὐσπλαγχνίαν), datado do [[século III]], retrata Maria como «Santíssima Theotokos, salvai-nos.»<ref>{{citar livro
| sobrenome = Matthewes-Green
| nome = Frederica