Macu-hupdás: diferenças entre revisões

201 bytes adicionados ,  03h08min de 30 de janeiro de 2013
(LE língua)
Os Hupdah tradicionalmente vivem em pequenos grupos de vinte a trinta e cinco pessoas – cerca de seis grupos domésticos –, mas atualmente podem ser encontradas comunidades com aproximadamente duzentas pessoas ou mais. Cada grupo tem em média oito acampamentos de caça no raio de sete a dez quilômetros. O grupo doméstico se compõe de marido, mulher, filhos solteiros e eventuais agregados, que podem ser parentes próximos, viúvos ou solteiros, do marido ou da mulher. Em geral, cada grupo doméstico possui sua própria fogueira, em torno da qual seus membros se reúnem para dormir e comer. Quanto às casas, tradicionalmente se resumiam a ''tapiris'' – sem paredes –, mas hoje já constroem casas com cascas de árvores. Nelas abrigam de um a quatro grupos domésticos, ligados por laços próximos de parentesco.
 
Um aglomerado de grupos próximos, distando entre si um dia de caminhada, forma um grupo regional. Os hupdás têm três grupos regionais (três dialetos),<ref>[http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2013/01/no-am-alunos-indigenas-reivindicam-livros-didaticos-na-lingua-hup.html No AM, alunos indígenas reivindicam livros didáticos na língua Hup]</ref> separados entre si por cursos de água navegáveis, cujas margens são ocupadas por "índios do rio", chamados por eles de os ''w'óh-d'äh''. Os membros adultos do mesmo grupo regional se conhecem todos pelo nome, assim como pelas relações de parentesco que os unem. Já o conhecimento que possuem dos falantes de dialetos vizinhos, com quem não têm relações genealógicas demonstráveis, é bastante precário, apesar de se comunicarem perfeitamente. Em outras palavras, o grupo regional é um nexo fortemente endogâmico. O tamanho médio do grupo regional é de duzentas e sessenta pessoas.
 
==Denominações==
Utilizador anónimo