Diferenças entre edições de "Adelaide da Itália"

4 bytes removidos ,  04h47min de 29 de dezembro de 2012
m
Erratum: filha de Rodolfo II da Borgonha ⇒ filha de Rodolfo II da Borgonha
m (Robô: Adicionando {{Commonscat|Adelheid von Burgund}})
m (Erratum: filha de Rodolfo II da Borgonha ⇒ filha de Rodolfo II da Borgonha)
|autor_passagem=
}}
'''Adelaide de Itália''' ou '''Adelaide de Borgonha''' ou simplesmente '''Santa Adelaide''' ([[931]] - [[16 de Dezembro]] de [[999]]) nasceu na [[Borgonha]], no ano de [[931]]. Era filha de [[Rodolfo II]] da [[Borgonha]] e foi esposa de [[Lotário II]], da [[Itália]]. Enviuvado 3 anos mais tarde, casou posteriormente no ano de [[951]] com o Imperador [[Oto I o Grande]] do [[Sacro Império Romano Germânico]], que assim obteve o direito à coroa da Itália. Órfã aos seis anos e viúva aos dezenove, foi, por interesses políticos, perseguida e aprisionada pelo Duque [[Berengário]] e sua mulher Wila, sujeitando-se a esta situação indigna com resignação e confiança em Deus. Com a ajuda do piedoso capelão Martinho consegue escapar e escoltada pelo [[Margrave]] Apo se refugia no castelo do Duque de Canossa, [[Alberto Uzzo]]. Oto I, o homem mais poderoso daquele tempo invade a Itália e afugenta Berengário. Dirigindo-se a [[Canossa]], casou-se com Adelaide no [[25 de dezembro|dia de Natal]] de [[951]], resultando daí uma união feliz. Elevada à dignidade [[Sacro Império Romano Germânico|imperial]], demonstrou imensa humildade e caridade para com os menos favorecidos. Viúva pela segunda vez, tornou-se regente até a maioridade do filho, o imperador [[Oto II]], que em [[971]] casou-se com a princesa grega [[Teofânia de Bizâncio|Teofânia]], que também passou a hostilizar Adelaide. Morto [[Oto II]], Adelaide se retira da corte, mas logo também [[Teofânia de Bizâncio|Teofânia]] morre e Adelaide retorna para ser regente em nome de seu neto [[Oto III]], coordenando suas obrigações políticas e religiosas. Partindo do princípio que a "felicidade e a prosperidade de uma nação depende da bênção de Deus", procurou implantar a todo custo na alma do povo o "santo" temor de Deus, fazendo empenho para que fosse conservados fielmente os "costumes e usos da vida cristã" de forma severa.
Após a morte do seu marido, em [[973]], começou a interessar-se cada vez mais à missionação e estabeleceu vários mosteiros e igrejas.
 
19

edições