Abrir menu principal

Alterações

32 bytes removidos ,  18h32min de 14 de janeiro de 2013
sem resumo de edição
{{Sem-fontes||data=julho de 2011}}
{{Ver desambig||Ciméria}}
Os '''Cimérios''' (Grego Κιμμέριοι, ''Kimmérioi'') foram [[nômade equestre|nômades equestres]] que, de acordo com [[Heródoto]], viviam originalmente na região norte do [[Cáucaso]] e no [[Mar Negro]] - atuais [[Rússia]] e [[Ucrânia]] - nos séculos VIII e VII a.C. Registos assírios, todavia, determinam que esse povo se localizava no [[Azerbaijão]] em 714 a.C.{{carece de fontes}}
 
== Origens ==
O primeiro registo histórico dos cimérios aparece nos anais da [[Assíria]] no ano 714 a.C. Eles descrevem como um povo chamado ''Gimirri'' ajudou as forças de [[Sargão II]] a derrotar o reino de [[Urartu]]. Sua terra original, chamada ''Gamir'' ou ''Uishdish'', parece ter sido localizada no Estado-tampão de [[Mannai]]. O geógrafo posterior [[Ptolomeu]] colocou a cidade de ''Gomara'' nessa região.
 
Alguns autores modernos{{carece de fontes}} afirmam que os cimérios incluíam [[mercenários]], chamados pelos assírios de ''Khumri'', restabelecidos na região por Sargão. Contudo, gregos de épocas posteriores sustentam que os cimérios, antes disso, haviam vivido nas [[estepe]]s entre os rios Tyras ([[Dniester]]) e Tanais ([[Rio Don, Rússia|Don]]). [[Homero]] os descreve em seu livro 11 da ''[[Odisseia]]'' como habitantes de terras enevoadas e de trevas nos limites do mundo, às margens de [[Oceanus]]. Vários reis cimérios são mencionados em fontes gregas e [[Mesopotâmia|mesopotâmicas]], incluindo o [[Tugdamme]] (''Lygdamis'' em [[Língua grega|grego]]) e o [[Sandakhshatra]] (final do século VII a.C.).
 
De acordo com as ''Histórias'' de [[Heródoto]] (c. 440 a.C.), os cimérios haviam, em determinado ponto do passado, sido expulsos das estepes pelos [[citas]]. Para garantir seu enterro na pátria de seus ancestrais, os membros da família real ciméria dividiram-se em grupos e lutaram entre si até a morte. Os camponeses cimérios enterraram os corpos ao largo do rio Tyras e, através do Cáucaso, fugiram do avanço
 
==A grande Guerra contra a poderosa Cítia==
De acordo com Heródoto a Cítia entrou em guerra com a Ciméria se expandindo para o Oeste e sob tal pretexto seguiu os cimérios indo pelo cáucaso ocidental enquanto os cimérios pelo litoral euxino até o Pontvs no noroeste anatólico ou sudeste do Euxino. Acabaram chegando na Média onde suas hordas enfrentaram resistência mas acabaram se impondo sobre os medos e reinando por décadas sob o império Medo gerando um império cita que avançou até a Síria e Egipto, onde o soberano egipto se ajoelhou e clamou diante dos citas para que não invadissem o Nilo Setentrional, Sinai, et cetera. De acordo com o mesmo a decisão de Dário em preferir atacar a Cítia ao invés dos gregos adveio deste episódio, pois os persas assumindo o papél de sucessores da Média acabaram herdando a sua história e portanto a humilhante derrota diante dos citas. Com isso os persas foram derrotados pelos citas e acabaram se voltando contra os gregos sob Xerxes (de acordo com fontes persas tudo começa quando os fenícios arrumam confusão com os gregos em Argos).
 
De acordo com as ''Histórias'' de [[Heródoto]] (c. 440 a.C.), os cimérios haviam, em determinado ponto do passado, sido expulsos das estepes pelos [[citas]]. Para garantir seu enterro na pátria de seus ancestrais, os membros da família real ciméria dividiram-se em grupos e lutaram entre si até a morte. Os camponeses cimérios enterraram os corpos ao largo do rio Tyras e, através do Cáucaso, fugiram do avanço.
<!--Editar: texto cheio de preciosismo, erros ortográfico e factuais
==A grande Guerra contra a poderosa Cítia==
De acordo com Heródoto a Cítia entrou em guerra com a Ciméria se expandindo para o Oeste e sob tal pretexto seguiu os cimérios indo pelo cáucaso ocidental enquanto os cimérios pelo litoral euxino até o Pontvs no noroeste anatólico ou sudeste do Euxino. Acabaram chegando na Média onde suas hordas enfrentaram resistência mas acabaram se impondo sobre os medos e reinando por décadas sob o império Medo gerando um império cita que avançou até a Síria e Egipto, onde o soberano egipto se ajoelhou e clamou diante dos citas para que não invadissem o Nilo Setentrional, Sinai, et cetera. De acordo com o mesmo a decisão de Dário em preferir atacar a Cítia ao invés dos gregos adveio deste episódio, pois os persas assumindo o papél de sucessores da Média acabaram herdando a sua história e portanto a humilhante derrota diante dos citas. Com isso os persas foram derrotados pelos citas e acabaram se voltando contra os gregos sob Xerxes (de acordo com fontes persas tudo começa quando os fenícios arrumam confusão com os gregos em Argos).
-->
== Língua ==
Da língua dos cimérios, apenas alguns poucos nomes pessoais sobreviveram, encontrados em inscrições assírias:
Alguns investigadores tentaram traçar vários [[topônimo]]s a origens cimérias. Sugeriu-se que a [[Crimeia]] recebeu seu nome em prol dos cimérios. Contudo, essa parece ser uma falsa premissa. O nome [[Crimeia]] relaciona-se ao [[língua turca|turco]] ''qyrym'', que significa "fortaleza", e a península, na Antiguidade, era na verdade conhecida como [[Quersoneso Táurico]] ("península dos [[Tauri]]") - cf. Estrabão 7.4.1; Heródoto 4.99.3, Amm. Marc. 22.8.32).
 
Os cimérios são atualmente classificados como um [[povos iranianos|povo iraniano]], mas com base em fontes históricas gregas da Antiguidade, uma associação [[trácia]] (e, mais raramente, [[celta]]) pode ser levada em consideração. De acordo com C. F. Lehmann-Haupt, a língua dos cimérios poderia ter sido o "elo perdido" entre os idiomas trácio e iraniano, o que é bastante questionável pois sua geo-localização original não estava aí situada. Sua fonética lembra muito mais um link perdido entre os lituanos proto-balto-eslavos e os proto-indo-irânicos pós-proto-aryas.
 
== Possíveis ramificações ==
Acredita-se que há certo número de ramificações com origem nos cimérios. Os [[Trácios]] foram identificados como um possível ramo ocidental daquele povo. Se Heródoto estiver correto, ambos os povos originalmente habitaram a costa norte do [[Mar Negro]], e ambos foram forçados a deixar a área ao mesmo tempo devido a invasores vindos do leste. Enquanto os cimérios haveriam abandonado sua pátria ancestral rumo ao leste e ao sul, através do [[Cáucaso]], os trácios haveriam migrado ao oeste e ao sul através dos [[Bálcãs]], onde estabeleceram uma cultura que floresceu, obtendo vida longa. Os [[Tauri]], habitantes da [[Crimeia]] que antecederam os cimérios, são às vezes identificados como um povo relacionado aos trácios.
 
Apesar de os cimérios de que se têm conhecimento via registos históricos terem seu lugar na [[história]] por um curto período de tempo ([[século VII a.C.]]), diversos povos celtas e germânicos mantêm a tradição de serem descendentes dos cimérios ou dos citas, e alguns de seus nomes étnicos parecem corroborar a crença (p.ex. Cymru, Cwmry ou [[Cumbria]], [[Cimbre]]). É pouco provável que o [[proto-celta]] ou o [[proto-germânico]] hajam alcançado a [[Europa]] tão tardiamente como o [[século VII a.C.]], uma vez que sua formação é comumente associada, respectivamente, à [[Campos de Urnas|cultura dos Campos de Urnas]] da [[Idade do Bronze]] e à [[Idade do Bronze Nórdica]]. Todavia, é concebível que uma migração "[[Traco-Cimério|traco-ciméria]]" de pequena escala (em termos populacionais) do [[século VIII a.C.]] possa ter resultado em mudanças culturais que contribuíram na transformação da cultura de Campos de Urna na [[cultura de Hallstatt]], sendo introduzida durante a [[Idade do Ferro]] europeia.{{carece de fontes}}
 
A etimologia de ''Cymru'' (termo [[Língua galesa|galês]] para o [[País de Gales]]) e de ''Cwmry'' ([[Cumbria]]), que, de acordo com a tradição galesa{{carece de fontes}}, deriva diretamente de "cimérios", é considerada, por uma outra corrente, como provinda do celta ''kom-broges'', que significa "compatriotas"{{carece de fontes}}. No que diz respeito à tribo [[Cimbre]], não se sabe ao certo se eram celtas, germânicos ou se algum outro povo, provindo dum grupo Indo-Europeu Ocidental anterior conectado aos [[Lígures]]. Além disso, os reis [[Merovíngios]] dos [[francos]] tradicionalmente traçavam sua linhagem, passando por uma tribo pré-franca chamada [[Sicambre]], chegando, fundamentalmente, a um grupo de "cimérios" que viviam na boca do [[rio Danúbio]].{{carece de fontes}}
 
Se os citas realmente mantêm parentesco com os cimérios, como foi-se frequentemente exposto, muitos outros povos que reivindicam descendência cítica poderiam ser adicionados à lista.
 
A associação dos cimérios a uma das [[Tribos Perdidas de Israel]] também desempenhou certo papel no [[Israelismo Britânico]].{{carece de fontes}}
 
== {{Ver também}} ==
250

edições