Abrir menu principal

Alterações

34 bytes removidos ,  21h19min de 15 de fevereiro de 2013
m
sem resumo de edição
| campanha =
}}
A '''''Batalha de Monte Cassino''''' (também conhecida como a Batalha de Roma eou Batalha de Cassino) foi uma série de quatro duras batalhas durante a [[Segunda Guerra Mundial]], travadas pelos Aliados e Alemães com a intenção de romper a Linha de Inverno e conquistar [[Roma]].
 
No início de 1944, a metade ocidental da Linha Inverno estava ancorada pelos alemães segurando os Vales do Rapido, Liri e Garigliano e alguns picos circunvizinhos, bem como a [[Linha Gustav]]. Os alemães não haviam ocupado a colina histórica da Abadia de Monte Cassino, fundada em 524 por [[Bento de Núrsia]], que dominava a cidade de Cassino e as entradas do Liri e Vales do Rapido, embora houvessem aberto posições defensivas nas encostas íngremes abaixo das muralhas da abadia.
[[Ficheiro:Bundesarchiv Bild 101I-577-1917-08, Monte Cassino, Fallschirmjäger mit Granatwerfer.jpg|thumb|esquerda|200px|Fallschirmjäger-Brigade-Paraquedistas Alemães, nas ruínas do Mosteiro.]][[Ficheiro:Bundesarchiv Bild 146-1974-006-62, Bei Monte Cassino, Fallschirmjäger.jpg|thumb|esquerda|200px|Observador da tropa de paraquedista alemã em vigia a planície do vale de Monte Cassino.]]As 22:00 do dia 15 de Fevereiro o Subtenente Alemão Daimer, teria declarado aos abades já estarem em curso negociações com os americanos a fim de que os sobreviventes do mosteiro pudessem ser levados a um lugar seguro. Estas negociações todavia jamais se realizariam. Mas o Marechal Kesselring deu ordem de salvar os ocupantes do mosteiro e levar o Abade e os monges para Roma.
 
A final da conversa com o Abade o Subtenente Daimer perguntou-lhe se podia atestar, por escrito, que não havia nenhum soldado alemão dentro do mosteiro, antes do ataque aéreo. Com toda sua solicitude o Arquiabade Diamere assinou sobre o altar da Piedade, a seguinte declaração redigida em italiano: ''…"Certifico que entre os muros do sagrado Mosteiro de Montecassino nunca houve soldados alemães; que, durante certo período, só estiveram de vigia três soldados da polícia militar, com o único propósito de fazer respeitar a zona de neutralidade estabelecida em redor do Convento, porém já se retiraram há mais de vinte dias…" - SubTenente Daiber, Gregório Diamare, Bispo-abade de Montecassino. Monte Cassino, 15 de fevereiro de 1944.''<ref>Böhmler, Rudolf - Monte Cassino - Flamboyant,1966 pag. 157</ref>
 
''…"Certifico que entre os muros do sagrado Mosteiro de Montecassino nunca houve soldados alemães; que, durante certo período, só estiveram de vigia três soldados da polícia militar, com o único propósito de fazer respeitar a zona de neutralidade estabelecida em redor do Convento, porém já se retiraram há mais de vinte dias…"
 
assinaram o documento
 
SubTenente Daiber
 
Gregório Diamare
Bispo-abade de Montecassino,
Monte Cassino, 15 de fevereiro de 1944.'',<ref>Böhmler, Rudolf - Monte Cassino - Flamboyant,1966 pag. 157</ref>
''
 
A espererança de um armistício e de uma ação de salvamento do mosteiro fizeram com que o Abade e seus monges permanecessem nas ruínas até amnhã de 17 de Fevereiro.
{{Referências}}
 
== {{Bibliografia}} ==
* Monte Cassino - Batalha de Nações : Editora Renes, 1974
* Böhmler, Rudolf - Monte Cassino - Flamboyant,1966
*Grande Crônica da Segunda Guerra Mundial, [[Seleções|Seleções do Reader´s Digest]]. Editora Ypiranga, 1963 <sup>Volume 3, O Calvário de Monte Cassino</sup>
 
 
{{Segunda Guerra Mundial}}