Abrir menu principal

Alterações

m
O [[PCE]] exige a ilegalização do POUM e procede-se à detenção dos seus dirigentes famílias, que passam à clandestinidade. As milícias do partido na frente são dissolvidas à força.
 
[[Andreu Nin]] e a maior parte dos dirigentes do POUM foram detidos e sequestrados sem que as autoridades da Generalitat da Catalunha tivessem sido advertidas nem consultadas. Seis dias depois da sua detenção, [[Andreu Nin]] foi sequestrado. A versão oficial calunia o POUM, acusando-o de ser uma ligação fascista e conclui que os seus raptores eram agentes da [[Gestapo]]. Após a abertura, a seguir a [[1989]], de alguns arquivos secretos em Moscovo, foram obtidas provas concludentes da participação de agentes de Estaline no sequestro e posterior assassinato de [[Andreu Nin]]. Outras figuras importantes do partido foram sequestrados e mortos sem julgamento, como o anarquista italiano [[Camillo Berneri]].
 
O governo de [[Largo Caballero]] (PSOE) tentou resistir as pressões soviéticas para erradicar os partidos dissidentes, nomeadamente tentou opor-se à ilegalização e repressão contra o POUM. Porém, a queda de Largo Caballero, devida em parte aos Factos de Maio, veio promover a figura de Juan Negrín, menos renuente a tais manobras, o qual sentenciou o destino do POUM.